De Colo merece “ser rebaixado”

Pouca gente se dá conta, mas o armador Nando De Colo é uma espécie de erro que deu certo no San Antonio Spurs. Sua escolha, a 53ª do recrutamento de 2009, só foi possível graças a uma troca bastante polêmica e que aconteceu dois anos antes, durante o Draft de 2007, quando o Spurs, em troca do armador grego Vassilis Spanoulis e uma escolha de segunda rodada, cedeu ao Houston Rockets o ala-pivô Luis Scola e mais um pequeno pacote.

De Colo e o tipo de arremesso com o qual se dá bem: jump shot

Na época, muita polêmica. Era esperado que Scola fosse para o Spurs mais ou menos o que Tiago Splitter é hoje: um ótimo suporte para Tim Duncan. Um dos melhores jogadores de garrafão do mundo na regra FIBA, o argentino chegou mais velho à NBA, deu certo por um tempo no Rockets e hoje já sente a idade no Phoenix Suns. Com a contestada troca, o time de San Antonio caçou e obteve fôlego em sua gradual renovação em um setor em que não conta com muitas opções. A história do erro que virou acerto, exemplificada nesta troca, parece dar a tônica do primeiro ano de De Colo na liga.

Foi surpresa para todos quando Gregg Popovich lançou o novato para a D-League, liga de desenvolvimento que por muitos é encarada como uma espécie de segunda divisão da NBA. Mais surpreendente ainda, para alguns, foi a insistência do técnico, que na última semana voltou a “rebaixar” seu armador estreante. Suas duas passagens pelo Austin Toros, porém, soam como a troca que o traria futuramente para o Spurs: polêmicas, mas eficientes.

De Colo é o tipo de jogador conhecido como playmaker, aquele que constrói as jogadas para seus companheiros. É um armador alto para os padrões da posição, mas não é atlético o suficiente para se valer do corpo em infiltrações. Sua melhor habilidade, então, é o passe. Mas, apesar dos 25 anos, o francês está longe de estar preparado para a NBA. Acostumado a reinar no basquete europeu, ele mostra em muitos lances que está mais propenso a pensar o lance com a calma europeia ao invés de participar da correria atlética que se vê com mais intensidade nos Estados Unidos. Por isso as idas à D-League.

No Toros, o armador tem a possibilidade de ser algo que ele irá demorar para conseguir no Spurs, exercendo liderança. Adepto do jump shot na hora de arremessar – 78% de seus chutes aconteceram desta forma na temporada, com eficácia de 50% -, De Colo precisa de confiança para pontuar. Ainda sobre o chute, é bom destacar que o francês gosta de ter tempo para pensar antes de chutar. Boa parte de seus arremessos só têm eficácia quando o cronômetro está mais cheio. Sua melhor performance atacando a cesta, por exemplo, acontece quando ainda restam entre 20 e 16 segundos no placar, período em que o armador converteu, até o momento, nada menos do que 59% dos seus tiros.

Pensador, De Colo precisa da bola nas mãos e de uma equipe que jogue em suas costas, que esteja mais apta a arremessar de longe, para que ele possa ter a posse, bater para dentro e criar a finalização para chutadores de média e longa distância. No Toros, a confiança aumenta e as chances de ele ter essa função pelo Spurs seguem a mesma tendência. Popovich já percebeu que tem em mãos um armador puro, aquele que prefere o passe ao chute e é artigo raro, em suas mãos. Está trabalhando com tempo. Tempo este que De Colo precisa mais do que qualquer coisa. E que tem muito mais ao ser Toros do que Spurs.

Sobre Leonardo Sacco

É jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero. Cravou a opção pelo jornalismo no estouro do cronômetro, quando criou o Spurs Brasil em uma madrugada de domingo para segunda. Escreve para o Yahoo! Esportes e dá seus pitacos no @leosacco.

Publicado em 06/01/2013, em Zona Morta. Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. esse frances é incrível…
    quando estava na Liga ACB era genial (assim como o Splitter) e agora precisa aprender a jogar na NBA (assim como o Splitter também precisou) – eu levo muita fé nele!!!

  2. Eu acredito que o De Colo estará preparado para a NBA em três temporadas. Ele tem muito talento e inteligência, mas seu físico chega a ser engraçado para a NBA. Parece um grilo correndo no meio daqueles brutamontes. Jason Kidd, o melhor armador que vi ao vivo depois de Magic, precisou de 15 temporadas pra aprender a arremessar. Naturalmente suas outras qualidades compensavam em muito essa deficiência, o que De Colo ainda precisa provar. Entendam, não estou de forma alguma comparando os dois. Estou apenas dizendo que podemos aproveitar as boas qualidades deste francês (aliás a seleção da França devia pagar uns royalties ao Spurs por treinar e entrosar 3 de seus principais jogadores).
    Acho que ele precisa de um pouco de confiança, coisa que pode adquirir no Toros.

  1. Pingback: Aron Baynes é enviado à D-League « Spurs Brasil

  2. Pingback: D-League não é o fim do mundo « Spurs Brasil

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.