Arquivo diário: 24/12/2012

Spurs (21-8) vs. Mavericks (12-16) – R.I.P. Dallas

129×91https://i1.wp.com/i884.photobucket.com/albums/ac50/glaglauber/Logos%20NBA/DallasMavericks.jpg

O Natal deste ano não será dos mais felizes para Mark Cuban e o seu Dallas Mavericks. O mais polêmico dono de franquia da NBA deve ter arrancado os cabelos durante o clássico texano deste domingo (23), ao ver sua equipe ser simplesmente aniquilada por um dos maiores rivais. Jogando em casa, o San Antonio Spurs ignorou o clima de solidariedade natalina e não teve pena, aplicando uma verdadeira surra no AT&T Center: 129 a 91. Vamos aos destaques.

E lá vem boooomba! (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

Ho, ho, ho! Papai Noel chegou…

… e em seu saco de presentes trouxe uma infinidade de bolas de três pontos. Ao todo, o Spurs converteu 20 arremessos de longa distância, novo recorde da história da franquia. Tudo isso em apenas 30 tentativas, o que garantiu um aproveitamento de 66,7%. A pontaria de Danny Green foi a mais afiada: o camisa #4 converteu sete tiros do perímetro em oito tentativas e foi o cestinha do jogo com 25 pontos. Mas vale frisar; com exceção dos pivôs Tim Duncan, Tiago Splitter e DeJuan Blair e do armador Nando De Colo, todos os outros nove jogadores deixaram a quadra com pelo menos um arremesso longo convertido.

Ainda ouviremos muito falar desse camisa #2 (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

Eterno xodó

E Kawhi Leonard, mais uma vez, fez jus ao status de “queridinho” do San Antonio Spurs. Depois de voltar de lesão na última partida, o ala retornou ao time titular no clássico do Texas e foi um dos melhores em quadra. Além dos 17 pontos convertidos, Kawhi roubou cinco bolas e foi perfeito na marcação de O.J. Mayo, que anotou apenas sete pontos – bem abaixo de sua média de 19,8 pontos por jogo até então.

O freguês voltou!

E falando em volta, quem retornou às quadras nesta partida foi Dirk Nowitzki. O alemão se recuperava de uma atroscopia no joelho realizada há mais de dois meses e fez sua estreia na temporada 2012/2013. Sem ritmo e com os companheiros pouco inspirados, acabou engolido pela defesa rival e deixou a quadra com apenas oito pontos em 20 minutos jogados.

Acabou a maldição?

Se você acompanha o Spurs há algum tempo, já deve estar acostumado com os famosos “apagões” do terceiro quarto. Mas desta vez a “maldição” ficou longe. Foi justamente na volta do intervalo que o San Antonio Spurs teve o melhor momento na partida, ao vencer a parcial por 36 a 14. Nos rebotes – outro problema crônico da equipe – os donos da casa também levaram a melhor, vencendo a briga pelos ressaltos por 41 a 39.

No departamento médico

Quem parece que não terá folga tão cedo são os médicos do San Antonio Spurs. Depois de Stephen Jackson, Manu Ginobili e Kawhi Leonard enfrentarem problemas físicos recentes, agora foi a vez de Gary Neal. O ala-armador torceu o pé direito no início do último quarto e deixou a quadra para não mais retornar. A gravidade da lesão ainda não foi informada.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Danny Green – 25 pontos (7-8 3 PT) e 4 rebotes

Tony Parker – 18 pontos e 6 assistências

Kawhi Leonard – 17 pontos, 5 roubos de bola e 4 rebotes

Tim Duncan – 15 pontos, 5 rebotes e 4 assistências

Dallas Mavericks

Darren Collison – 15 pontos

Vince Carter – 13 pontos e 5 rebotes

Chris Kaman – 10 pontos

Anúncios