Arquivo diário: 22/12/2012

Spurs (20-8) @ Hornets (7-19) – Vitória na volta de Kawhi

99x94

Na noite desta sexta-feira (21), o San Antonio Spurs recebeu o New Orleans Hornets e venceu o adversário pelo placar de 99 a 94. O jogo marcou a volta do ala Kawhi Leonard, que estava machucado desde o dia 17 de novembro. A partida foi a quinta disputada pelo pivô brasileiro Tiago Splitter como titular.

Bem-vindo de volta, Kawhi! (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

O jogo

Embora a equipe do New Orleans Hornets seja inferior tecnicamente, o Spurs teve dificuldades para vencer. No terceiro quarto, o time texano chegou a abrir 16 pontos de vantagem em cima do adversário, mas essa diferença caiu quando o Hornets marcou oito pontos seguidos no último período. Assim, a diferença estava em apenas quatro pontos para o Spurs, restando menos de seis minutos para o término do embate. Foi quando o francês Tony Parker contribui decididamente para o alvinegro. O armador anotou oito pontos nos momentos finais do duelo e carimbou a vitória dos donos da casa e o título de cestinha da partida, com 25 pontos. O Spurs volta a entrar em quadra contra o Dallas Mavericks no próximo domingo (23), enquanto o New Orleans Hornets encara o Indiana Pacers neste sábado (22).

Ele merece a vaga, Pop! (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

Os arremessos

No decorrer da partida, a equipe texana passou a enfrentar um problema: o desempenho ruim nos arremessos de três pontos. No final do jogo, a estatísica era de apenas quatro bolas convertidas de 18 tentativas, o que dá em torno de 22,2% de aproveitamento. Foram muitos os desperdícios de posse nesse setor. Já em bolas de dois pontos, o Spurs foi melhor: foram 58 tentativas e 35 bolas convertidas, algo em torno de 60% de aproveitamento.

Ele voltou!

Kawhi Leonard estava sem jogar desde o dia 17 de novembro devido a uma lesão no joelho. Para sua recuperação, o ala foi enviado ao Austin Toros, time da D-League filiado ao Spurs, mas logo em seguida voltou a integrar o time principal. Na partida de ontem, o atleta contribuiu para a equipe com oito pontos, dois rebotes e dois roubos de bola.

O garrafão

Está cada vez mais evidente que o lugar de titular ao lado de Tim Duncan está sendo merecido por Tiago Splitter. O brasileiro, que foi elogiado pelo ídolo e ex-atleta David Robinson, está provando que faz por merecer sua vaga de titular pelo quinto jogo consecutivo. O pivô, nos jogos em que fez parte do quinteto inicial, tem médias de 11,5 pontos e 6,7 rebotes.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tony Parker – 25 pontos e 5 assistências

Tim Duncan – 15 pontos, 10 rebotes e 5 assistências

Manu Ginobili – 13 pontos e 7 assistências

Boris Diaw – 12 pontos, 5 rebotes e 3 assistências

New Orleans Hornets

Anthony Davis – 18 pontos e 11 rebotes

Greivis Vasquez – 14 pontos e 4 assistências

Ryan Anderson – 12 pontos e 6 rebotes

Brian Roberts – 11 pontos

As Torres Gêmeas 2.0

Na noite de sexta-feira, na vitória do San Antonio Spurs por 99 a 94 sobre o New Orleans Hornets, Tiago Splitter fez parte do quinteto inicial do time texano ao lado de Tim Duncan pelo quarto jogo consecutivo e parece, enfim, ter vencido a concorrência de Boris Diaw e DeJuan Blair para se tornar titular da equipe. Com a nova função do brasileiro na rotação, o técnico Gregg Popovich dá mostras de que está disposto a repetir a maneira de jogar das Torres Gêmeas, dupla de garrafão histórica da franquia formada pelo lendário camisa 21 e por David Robinson entre 1997 e 2003.

Eis a nova edição das Torres Gêmeas (Darren Abate/Express-News)

Desde que o Almirante se aposentou, Duncan não teve outro parceiro de presença no garrafão dos dois lados da quadra como Splitter. O ala-pivô conviveu com defensores interiores, como Rasho Nesterovic, Nazr Mohammed, Fabrício Oberto e Kurt Thomas e com jogadores da posição quatro que atuavam mais afastados da cesta, como Robert Horry e Antonio McDyess. Nenhum desses tem a habilidade do brasileiro para pontuar perto da cesta.

Splitter chegou ao time titular por merecimento. Suas médias em jogos em que começa no quinteto inicial são de 11,5 pontos e 6,7 rebotes por exibição, contra 5,9 pontos e 4,2 rebotes de Blair e 5,4 pontos e 3,4 rebotes de Diaw. Além disso, com o brasileiro em quadra, o Spurs fez 69 pontos a mais do que levou neste campeonato, marca que fica atrás apenas de Tim Duncan (145), Manu Ginobili (140), Tony Parker (136) e Danny Green (76).

De acordo com dados coletados pelo site 82games.com, a dupla Duncan – Splitter aparece em três dos vinte quintetos mais utilizados por Pop na temporada até aqui. Além disso, a combinação formada por Tony Parker, Gary Neal, Manu Ginobili, Tim Duncan e Tiago Splitter é a segunda mais eficiente do Spurs no campeonato, marcando, no total, 26 pontos a mais do que os adversários. A unidade campeã tem Tony Parker, Danny Green, Kawhi Leonard, Boris Diaw e Tim Duncan, com 30 pontos de vantagem em relação aos rivais.

Em quadra, Duncan e Splitter ainda estão aprendendo a jogar juntos. Prova disso é que sempre apenas um se destaca – dificilmente os dois deixam a mesma partida com bons números. Além disso, o protagonista do Spurs, hoje, é Parker, e a equipe utiliza um jogo de alta velocidade, baseado em pick-and-rolls, para potencializar a produção do francês. Isso tende a ajudar falsos jogadores de garrafão que na verdade atuam longe da cesta, como Boris Diaw e Matt Bonner. Por isso, Popovich terá de trabalhar para adaptar a agilidade de seu armador à presença física de sua nova dupla de pivôs.

Para isso, o treinador pode trazer de volta algumas características da época das Torres Gêmeas. As jogadas a seguir foram mostradas no blog Bola Presa quando Mike Brown assumiu o Los Angeles Lakers e disse que pretendia usar Pau Gasol e Andrew Bynum na equipe como Duncan e Robinson eram utilizados no Spurs. A primeira delas mostra os dois jogadores se aproveitando de sua estatura; um para cortar em direção a cesta e se posicionar para o arremesso e o outro para encontrar seu companheiro com um passe alto.

A segunda mostra o estrago que uma dupla deste porte físico pode causar. Duncan e Robinson eram passadores acima da média para seu tamanho – como Splitter também é – e conseguiram se encontrar facilmente no garrafão no caso de dobras.

Por fim, acredite ou não, o entrosamento de Duncan e Robinson era tão grande que o Spurs utilizava até mesmo o pick-and-roll entre os dois, em uma das raras vezes na NBA em que dois pivôs eram utilizados tão perto um do outro em uma jogada desenhada.

David Robinson é uma lenda, que apresentou médias de 21,1 pontos, 10,6 rebotes e três tocos por partida em sua carreira na liga americana e teve sua camisa imortalizada pelo San Antonio Spurs. Tiago Splitter acaba de começar sua trajetória como titular da franquia. Apesar da óbvia diferença, nunca o time esteve tão perto de reeditar o sistema utilizado com maestria pelas Torres Gêmeas. Será o que faltava para a equipe voltar às finais da NBA?