Arquivo mensal: outubro 2012

Spurs (4-3) vs Wizards (3-5) – Vitória no fim da pré-temporada

               100x85

Depois da derrota para o Orlando Magic, a equipe do San Antonio Spurs voltou para Texas e terminou a pré-temporada com uma vitória em cima do Washington Wizards, por 100 a 85, nesta sexta-feira (26).

Tim Duncan foi bem (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

O time texano não contou com o astro argentino Manu Ginobili que foi poupado pelo técnico Gregg Popovich por sentir dores nas costas. Do lado do Wizards, os ausentes foram John Wall, Nenê, Trevor Ariza, Emeka Okafor e Jannero Pargo.

Boa, capitão! (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

No geral, não foi um jogo muito tranquilo. No primeiro quarto, o Wizards deu certo trabalho e ganharam dos donos da casa por 25 a 21. Já no segundo período, o Spurs começou a reagir depois de uma bela jogada do armador Tony Parker. Além do francês, outro jogador que começou a ajudar a equipe texana com pontos e rebotes foi o nosso velho conhecido Tim Duncan. Naquela altura, o ala-pivô já anotava 11 pontos e sete rebotes (três ofensivos e quatro defensivos). Mesmo assim, no intervalo o Wizards vencia por 50 a 47.

A reação texana continuou no terceiro período, quando Duncan anotou mais um rebote de defesa e ligou um contra-ataque com Boris Diaw, que converteu uma bandeja e colocou o Spurs na frente por 61 a 59. O jogo seguia acirrado para o último período, mas foi então que outro nome surgiu para contribuir com o time da casa: o ala Stephen Jackson.

O camisa 3 marcava 11 pontos para a equipe e, a essa altura, Duncan já anotava 13 rebotes, sendo nove deles de defesa. Com o jogo praticamente ganho, o pivô brasileiro Tiago Splitter entrou em quadra no último quarto e não fez feio, anotando sete pontos e sete rebotes nos dez minutos que esteve em quadra.

O San Antonio Spurs começa a temporada regular contra a equipe do New Orleans Hornets no próximo dia 31 de outubro, enquanto o Washington Wizards enfrenta o Cleveland Cavaliers, dia 30, na abertura do campeonato.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 16 pontos e 13 rebotes (nove defensivos e quatro ofensivos)

Stephen Jackson – 16 pontos e quatro rebotes

Tony Parker – 14 pontos e quatro assistências

Kawhi Leonard – 11 pontos e nove rebotes

Patrick Mills – Dez pontos e três assistências

Danny Green – Dez pontos

Washington Wizards

A.J. Price – 13 pontos e duas assistências

Jan Vesely – 13 pontos e quatro rebotes

Earl Barron – 12 pontos e dez rebotes

Jordan Crawford – 11 pontos e quatro assistências

Está tudo bem, Kawhi!

Do atual elenco do San Antonio Spurs, Kawhi Leonard é, talvez, o jogador que traz as melhores perspectivas para o futuro da franquia. Ciente disso, o técnico Gregg Popovich disse, recentemente, que quer aumentar o papel de seu pupilo no ataque do time. No entanto, na pré-temporada, primeira experiência do ala com suas novas responsabilidades, o resultado não foi dos melhores: pouco menos de 27,1% de aproveitamento nos arremessos de quadra. Preocupante? Não. Nada poderia ser mais natural.

Ensina ele, Pop!

Leonard ainda está no início de sua curva de aprendizado. Vai começar apenas sua segunda temporada na NBA e, vale lembrar, a preparação para a última foi encurtada pelo locaute, que atrapalhou principalmente os novatos, que tiveram pouco tempo de adaptação ao sistema tático de suas equipes. Mas o ala se beneficiou de ter um papel relativamente simples no time: defender o astro adversário e, no ataque, ficar parado no perímetro, esperando que as infiltrações de Tony Parker e Manu Ginobili e dobras em Tim Duncan o deixassem livre para arremessos de três pontos.

Para cumprir à risca o papel que lhe foi dado, Leonard mostrou que é daqueles que aprende fácil. Após trabalhar com Chip Engelland, membro da comissão técnica do Spurs especialista em arremessos, o ala, que havia acertado 29,1% de seus tiros do perímetro em seu último ano no basquete universitário, saltou para 37,6% de aproveitamento em sua primeira temporada com o time texano. Nada mal, certo?

Agora, depois de um ano vendo seus companheiros abrirem espaço para seus tiros, Leonard precisa aprender a criar seu próprio arremesso no nível de o jogo exigido pela NBA. O processo já começou na Summer League de Las Vegas, quando o jovem apresentou médias de 25 pontos (47,2% FG, 25% 3 PT, 73,7%), seis rebotes e três assistências por partida nos dois jogos que disputou na competição.

No entanto, jogando contra times, de fato, da NBA, era natural que Leonard encontrasse dificuldade. O ala recebeu liberdade no ataque e tentou 8,1 arremessos por partida na pré-temporada, contra 6,3 do último campeonato. Isso significa que, provavelmente, precisou definir bolas mais difíceis. Normal o aproveitamento cair.

Por isso, creio que Pop saberá dosar a quantidade de tiros que Leonard dará por jogo. O processo de aprendizado do jogador, que hoje tem função semelhante à de Bruce Bowen, pode se dar de maneira lenta porque o Spurs conta com Parker, Manu e Duncan tomando conta do ataque. E, para que isso um dia aconteça, o ala pode errar o quanto quiser hoje.

Spurs dispensa JaMychal Green e Wesley Witherspoon

Fim da linha para Witherspoon

O San Antonio Spurs anunciou, nesta sexta-feira (26), que o ala-pivô JaMychal Green e o ala Wesley Witherspoon não fazem mais parte do elenco da equipe. Eles sequer estarão no banco de reservas na última partida da pré-temporada, contra o Washington Wizards.

Witherspoon disputou três jogos na pré-temporada e alcançou médias de 8,3 pontos e dois rebotes em 15,7 minutos por partida. Já Green, que foi contratado no última dia 22, nem chegou a entrar em quadra.

Com as dispensas, o plantel conta com 15 atletas, o máximo permitido pela NBA para início da temporada regular. Dos concorrentes ao último posto no elenco texano, resta apenas o ala-pivô Josh Powell. No entanto, a franquia pode optar por dispensá-lo a qualquer momento e deixar em branco a 15ª vaga.

Lembrando que, para cada partida oficial, a equipe leva 12 atletas, enquanto outros três podem ser colocados na lista de inativos.

Spurs (3-3) vs Wizards (3-4) – Pré-temporada

San Antonio Spurs vs Washington Wizards– Pré-temporada

Data: 26/10/2012

Horário: 22h30 (Horário de Brasília)

Local: AT&T Center, San Antonio

Cotação no Apostas Online: Spurs 1,34 (favorito) x Wizards 2,97

Após a derrota para a equipe do Orlando Magic por 104 a 100, o San Antonio Spurs volta a jogar em casa nesta sexta-feira (26), desta vez contra a equipe da capital norte-americana, o Washington Wizards. A equipe de Nenê venceu sua última partida, contra o atual campeão da liga, o Miami Heat, por 101 a 94. O time visitante não contará com o pivô brasileiro e com John Wall, ambos afastados pelo departamento médico da equipe.

PG – Tony Parker

SG – Danny Green

SF – Kawhi Leonard

PF – Boris Diaw

C Tim Duncan

Fique de Olho – Danny Green tem mostrado rendimento com a camisa da equipe texana. No jogo contra a equipe do Miami Heat, Green acertou cinco arremessos de três pontos e liderou o Spurs com 17 pontos e quatro rebotes. Já na derrota perante o Magic, o ala-armador anotou 13 pontos e dois rebotes.

PG – A.J. Price

SG – Bradley Beal

SF – Trevor Ariza

PF – Emeka Okafor

C Trevor Booker

Fique de Olho – Na vitória sobre o time do Miami Heat, o armador A.J. Price mostrou que pode assumir a liderança da equipe do Wizards durante a ausência de John Wall. O jogador atuou durante 24 minutos e contribuiu com 11 pontos e cinco assistências.

Com o jeito “caipira”

Estamos quase lá… Falta muito pouco para a temporada 2012/2013 começar. A bola sobe pra valer na NBA a partir da próxima terça-feira (30), com três partidas, mas o San Antonio Spurs estreia um dia depois, em duelo contra o New Orleans Hornets (com transmissão da ESPN). Entre os especialistas, quase nenhum coloca os texanos na briga pelo título, mas isso não deve abalar os jogadores do elenco de Gregg Popovich.

Não mexam com os homens do Oeste…

Pouca badalação, analistas não muito esperançosos, torcida um tanto quanto desconfiada. Foi mais ou menos com este cenário que o Spurs começou suas últimas temporadas. Este ano a situação é parecida. Em votação realizada entre os General Managers da NBA, nenhum apontou o Spurs como futuro campeão. Na mídia norte-americana, Los Angeles Lakers e Miami Heat dominam as pautas quando o assunto é candidatos ao título, enquanto os texanos raramente aparecem.

Nos últimos anos, o time de San Antonio deixou de carregar o status de favorito e passou a adotar o estilo caipira, o famoso  “come-quieto”. Enquanto todos voltam seus olhos para os elencos estelares montados em Los Angeles e Miami, os texanos aparecem de fininho para se intrometerem entre os favoritos.

Sangue jovem é a esperança do Spurs para se manter no topo mais uma temporada

Se a cada novo início de temporada circulam discursos sobre o fim da “Era Duncan”, em quadra o que se vê é um Spurs altamente competitivo, que liderou a Conferência Oeste nas duas últimas temporadas regulares.

É bem verdade que o título não veio, mas ano após ano a franquia mostra que, mesmo com seus astros já com idade avançada, continua entre as melhores equipes da NBA. Se Duncan e Ginobili não são mais garotos, continuam desfilando categoria e eficiência em quadra, além de contarem com o apoio de excelentes coadjuvantes.

E é novamente nesses coadjuvantes que o Spurs se apoia para voltar a surpreender os favoritos. Com toda a base do ano passado mantida, a equipe confia em nomes como Danny Green, Kawhi Leonard e Boris Diaw para ajudar o trio de ferro a ir em busca de mais um título da NBA.

Enquanto os holofotes se viram para a Califórnia e para a Flórida, o Texas, quietinho quietinho, e com seu jeito caipira, se prepara para roubar a cena outra vez.