Arquivo diário: 20/10/2012

Spurs (3-2) @ Heat (3-2) – Derrota para os campeões

101x104

O San Antonio Spurs sofreu sua segunda derrota na atual pré-temporada neste sábado (20), contra o Miami Heat, na American Airlines Arena. O jogo foi decidido apenas nos seus momentos finais e a equipe visitante contou com a boas atuações de Danny Green e Tim Duncan. Do lado dos donos da casa, que não contaram com LeBron James, Rashard Lewis marcou 11 dos seus 15 pontos no último quarto.

Duncan foi bem, mas atuação do ala-pivô não foi o bastante (Issac Baldizon/NBAE/Getty)

Como em todo jogo de pré-temporada, os técnicos experimentaram vários jogadores e, no último quarto, apenas os reservas se mantiveram em quadra. No primeiro período, o Spurs saiu na frente e chegou abrir certa vantagem, mas Dwyane Wade tomou à frente e colocou o Heat no jogo, virando o placar.  O astro do time de Miami terminou o jogo com 13 pontos. 

O terceiro quarto foi o momento em que o Spurs conseguiu reagir e ficar de novo na frente do placar. Os visitantes terminaram a parcial com sete pontos de vantagem. Já no último período, o Heat bateu o Spurs por 27 a 16. Josh Harrelson fez uma cesta de  três pontos com 1:01 restanto no relógio, colocando o Heat na frente por 102 a 99 e selando a vitória.

Green estava calibrado (Issac Baldizon/NBAE/Getty)

Apagados

Tony Parker e Manu Ginobili não mostraram muito o seu basquete no jogo de hoje. O francês, por exemplo, só ficou em quadra durante o primeiro quarto. Em oito minutos de ação, o armador distribuiu três assistências, mas não marcou nenhum ponto. Já Manu Ginobili teve um pouco mais de tempo de quadra para ajudar seu time. No entanto, o arremesso do argentino não estava calibrado como normalmente. O camisa 20 acertou apenas um tiro e errou outros seis durante os 19 minutos que pisou em quadra.

Tiago

Tiago Splitter foi muito eficiente no jogo deste sábado. O brasileiro só passou oito minutos jogando e conseguiu marcar nove pontos. O pivô acertou os quatro tiros de quadra que tentou.

Timmy e Green 

Os maiores pontuadores da equipe texana foram Tim Duncan e Danny Green. Os dois titulares contribuíram com 31 pontos juntos. Timmy em apenas 16 minutos marcou 15 pontos e coletou seis rebotes. O pivô parece bem em forma para a temporada e errou apenas três arremessos dos sete que tentou.

Já Green teve uma atuação ainda mais destacada. O ala-armador acertou cinco arremessos de três e liderou o Spurs com 17 pontos feitos.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Danny Green – 17 pontos e quatro rebotes

Tim Duncan – 15 pontos e seis rebotes

Gary Neal – 12 pontos e dois rebotes

Kawhi Leonard – Dez pontos, quatro rebotes e quatro assistência

Miami Heat

Rashard Lewis –  15 pontos e três rebotes

Dwyne Wade – 13 pontos e cinco assistências

Mike Miller – 12 pontos e cinco rebotes

Josh Harrellson – Dez pontos e cinco rebotes

Norris Cole – Dez pontos e três rebotes

Spurs (3-1) @ Heat (2-2) – Pré-temporada

San Antonio Spurs @ Miami Heat – Pré-temporada

Data: 20/10/2012

Horário: 16h30 (Horário de Brasília)

Local: American Airlines Arena

Cotação no Apostas Online: Spurs 2,56 x Heat 1,45 (favorito)

O San Antonio Spurs vem de uma boa vitória sobre o Houston Rockets, quando se recuperou de sua única derrota na pré-temporada – o revés foi  contra o Denver Nuggets.  Agora, o grande teste acontece contra o atual campeão da NBA, Miami Heat.

PG – Tony Parker

SG – Danny Green

SF – Kawhi Leonard

PF – Boris Diaw

C – Tim Duncan

Fique de Olho – Green está cada vez achando mais seu espaço no time e na quadra. O ala-armador se tornou o titular da posição na temporada passada e tudo indica que isso continue no campeonato que vai começar. Na última vitória do Spurs, sobre o Houston Rockets, Danny fez 15 pontos em quase 20 minutos.

PG – Norris Cole

SG – Dwyne Wade

SF – LeBron James

PF – Shane Battier

C – Chris Bosh

Fique de Olho – Wade está mostrando que está totalmente recuperado das lesões que o acompanharam na temporada passada. O ala-armador fez 21 pontos na vitória do seu time contra o Detroit Pistons na quinta-feira (18).

Festus Ezeli, o destino e o San Antonio Spurs

Entre as dezenas de novatos que se preparam para a próxima temporada da NBA, um deles me inspirou para ser tema desta coluna: Festus Ezeli. O pivô nigeriano, de 22 anos de idade e 2,11 m de altura, se prepara para estrear na liga profissional americana com a camisa do Golden State Warriors, equipe em que terá de suar para ganhar minutos em meio a David LeeAndrew Bogut e Carl Landry. Mas o que ele tem a ver com o San Antonio Spurs? É uma longa história…

Até que a camisa azul caiu bem… (Nick Laham/Getty Images North America)

Nesta pré-temporada, Ezeli tem se aproveitado da situação de Bogut, que ainda se recupera de lesão sofrida no último campeonato, para começar as partidas no posto de pivô titular. Em cinco jogos até aqui, o nigeriano apresentou médias de 6,2 pontos (81,3% FG, 45,5% FT), cinco rebotes e dois tocos por exibição. Números que mostram que o jogador tem potencial para fazer o chamado trabalho sujo no garrafão.

Apesar de ser nigeriano, Ezeli fez carreira no basquete universitário dos Estados Unidos. Em sua quarta e última temporada por Vanderbilt, o big man apresentou médias de 10,1 pontos (53,9% FG, 60,4% FT), 5,9 rebotes e dois tocos em 23,2 minutos por partida. Seu desempenho chamou a atenção dos sites especializados em Draft: o NBADraft.net listou a força física, a defesa e o rebote entre as principais virtudes do pivô, enquanto o DraftExpress comparou seu jogo ao de Samuel Dalembert. De acordo com os relatos, parece um ótimo reforço para o Spurs, certo?

O problema é que, no último Draft, o time de San Antonio teve acesso apenas a Marcus Denmon, 59º e penúltimo novato a ser selecionado no recrutamento. Enquanto isso, o Warriors usou a 30ª escolha para selecionar Ezeli. O número parece familiar? Pois foi justamente o bônus enviado quando a franquia texana recebeu o ala Stephen Jackson e enviou Richard Jefferson para a Califórnia.

Entendam: esta coluna não se trata de uma crítica. Longe disso! Primeiro porque o Spurs sempre se sai bem no Draft. Segundo porque seria completamente impreciso cravar que o time também selecionaria Ezeli na 30ª posição. Por fim, porque hoje apontamos a defesa de garrafão como uma carência porque a franquia solucionou outra, mais urgente: a ala, com a chegada de Jackson e também do jovem e promissor Kawhi Leonard.

O objetivo deste meu texto é apenas mostrar o desdobramento de uma decisão que a franquia tomou na última temporada e que, até hoje, tem impacto na NBA. Em uma liga competitiva como a americana de basquete, qualquer detalhe, qualquer diferença, qualquer contratação pode fazer a diferença. Hoje, de olho no garrafão, o Spurs vê Derrick Brown, Josh Powell e Eddy Curry brigarem pela última vaga do elenco. Que, em um universo paralelo, poderia ser de Ezeli.