Arquivo diário: 30/09/2012

Mais uma temporada, menos uma temporada; Stars dá adeus

No sábado (29), o San Antonio Silver Stars fez seu último jogo da temporada de 2012 da WNBA. Foi o segundo jogo de uma série de três para saber qual time chegaria à final da Conferência Oeste: o San Antonio ou o Los Angeles Sparks. A primeira partida, na Califórnia, parecia estar completamente a favor da equipe visitante. As texanas conseguiram abrir uma vantagem de 12 pontos, que foi quebrada em uma corrida implacável com jogadas de Candace Parker e Kristi Toliver (que alcançou seu recorde em pontos na carreira nesse dia). Quando o placar ficou empatado, o duelo atingiu o seu ápice. O melhor basquete de ambas as equipes foi apresentado naquela quadra, que não era a oficial do Sparks. Muita velocidade com eficiência rolou naquele lugar. Nos últimos segundos, Becky Hammon teve a chance de fechar o compromisso com vitória se tivesse acertado um arremesso de três. Porém, o rebote caiu nas mãos da número 3 do rival (sim, Candace Parker), e a partir daí as donas da casa asseguraram a o bom início nos playoffs.

Dois dias depois, o San Antonio teve a chance de garantir a continuidade no campeonato. Mas, assim como no jogo anterior, o estádio não era o oficial do Los Angeles. Assim como o Freeman Coliseum não era o AT&T Center, aquele não era o San Antonio Silver Stars em quadra. Jogando “em casa”, as donas do recinto chegaram a ficar 22 pontos atrás no placar. Nos dois últimos quartos, de maneira emocionante, essa diferença TODA foi eliminada e a partida ficou empatada. Ainda assim, o estrago já estava feito.

A tática das faltas não deu certo e só aumentou novamente a vantagem do Sparks. Os arremessos de três pontos, que anteriormente levaram a recuperação para as garotas do Texas, não eram eficientes e, como alguns comentaristas gostam de dizer, “a vaca deitou” para a equipe.

A pior parte de o San Antonio ter sido eliminado é esse ser o melhor esquadrão de Dan Hughes desde 2008. Mesmo sem uma pivô decente, esse time fez o que era esperado pela primeira vez desde aquele ano, em que a final definitiva foi duelada contra o Detroit Shock.

Toliver x Robinson; melhor para a angelina

2012 foi uma temporada de superação. Foi uma temporada de amadurecimento e novas opções. Danielle Robionson se tornou uma profissional. Essa jovem armadora está, de verdade, aprendendo com Becky Hammon. Jayne Appel jogou bem – em algumas partidas. Neste ano, Appel foi mais motivo de comentários positivos do que negativos. Ela errou muito, sim, mas se mostrou capaz de fazer aquilo para o que foi chamada. Shenise Johnson não foi uma novata nula. Ela, inclusive, foi autora de bolas de três pontos e jogadas que mudaram o destino do San Antonio em alguns momentos dessas duas partidas dos playoffs.

Becky Hammon e Sophia Young foram líderes. Quando uma não estava, a outra se apresentava. As duas jogadoras foram incríveis. Representaram o time com um único propósito e objetivo.

O texto de hoje, caros leitores, está sim emotivo. E ele está assim porque o fim dessa temporada foi triste. A performance do San Antonio foi irreconhecível diante do potencial que poderia ter sido colocado em prática.

A WNBA continua, no entanto, e essa coluna também, até o fim dela. Na semana que vem, o Los Angeles e o Minnesota já podem estar disputando o título da Conferência Oeste.

No próximo domingo, venha até o Spurs Brasil para entender melhor a eliminação do Stars como consequência de atitudes que deveriam ter sido tomadas há três anos.

A boa notícia? É muito boa. Sophia Young renovou seu contrato com o San Antonio Silver Stars. Os termos do novo vínculo não foram divulgados, mas é para pelo menos duas temporadas. Ou seja, o técnico Dan Hughes pretende manter a base da equipe.

Um abraço!
Continuem acompanhando a temporada no Dentro da WNBA!

De Colo: “Estou muito contente por estar aqui”

Versátil, De Colo está pronto para atuar nas posições 1 ou 2 (Foto: Jamie Squire/Getty Images Europe)

Em entrevista ao portal brasileiro Basketeria, o francês Nando De Colo, único novato do San Antonio Spurs garantido para a temporada 2012/2013, falou de suas primeiras impressões ao desembarcar no basquete da NBA. Aos 25 anos, o ala-armador, draftado em 2009 na 53ª escolha, é a principal novidade no elenco texano.

“Estou muito contente por estar aqui em San Antonio e poder começar a temporada com este time. É uma nova experiência para mim, com muitos objetivos”,  declarou o jogador.

De Colo reconhece que a concorrência para ganhar tempo de quadra será grande. Com 1,96m de altura, pode jogar de armador ou como ala-armador, posições onde reinam absolutos Tony Parker e Manu Ginobili. Entre as demais opções do elenco, o novato disputará a preferência de Gregg Popovich diretamente com Patrick Mills, Cory Joseph, Gary Neal e Danny Green.

“Vou esperar para ver o que o treinador quer de mim e treinarei duro para ganhar meu lugar”, disse. “Sim, a verdade é que há muitos jogadores nas duas posições, mas vou ver em que posição o técnico precisa de mim e vou treinar duro para desenvolver o meu jogo”, completou o francês.

Apesar de estar prestes a iniciar sua primeira temporada na NBA, Nando De Colo já conhece bem alguns de seus companheiros. O ala-armador já atuou diversas vezes com Tony Parker e Boris Diaw na seleção francesa e também jogou algumas partidas com Tiago Splitter, no período em que o pivô se transferiu para o Valência durante o locaute da NBA.