Arquivo diário: 23/09/2012

Vantagens e desvantagens na semifinal

Este domingo (23) foi o último dia da temporada regular de 2012 da WNBA. Para alguns times, como o Phoenix Mercury, o Tulsa Shock (Oeste), o Chicago Sky e o Washington Mystics (Leste), esse é o fim de mais um ciclo. Para outros, apenas o começo. Dentre esses outros, o San Antonio é um dos privilegiados, assim como o Los Angeles Sparks. As duas equipes se enfrentarão na primeira fase dos playoffs. Tenho motivos para estar otimista e acreditar que Dan Hughes será capaz de levar suas garotas para a final da conferência. Quer saber o por quê?

1. Confrontos na temporada regular
O primeiro fator que me leva a cogitar uma classificação do San Antonio para a segunda fase da eliminatória é a quantidade de vitórias contra o Los Angeles no campeonato. De quatro partidas, três foram vencidas pelo time texano, e apenas uma pelo californiano. Uma olhada nos placares: 98 a 85 (SA); 91 a 71 (SA); 94 a 80 (SA); 77 a 101 (LA – vale ressaltar que essa foi a primeira derrota do Stars depois daquela sequência de 12 vitórias).

Sophia Young defendendo Candace Parker; duelo se repetirá na semifinal de conferência

2. “Home court advantage”? Ou não?
Não sou muito a favor da teoria da vantagem de ter jogo em casa, quanto mais em uma etapa tão importante quanto os playoffs. Independente de onde a partida aconteça, qualquer deslize é mortal e pode causar a eliminação, e as jogadoras sabem disso muito bem. Porém, digamos que esse realmente seja um fator importante. Nessa semifinal, o Stars perdeu a oportunidade de fazer dois jogos no AT&T Center; portanto, serão dois em Los Angeles e apenas um em San Antonio. Quando olhamos as estatísticas dos times até agora, em questão de campanhas “dentro de casa”, o Sparks leva vantagem (16-1 sobre 12-5). Já no “fora de casa”, o Stars sai na frente (9-8 sobre 8-9). Diretamente entre os dois, dos quatro jogos entre as equipes mencionados anteriormente, Becky Hammon e suas companheiras ganharam dois no Texas e um sob o teto de Candace Parker. Outro fator favorável.

3. Banco de reservas
Quem acompanha essa coluna leu muitas vezes sobre a eficiência do banco do San Antonio Silver Stars. Em várias partidas, quem deu o toque final às vitórias e às viradas foram aquelas que estavam sentadas início. O mesmo não acontece com o Los Angeles Sparks, sendo que uma de suas reservas até esteve parada em diversos jogos: Nicky Anosike. Hoje (23), contra o Minnesota Lynx, Dan Hughes descansou Sophia Young e Becky Hammon, e deixou apenas as reservas em quadra, contra as titulares campeãs da liga. Resultado? 99 a 84 para as estrelas prateadas.

4. Becky Hammon e Sophia Young
Falta ao Los Angeles Sparks uma dupla que se complete de modo tão perfeito quando Becky Hammon e Sophia Young. Juntas há seis anos, a cada temporada a parceria em quadra entre as duas aumenta  e suas jogadas se tornam mais mortais. O Los Angeles tem como principais nomes Candace Parker e Kristi Toliver, mas uma não completa a outra. São elementos cujo destaque é individual, e Stars consegue lidar com isso com a defesa.

Estes são apenas alguns dos elementos capazes de dar continuidade à campanha do San Antonio Silver Stars em 2012. Deu para deixá-los animados? Por mim, a semana começaria na quinta-feira (27), quando as meninas enfrentam o Sparks, às 22h. Dois dias depois, no sábado (29), às 15h, o confronto será em San Antonio. PORÉM (aí vem a notícia ruim), não no AT&T Center. Decidiram mudar o local devido a um show cujos ingressos foram esgotados. Triste, não é mesmo? Agora, a partida acontece no Freeman Coliseum, um estádio para eventos menores. Os Season Ticket Holders estão enfurecidos, e com razão. Aquela arena é clássica para das franquias de San Antonio (Spurs e Silver Stars), e o brilho de uma das fases mais importantes da liga será ofuscado por um estádio bem menor e sem estrutura específica para eventos dessa magnitude.

Na semana que vem, espero dar a boa notícia de que Becky Hammon, Sophia Young, Jia Perkins, Danielle Robinson e suas companheiras fizeram jogos incríveis contra o Los Angeles e estão na final da conferência Oeste. Quem eu acho que vai passar do outro confronto, o do Minnesota Lynx contro o Seattle Storm? O Minnesota, claro.

Até mais!

Rafael Hettsheimeir assina com o Real Madrid, diz jornal

Hettsheimeir com a camisa do Zaragoza; pivô vai continuar no basquete espanhol

Acabou o sonho que os torcedores do San Antonio Spurs tinham de ver Rafael Hettsheimeir atuando com a camisa do time na próxima temporada da NBA. De acordo com reportagem do jornal espanhol Marca, o pivô brasileiro acertou com o Real Madrid.

Em julho, surgiu o rumor de que o Spurs estaria interessado na contratação de Hettsheimeir. Depois, no início deste mês, a possibilidade do pivô brasileiro ir para a NBA ganhou força com o interesse de Cleveland Cavaliers e Dallas Mavericks. Mas, no fim, o jogador preferiu continuar no basquete espanhol.

Na última temporada, Hettsheimeir, que se recupera de lesão no joelho esquerdo, apresentou médias de 13,3 pontos e 6,4 rebotes em 30,1 minutos por exibição atuando pelo Zaragoza na Liga ACB, o Campeonato Espanhol de basquete.

Leia mais: veja quem pode chegar e quem pode deixar o San Antonio Spurs