Arquivo diário: 15/09/2012

Que tal Kyrylo Fesenko?

Não é segredo para ninguém que a peça que falta para que o San Antonio Spurs possa brigar pelo título da NBA é um jogador de garrafão alto, com presença física. No atual elenco, a franquia conta apenas com dois jogadores com essas características: Tim Duncan e Tiago SplitterBoris Diaw funciona melhor jogando afastado da cesta, assim como Matt Bonner, enquanto DeJuan Blair é baixo para a posição. E, entre rumores da imprensa local, surgiu um nome que poderia dar certo: Kyrylo Fesenko.

Fesenko ficou feliz ao ler este artigo

O pivô ucraniano de 25 anos de idade e 2,16 m de altura vem de uma temporada em que mal pisou na quadra. Fesenko disputou apenas três jogos pelo Indiana Pacers no último campeonato, apresentando, em média, 2,7 pontos e três rebotes em 5,7 minutos por partida. Por isso, o jogador agora trabalha para encontrar uma equipe – além de fazer treinos com a comissão técnica do Spurs, o big man deve ser avaliado também por Atlanta Hawks, Cleveland Cavaliers e Miami Heat.

Fesenko seria um bom nome para ficar no banco de reservas e entrar em partidas em que o trabalho sujo se faça necessário. Por não ser um nome de peso, o pivô não exigiria muitos minutos e poderia até ficar partidas inteiras sem entrar em quadra, sendo acionado apenas quando uma presença mais física no garrafão fosse necessária – como foi nos playoffs do ano passado, na série contra o Oklahoma City Thunder, válida pela final da Conferência Oeste. E o Spurs não tinha esse homem no plantel.

Como bem destacado pelo site americano Project Spurs, a eficiência é um dos pontos fortes de Fesenko. Usando estatísticas avançadas, o ucraniano tem média de 8,7 rebotes e 1,7 tocos a cada 36 minutos em sua carreira na NBA, o que mostra que sua especialidade é mesmo o chamado “trabalho sujo”. Além disso, o aproveitamento de 49% nos arremessos de quadra mostra que ele não chega a ser uma negação no ataque.

Entre os nomes que surgiram em rumores da imprensa americana, Fesenko é meu favorito. Claro que Greg Oden, que estaria na mira do Spurs, poderia render mais, mas seu histórico de lesões me deixa com um pé atrás. Outro nome especulado foi o do brasileiro Rafael Hettsheimer, que, no entanto, teria de amadurecer seu jogo na NBA antes de causar impacto. Além deles, foram especulados nomes pouco conhecidos, como os alas-pivôs Japeth Aguilar, Tyler Wilkerson e Warren Carter e o pivô Brian Butch.

No mercado de agentes livres, existem nomes que me agradariam mais, como Kenyon Martin, Darko Milicic e Chris Andersen – ainda que pese contra o último recentes acusações de pedofilia. No entanto, aparentemente, o Spurs não tem interesse no trio. Por isso, sou a favor da chegada de Fesenko, que, ainda que modesto, seria um reforço com as características que faltam no elenco texano.

Anúncios