Arquivo diário: 08/07/2012

Sete, o número da perfeição

No post da semana passada, eu reportei aqui que o San Antonio Silver Stars havia ganhado todos os três jogos da semana, certo? Bom, não quero ser repetitiva, mas neste domingo (8) eu preciso informá-los que o time ganhou as quatro partidas das quais participou nesses últimos sete dias. Phoenix Mercury, Indiana Fever, Washington Mystics e New York Liberty foram os adversários que precisaram se defender de um time que ninguém imaginava ser capaz de alcançar essa campanha.

Então, se foram três jogos bem-sucedidos em uma semana e 4 na outra, o técnico Dan Hughes conseguiu levar suas garotas a uma corrida de sete vitórias e nenhuma derrota, tendo encontrado pelo caminho o Los Angeles Sparks (duas vezes), o campeão Minnesota Lynx, o bicampeão Phoenix Mercury, a MVP Tamika Catchings quando enfrentou o Indiana Fever, o Washington Mystics e o New York Liberty.

San Antonio Silver Stars vivendo sua melhor fase no estilo #OusadiaEAlegria

Desses rivais, o mais difícil seria o Indiana Fever. Mas isso não quer dizer que a partida foi fácil. Pelo contrário. No intervalo, o jogo estava com 15 pontos de diferença a favor da equipe do Leste. O placar final? 88 a 72 para o San Antonio. Foi nesse dia que Becky Hammon se apresentou com 100% de aproveitamento da linha de três (3-3) e fez 19 pontos para liderar seu time à vitória.

Ao lado da veterana, Sophia Young e Danielle Adams têm sido as peças-chave do time. Uma das minhas jogadas preferidas da semana foi contra o Indiana Fever, aos 8:39 do terceiro quarto, quando o jogo estava empatado em 59 a 59. Jia Perkins passou a bola para Danielle Adams, que estava perto do garrafão vazio. A ala viu Sophia Young passar para debaixo da cesta e, de costas, por cima de seus ombros e da marcadora, fez o passe para a camisa 33 marcar os dois pontos que deram a vantagem às texanas.

É possível perceber nessa sequência vitoriosa das duas últimas semanas que cada jogadora conseguiu encontrar o melhor de si e colocar em quadra para proveito de todas. Por exemplo: se Jia Perkins é boa em arremessos, é isso que ela vai fazer, e com primazia. O mesmo acontece com Shamika Christon. Danielle Robinson amadureceu de maneira incrível. É raro ver suas jogadas afobadas, e seu arremesso de curta distância está matador (eu sempre morria de medo quando ela se preparava para lançar a bola). Até mesmo Jayne Appel está menos pior, mas ainda assim merece mais tempo de banco. Ah, Shenise Johnson, a novata, cresce a cada partida que é usada por Dan Hughes. Ziomara Morrinson, assim que pegar mais tempo de quadra e entrar mais no pique da WNBA, será uma pivô consistente e forte.

Becky Hammon com suas tradicionais bandejas completamente fora do alcance de marcadoras e cestas de 3 pontos, certamente alcançará posições muito maiores na Corrida ao MVP da WNBA.

A fase é muito boa para o San Antonio Silver Stars, e muito se diz entre os torcedores que isso acontece porque o Seattle Storm está sem Lauren Jackson e o Phoenix Mercury sem Diana Taurasi. Conversa furada. O Minnesota Lynx está com o time completo e as Stars ganharam delas. O Indiana Fever também está com o elenco impecável, contando com a MVP, e aconteceu uma virada espetacular a favor do esquadrão de Dan Hughes na quinta-feira (5). O Phoenix realmente está sem Diana Taurasi, mas DeWanna Bonner fez 38 pontos e a novata Samantha Prahalis foi muito bem na terça (3). Portanto, não hesito em afirmar que o San Antonio Silver Stars tem vencido por mérito próprio e não por desfalques dos rivais.

Assim, surge uma nova esperança (só para confirmar um post que fiz aqui) unida a uma verdade: existe um time em San Antonio que pode brigar pelo título contra as equipes mais forte da WNBA.

Só não arrisco que o primeiro lugar do Oeste pode ser alcançado nessa semana porque o Minnesota Lynx tem dois jogos contra o Tulsa Shock, e perder para esse time está completamente fora de cogitação.

Com campanha 11-5 e o segundo lugar da conferência Oeste, o Silver Stars tem só a próxima semana até a WNBA entrar no intervalo olímpico. Os compromissos serão contra o Chicago Sky (quarta-feira, 11/07) e o Atlanta Dream (sexta-feira, 13/07). Houve um jogo contra cada um desses times até agora, e os resultados foram doloridos. Porém, o Stars vive um momento diferente, e acredito que teremos mais duas vitórias pela frente, seguidas de um intervalo tranquilo com campanha 13-5. Lindo, não?

Espero confirmar isso para vocês na próxima semana, quando já começaremos a nos preparar para as Olimpíadas.

Um abraço feliz!