Arquivo diário: 27/06/2012

Draft 2012 – O garrafão

Depois de falar dos armadores e dos alas avaliados pelo San Antonio Spurs para o próximo Draft, o especial produzido pelo Spurs Brasil mostra os atletas de garrafão observados pela franquia texana nas semanas que antecederam o recrutamento de calouros, que acontece nesta quinta-feira (28).

O badalado Andre Drummond: carta na magna do San Antonio Spurs?

Desde a aposentadoria de David Robinson, as posições 4 e 5 sempre foram consideradas carências do elenco texano. Isso mudou um pouco com as chegadas de Boris Diaw, Tiago Splitter e DeJuan Blair. No entanto, os dois últimos, assim como Matt Bonner, deixaram os últimos playoffs em baixa. Por isso, a franquia pode prestar atenção especial ao garrafão – principalmente se Tim Duncan, que é agente livre no verão, surpreender a todos e resolver se aposentar ou assinar com outra equipe.

Conheça a seguir os prospectos para o garrafão que o Spurs analisou nas últimas semanas. Vale lembrar que, salvo qualquer troca, a franquia texana terá apenas a 59ª e penúltima escolha do recrutamento desta quinta.

Andre Drummond – Connecticut Huskies
Com apenas 18 anos de idade, Andre Drummond é considerado um dos melhores atletas do Draft de 2012. Na última temporada – sua primeira no basquete universitário – o pivô apresentou médias de dez pontos (52,8% FG, 29,5% FT), 7,6 rebotes e 2,7 tocos em 28,4 minutos por exibição com o Connecticut Huskies. Por conta da velocidade e do atleticismo do jogador, especialistas acreditam que ele já tem capacidade para causar, imediatamente, um impacto semelhante ao de DeAndre Jordan. No entanto, os mais otimistas apostam que o big man é capaz de desenvolver um jogo ofensivo semelhante ao de Amare Stoudamire. O pivô, que foi um dos primeiros prospectos avaliados pelo Spurs, deve sair no começo do Draft e só vai desembarcar em Sas Antonio se a franquia local conseguir alguma troca.
Status: Possível só via troca

Kyle O’Quinn – Norfolk State Spartans
Versátil, Kyle O’Quinn, que pode atuar nas posições 4 e 5, foi observado pelo Spurs no fim de maio. Nesta temporada, sua quarta e última no basquete universitário, o jogador apresentou médias de 15,9 pontos (57,3% FG, 18,8% 3 PT, 69,6% FT) 10,3 rebotes e 2,6 tocos em 31,3 minutos por exibição. Especialistas colocam Ekpe Udoh como sua comparação mais otimista na NBA, e Josh Powell como a mais pessimista. Como deve ser escolhido do meio para o fim da segunda rodada, O’Quinn é uma opção viável para o Spurs.
Status: Pode chegar à 59ª escolha

Henry Sims – Georgetown Hoyas
Cotado para ser escolhido entre o meio e o fim da segunda rodada do próximo Draft, Henry Sims pode estar disponível quando a 59ª escolha chegar. Por isso, especialistas dizem que ele pode acabar no Spurs. Nesta temporada – sua quarta e última no basquete universitário – o pivô apresentou médias de 11,6 pontos (46,2% FG, 70,8% FT), seis rebotes, 3,5 assistências e 1,4 tocos em 27,5 minutos por exibição. Sua envergadura, bem usada nos ganchos e nos tocos, e sua habilidade em passar a bola são apontados como pontos fortes, mas o posicionamento para rebotes e o arremesso de média distância precisam melhorar.
Status: Pode chegar à 59ª escolha

Ricardo Ratliffe – Missouri Tigers
Apesar de não estar presente nas listas dos 60 melhores prospectos dos principais sites sobre o Draft, Ricardo Ratliffe parece ter recebido um voto de confiança do Spurs, já que treinou com a comissão técnica da franquia restando menos de uma semana para o Draft. Provavelmente, o ala-pivô estará disponível quando a 59ª escolha chegar. Nesta temporada, sua quarta e última no basquete universitário, o jogador apresentou médias de 13,9 pontos (69,3% FG, 69,1% FT) e 7,5 rebotes em 26,2 minutos por partida. Especialistas destacam sua eficiência para pontuar e sua movimentação sem bola como pontos fortes, mas alertam para a baixa estatura – semelhante à de DeJuan Blair – e para a dificuldade em marcar jogadores no perímetro.
Status: Deve chegar à 59ª escolha

Anúncios

Com Splitter poupado, Brasil vence a Nova Zelândia

Splitter ficou fora do primeiro amistoso da seleção (Gaspar Nóbrega/Inovafoto)

Com o pivô Tiago Splitter poupado, a Seleção Brasileira venceu seu primeiro jogo no Torneio Eletrobrás contra a Nova Zelândia por 73 a 49 nesta terça-feira (26). A partida, realizada na cidade de São Carlos (SP), marcou a volta de Nenê e a estreia do americano naturalizado brasileiro Larry Taylor.

A partida foi tranquila. O técnico Rubén Magnano poupou, além do pivô do San Antonio Spurs, o armador Marcelinho Huertas e Leandrinho (com problemas de seguro), optando por começar a partida com Raulzinho na armação. Desde o começo, o Brasil mostrou uma defesa muito forte em cima da saída de bola adversária, o que permitiu sua vitória. A pouca eficiência da seleção neozelandeza também contribuiu para o resultado final da partida.

O cestinha brasileiro foi o ala Marquinhos, que anotou 14 pontos.

A seleção brasileira volta a jogar nesta quarta-feira (27), às 21h30 contra a seleção da Nigéria. O torneio, que é considerado uma preparação para os Jogos Olímpicos de Londres, conta ainda com a participação da Grécia.