Arquivo diário: 24/06/2012

Title IX

Neste domingo (26), o assunto desta coluna irá um pouco além do San Antonio Silver Stars ou do basquete feminino. Hoje, contarei um pouco sobre a lei que mudou o esporte feminino nos Estados Unidos, um dos principais caminhos para a chegada ao atual cenário da WNBA. Será uma apresentação breve.

Lá perto dos anos 1970, o senador norte-americano Birch Bay estava lendo a sessão de esportes de um jornal. Conhecendo um pouco da cultura dos Estados Unidos, podemos deduzir que as notícias eram principalmente sobre o basquete, o futebol americano e o baseball… claro, todos eles praticados por homens. Nesse dia, porém, o que chamou mais a atenção do leitor mencionado acima não foi o nome de quem fez mais pontos no dia anterior, ou a previsão para o vencedor da temporada. O que fez seus olhos saltarem e sua mente imaginar um futuro melhor e de igualdade para as mulheres foi uma manchete de um jogo de basquete feminino na noite anterior.

Senador Birch Bayh correndo com universitárias de Purdue, umas das primeiras beneficiadas com a lei a favor da igualdade no esporte

Mais tarde, em 1972, é aprovado pelo Congresso o Educational Amendments of 1972, que permite direitos iguais de estudos a todos os cidadãos do país. Dentro dessa lei, estava uma sessão chamada Title IX, na qual continha o seguinte: “Ninguém nos Estados Unidos será, baseado no sexo, excluído de participar, ter autorização negada, ou ser proibido por autoridades, por discriminação, de qualquer programa educacional ou atividade financiada pelo Governo Federal.”

Agora, em 2012, a lei completa 40 anos. A WNBA tem prestado homenagem desde antes do início da temporada ao senador que deu o pontapé incial na mudança a favor das garotas. Hoje, ainda é difícil para as mulheres terem a mesma visibilidade que os homens. O salário é menor, as condições de trabalho são menos favoráveis, o prestígio é em menor escala e o reconhecimento muitas vezes passa em branco. Ainda assim, as declarações mais sinceras das jogadoras na liga são aquelas que afirmam jogar por amor, porque escolheram o esporte e porque têm prazer nisso.

Graças ao Title IX, o San Antonio Silver Stars pôde jogar nesta noite (24) e vencer o Los Angeles Sparks por 91 a 71, lá no Staples Center, casa de Candace Parker. Com essa vitória, o terceiro lugar do Oeste continua garantido.

Na semana, serão mais dois jogos. O primeiro novamente contra o Los Angeles Sparks e o segundo, dificílimo, contra o Minnesota Lynx (e as boas lembranças da última partida contra esse time, hein?). Vai ser MUITO – prestem atenção – MUITO legal acompanhar essas partidas!

Até a semana que vem!

Parker pode ser cortado das Olimpíadas de Londres

Parker seria uma baixa imensurável ao selecionado francês

O armador Tony Parker, do San Antonio Spurs, pode ficar fora dos Jogos Olímpicos de Londres, que começam no próximo dia 27 de julho. A notícia é do site Sporting Life.

Isso porque o jogador machucou o olho tentando proteger a namorada de uma briga entre os rappers Chris Brown e Drake numa boate de Nova York há duas semanas.

“Verei um especialista em Nova York com a esperança de ser liberado para as Olimpíadas”, revelou o camisa 9. “O Spurs está muito preocupado e eu pouco posso fazer agora. Quem vai decidir (se ele estará em Londres) é o médico e San Antonio”, pontuou.

O veredicto final sobre Tony Parker e seu olho lesionado deverá sair nas primeiras semanas do mês de julho. Em seu site oficial, o jogador informou que voltará aos EUA no próximo dia 5 para ser examinado com mais cuidado por especialistas. Boa sorte, TP!