Arquivo diário: 10/06/2012

Pode algo bom vir do Texas?

A resposta para o título do Vestiário Feminino desta semana é: para o San Antonio Silver Stars, sim!

As universidades mais conceituadas no baquete feminino norte-americano são a Universidade de Connecticut, a Universidade do Tennessee, Stanford e Notre Dame. Dessas, o San Antonio Silver Stars tem apenas uma jogadora – e é claro que teria que ser Jayne Appel. Mas, se levarmos em conta que a estrela principal vem de uma faculdade que nem ao menos se encontra no ranking da terceira divisão da categoria na NCAA (Becky Hammon – Colorado State University), precisamos relevar as alternativas do elenco.

Começando pela melhor ranqueada atualmente, a Baylor University, campeã de 2012, levou ao San Antonio Silver Stars ninguém menos do que Sophia Young. Em 2005, a ala liderou as Lady Bears na primeira conquista do campeonato nacional, e em 2006 chegou à liga profissional. Foram sete anos até que Baylor voltasse ao topo do campeonato universitário. Dessa vez, o carro-chefe foi Brittney Griner, garota-sensação desde seus tempos de ensino médio em Chicago, quando já enterrava facilmente.

Outra jogadora formada no estado da estrela solitária que é uma das bases do San Antonio é Jia Perkins. A Texas Tech não está muito bem no ranking oficial do basquete feminino na NCAA, mas pelo menos aparece na primeira divisão e já ganhou um título (1993).

Adams, um dos melhores reforços do Stars

Para provar que as meninas provenientes de universidades texanas ou pouco renomadas realmente encontram a sintonia no San Antonio Silver Stars, como não falar de Danielle Adams? Campeã em 2011 pela Texas A&M e eleita a Most Outstanding Player da NCAA no ano, é a terceira maior pontuadora do Stars na temporada (está logo atrás de Sue Bird no ranking geral), sendo que Becky Hammon e Sophia Young são as que passam em sua frente. Relevante, né?

Além das estatísticas mencionadas, é a segunda jogadora mais eficiente da equipe. No sábado, foi com essa receita que o Seattle Storm foi derrotado pelo San Antonio Silver Stars por 80 a 67.

A maior pontuadora, para variar, foi uma garota formada no Texas, Danielle Adams (13 pontos). Essa vitória selou a terceira posição da equipe no Oeste (3 vitórias e 4 derrotas), mas é válido ressaltar que alguns times estão desfalcados de suas principais jogadoras: Lauren Jackson (Seattle Storm), Penny Taylor e Diana Taurasi (Phoenix Mercury). As outras grandes equipes da conferência estão em primeiro e segundo, respectivamente: o Minnesota Lynx, contra quem o Stars apresentou uma performance surpreendente, mesmo perdendo, e o Los Angeles Sparks, próximo adversário, no sábado (16).

Que as jogadoras que tiveram a base de seu basquete no Texas tragam muita alegria ao San Antonio Silver Stars em 2012!

Até a semana que vem!

“Tenho certeza de que Timmy renovará”, afirma Ginobili

Renova aí, Duncan!

O contrato de Tim Duncan se encerra ao fim desta temporada e ainda há um grande mistério sobre o seu futuro em San Antonio. Tudo indica que o camisa 21 renovará seu vínculo por pelo menos mais um ano, embora a possibilidade da aposentadoria também seja levada em conta.

Em entrevista recente, no entanto, o argentino Manu Ginobili deu a entender que Duncan continuará jogando profissionalmente. “Fico imaginando se o time vai se manter intacto e é difícil dizer o que vai acontecer com os atletas que têm seus contratos terminando, mas tenho certeza de que Tim renovará e seguirá conosco”, revelou Manu.

Durante a mesma entrevista, o camisa 20 falou sobre a derrota para o Oklahoma City Thunder na final da Conferência Oeste.

Segundo ele, a equipe superou todas as expectativas ao longo da temporada e está de parabéns. “No geral, a temporada foi espetacular”, disse. “Ninguém acreditava em nós; alguns até diziam que nem chegaríamos aos playoffs, mas, como sempre, encontramos uma maneira de nos destacar e terminamos a fase regular no topo do Oeste, o que é bem difícil – fomos os primeiros com mais vitórias e jogando bem”.

“Ninguém aqui tem motivos para se arrepender. Chega uma hora em que você enfrenta um time melhor e perde, ponto. Isso deveria ser normal, mas esporte é assim”, finalizou.

Richards abandona Reino Unido e poderá jogar pela Jamaica

Alguém aí entende esse cara?

Parece que o ala-pivô britânico Ryan Richards, draftado pelo San Antonio Spurs em 2010, tem um parafuso a menos.

Depois de deixar a sua equipe, o Lugano Tigers, da Suíça, alegando motivos pessoais, o jogador resolveu abandonar o selecionado do Reino Unido, que disputará os Jogos Olímpicos de Londres.

“Claramente Ryan é um atleta talentoso”, disse Chris Spice, manda-chuva do basquete britânico. “Ele tem estado com nós há algum tempo e estamos desapontados com o que foi decidido, mas temos de seguir adiante”, concluiu.

Para piorar tudo, Richards deverá atuar pela inexpressiva Jamaica, que sequer se classificou para as Olimpíadas. Vai entender…