Arquivo diário: 16/05/2012

Segundo jornalista, Pop poderia ser próximo técnico dos EUA

Pop já foi assistente técnico de Larry Brown no Team USA

A Olimpíada de Londres deverá ser o último compromisso do técnico Mike Krzyzewski no comando do selecionado norte-americano. Pelo menos foi o que ele disse em entrevista recente ao jornalista Marc Stein, da ESPN.

“Acho que será a última vez”, disse o Coach K, em referência aos Jogos Olímpicos de 2012. “Espero que consigamos a medalha de ouro”, completou.

Sem Krzyzewski no caminho, muito tem se falado sobre o próximo comandante americano. Segundo o colunista Adrian Wojnarowski, do Yahoo! Sports, o novo técnico poderia ser Gregg Popovich, do San Antonio Spurs, mas seu péssimo relacionamento com Jerry Colangelo, manda-chuva do basquete estadunidense, o coloca como carta fora do baralho.

“Para aqueles que têm discutido sobre o novo treinador dos EUA, poderia ser Popovich. Isso, contudo, dificilmente ocorrerá por conta de sua animosidade com Jerry Colangelo”, explicou Wojnarowski.

Mesmo que o Coach Pop fosse o nome escolhido para dirigir o Team USA, ele poderia continuar trabalhando no San Antonio Spurs. Vale lembrar que Krzyzewski também dirige a Universidade de Duke.

Bird ganha prêmio de executivo do ano. Buford fica em 2º

Buford merecia, mas o prêmio para Larry Bird foi justo!

R.C. Buford, General Manager do San Antonio Spurs, era um dos fortes candidatos ao prêmio de executivo do ano, mas foi derrotado nesta quarta-feira (16) por Larry Bird, do Indiana Pacers.

Bird, que recebeu 12 votos para o primeiro lugar, encerrou a disputa com 88 pontos. Buford ficou logo atrás, com 56 pontos e oito votos. O terceiro colocado foi Neil Olshey, do Los Angeles Clippers (55 pontos e seis votos).

O ex-jogador do Boston Celtics foi condecorado após ter mudado a cara do Indiana Pacers durante a offseason. Bird, que é o único homem na história a conquistar os prêmios de MVP (melhor jogador), COY (melhor técnico) e agora de executivo do ano, foi o responsável pelas vindas de George Hill, David West e Leandro Barbosa.

Na última temporada, o Indiana Pacers conquistou 37 vitórias e perdeu 45 vezes, Nos playoffs, o time foi eliminado pelo Chicago Bulls por 4 a 1. Neste ano, contudo, a franquia deu a volta por cima e alcançou o terceiro lugar na Conferência Leste (42-24), atrás apenas de Chicago Bulls e Miami Heat.

Curtas: Duncan em forma, Green adaptado e Karl confiante

Not in my house!

Como as pessoas vêm dizendo por aí, Tim Duncan é como o vinho: quanto mais velho, melhor ele fica!

No Jogo 1 da série contra o Los Angeles Clippers, Timmy relembrou os velhos tempos ao marcar 26 pontos e pegar dez rebotes em quase 35 minutos.

“Tim foi sólido como sempre”, disse o técnico Gregg Popovich após o embate. “Ele tem atuado dessa maneira durante todo o ano. Dificilmente você o verá fazendo uma jogada espetacular para aparecer na TV; quem sabe uma jogada espetacular aos olhos de um treinador. Ele é o nosso porto seguro”, completou.

Quando perguntado sobre o assunto, o camisa 21 manteve a humildade que lhe é peculiar. “Nós sabíamos antes da partida que ia demorar um pouco para desenferrujarmos”, explicou. “Errei alguns arremessos no começo e só depois peguei no tranco. Meus companheiros movimentaram a bola bem e consegui algumas bandejas fáceis”, pontuou.

E mais…

Danny Green cada vez mais adaptado

O ala Danny Green tem sido um dos principais jogadores do San Antonio Spurs desde que ganhou a vaga de titular. Em entrevista concedida ao site Fay Observer, o camisa 4 disse que estar na NBA ainda parece um sonho, mas que é preciso manter o foco para continuar evoluindo.

“Meu sonho sempre foi chegar à NBA”, afirmou. “Quando você alcança esse objetivo, você percebe que é difícil conseguir um time, fazer parte dos planos de um treinador. Ainda nem acredito que conquistei isso tudo. Me sinto um dos caras mais sortudos do mundo”, concluiu o ala-armador.

Apesar do bom momento, Green sabe que é preciso continuar dando duro para atingir um outro nível de maturidade. “É necessário manter a humildade. Você aproveita essa fase, claro, mas tem que trabalhar duro para continuar fazendo as coisas que te levaram aonde você chegou”, finalizou.

George Karl acredita que o título ficará entre Spurs e Thunder

Enquanto muitos apostam que o Miami Heat ganhará o título desta temporada, o técnico George Karl, do Denver Nuggets, acredita que o troféu ficará na costa oeste. Em entrevista concedida ao site da ESPN norte-americana, Karl apontou San Antonio Spurs e Oklahoma City Thunder como favoritos ao título da NBA. Segundo ele, quatro ou cinco times da Conferência Oeste teriam capacidade para derrotar LeBron James e companhia. Será?

Diaw ganha elogios após bom desempenho contra o Clippers

Diaw vem se mostrando um ótimo defensor desde que chegou a San Antonio

Foram apenas sete pontos em nove arremessos. Podemos dizer que o aproveitamento de Boris Diaw foi ruim, mas o francês foi uma das peças mais importantes na vitória do San Antonio Spurs sobre o Los Angeles Clippers por 108 a 92.

O ala-pivô liderou a equipe em rebotes (12) e ficou atrás apenas de Tony Parker no número de assistências (5). Além disso, Diaw fez um excelente trabalho defensivo sobre Blake Griffin, limitando o astro californiano a apenas 15 pontos (7-17).

“Ele foi muito bem”, disse o técnico Gregg Popovich após a partida. “É claro que Blake (Griffin) conseguiu enganá-lo uma vez ou outra, mas, no geral, Boris fez um ótimo trabalho contra um grande jogador”, completou o treinador da equipe texana.

Para Manu Ginobili, os 12 ressaltos coletados pelo ala-pivô foram inesperados. “Eles (Clippers) têm grandes reboteiros, como DeAndre Jordan, Blake Griffin, Kenyon Martin e Reggie Evans. Boris e Tim (Duncan) foram fantásticos hoje, sobretudo na defesa. Estávamos muito bem posicionados na briga pelos rebotes”, analisou o argentino.

Parece que Diaw será o titular absoluto até o final dos playoffs. Na noite de ontem, DeJuan Blair só pisou em quadra quando o jogo já estava decidido. O brasileiro Tiago Splitter foi mal quando entrou, assim como Matt Bonner. Desse jeito, o francês vai comendo quieto e ganhando mais e mais minutos a cada partida…

Spurs (1) vs Clippers (0) – Imparável!

San Antonio Spurs108X92Los Angeles Clippers

O San Antonio Spurs bateu o Los Angeles Clippers por 108 a 92 na noite desta terça-feira (15) e começou a semifinal da Conferência Oeste com o pé direito. Esse foi o 15º triunfo consecutivo dos comandados de Gregg Popovich desde o final da temporada regular. Vamos aos destaques!

Manu for 3! (Photo by Justin Edmonds/Getty Images)

Protagonistas apagados

Quem esperava uma noite brilhosa de Tony Parker e Chris Paul se enganou. O francês acertou apenas um em nove arremessos e terminou a partida com somente sete pontos. Paul, por sua vez, acertou três tiros em 13 tentativas e marcou seis pontos. Parker, no entanto, foi um pouco melhor nas assistências: 11, contra dez do CP3.

Raça! (AP Photo/Eric Gay)

Duncan eterno!

Dá gosto de ver o camisa 21 jogando nesse nível. Nenhum defensor do Los Angeles Clippers foi capaz de conter o ímpeto de Tim Duncan, que anotou 26 pontos, acertando 12 dos 20 arremessos de quadra que tentou, e pegou dez rebotes. Vale lembrar que Timmy distribuiu mais dois tocos nesta noite e agora está a apenas 15 de se tornar o maior bloqueador da história dos playoffs.

Pontaria calibrada

Podemos dizer que o San Antonio Spurs ganhou a primeira partida da semifinal por conta de sua excelente pontaria.

A equipe tentou 25 arremessos de longa distância e acertou 13 (52%). Danny Green, Kawhi Leonard e Manu Ginobili acertaram três bolas cada um e foram os destaques nesse quesito.

Outro ponto fundamental 

Além dos tiros afiados, Tim Duncan e companhia lideraram a briga pelos rebotes. No placar final, foram 47 ressaltos para o Spurs e apenas 34 para o Clippers. Os principais reboteiros texanos foram Boris Diaw (12), Tim Duncan (10), Kawhi Leonard (6) e Danny Green (6).

Sixth Man

Manu Ginobili voltou a jogar bem após uma série apagada contra o Utah Jazz. Como Tony Parker teve dificuldades para encontrar espaço no ataque, coube ao argentino desafogar a ofensiva texana. Em quase 27 minutos em quadra, Manu fez 22 pontos, pegou três rebotes e deu três assistências.

Só coloquei essa porque ficou engraçada!

Coadjuvantes de luxo

E o que falar do trio Boris Diaw, Kawhi Leonard e Danny Green? Bem, Diaw fez um trabalho excelente sobre Blake Griffin, limitando o astro do Clippers a apenas 15 pontos (7-17). O ala-pivô ainda foi um verdadeiro guerreiro nos rebotes, conseguindo 12 ressaltos. O francês também contribuiu com cinco assistências e três roubos de bola.

Leonard voltou a impressionar pela sua tranquilidade. Apesar de cometer alguns erros bobos no início da noite, o novato jogou como um veterano e foi importantíssimo na tábua ofensiva, com 16 pontos.

Green, por fim, fechou a trinca de coadjuvantes com chave de ouro: 15 pontos e seis rebotes. Já repararam que o camisa 4 dificilmente erra uma bola de longa distância? Só para se ter uma ideia, no mês de abril o jogador teve um aproveitamento de 56,1% nos tiros de três pontos – uma marca bastante expressiva.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 26 pontos e dez rebotes

Manu Ginobili – 22 pontos, três assistências e três rebotes

Kawhi Leonard – 16 pontos e seis rebotes

Danny Green – 15 pontos e seis rebotes

Los Angeles Clippers

Eric Bledsoe – 23 pontos, cinco rebotes e quatro assistências

Blake Griffin – 15 pontos, nove rebotes e quatro assistências

Caron Butler – 15 pontos

Nick Young – 13 pontos