Arquivo diário: 10/05/2012

Defesa renovada pode ser trunfo nas semifinais do Oeste

Jackson tem feito um ótimo trabalho defensivo!

Após a derrota do San Antonio Spurs para o Milwaukee Bucks por 106 a 103, em janeiro, Gregg Popovich disse que sua retaguarda era a pior que ele já havia dirigido em toda a carreira. O treinador parecia realmente incomodado com o desempenho de sua equipe na defesa – algo que ele nunca conseguiu corrigir após a saída de Bruce Bowen.

Quatro meses depois da “bronca”, as coisas parecem um pouco diferentes em San Antonio. Na primeira rodada dos playoffs, contra o Utah Jazz, o time texano segurou o rival a um aproveitamento pífio de 38,2% nos tiros de quadra.

Entre todas as franquias que chegaram à pós-temporada, San Antonio foi quem conseguiu os melhores números defensivos. Apesar da importante marca, Coach Pop lembra que o Jazz foi muito mal durante os quatro confrontos da série.

“Acho que Utah nos ajudou um pouco – eles arremessaram mal”, recordou. “Mesmo assim, nós estivemos focados na defesa e fizemos um trabalho muito bom – especialmente embaixo da cesta. Queremos continuar melhorando, porque ainda há lacunas a serem preenchidas”, completou o treinador.

Diaw também vem sendo muito importante desde que foi contratado

Essa melhora repentina pode ser creditada a uma pessoa –  ou melhor, duas! Desde que chegaram, Stephen Jackson e Boris Diaw vêm sendo responsáveis por suprir a carência da retaguarda texana.

“Tudo o que o Coach Pop fala é para motivar os atletas”, explicou o Captain Jack, que ainda era jogador do Bucks durante naquele jogo de janeiro. Na oportunidade, vale lembrar, o camisa três anotou 34 pontos. “Acredito que estamos começando a ficar cada vez mais na mesma página e estamos confiando mais uns nos outros. Isso é algo muito bom”, pontuou.

“Eu tento trazer para dentro de quadra o que o time precisa”, disse o francês Boris Diaw. “Quando me contrataram, eu sabia que o time precisava de uma defesa boa e sólida”, complementou.

Apesar do esforço de ambos, Popovich sabe que ainda há muito trabalho a ser feito. “É preciso algum tempo para que esses novos caras se adaptem ao nosso sistema. No calor da partida, às vezes você esquece uma coisa ou outra. Para isso, é preciso estar sempre trabalhando, sempre repetindo”, finalizou o comandante texano.

Anúncios