Arquivo diário: 02/05/2012

Spurs (2) vs Jazz (0) – Defense, defense

114×83

E o feitiço virou contra o feiticeiro. Se o Utah Jazz queria fazer uma defesa dura, acabaram tendo uma aula do vitorioso San Antonio Spurs nesta quarta-feira (2), no AT&T Center, no segundo jogo da primeira rodada dos playoffs.

Mesmo sem utilizar Tiago Splitter, machucado, o time de Gregg Popovich conseguiu limitar a dupla Paul Millsap e Al Jefferson a apenas 19 pontos e dez rebotes. A vitória foi construída desde o primeiro quarto – o Spurs começou com tudo e abriu 13 pontos logo de cara. O Jazz ainda tentou reagir, mas não foi capaz de reverter o placar.

Nem mereço tanto ( D. Clarke Evans/NBAE via Getty Images)

Defesa forte

Apenas dois jogadores do time visitante alcançaram a marca de dígitos duplos: Josh Howard (10 pontos, 3-9 FG) e Al Jefferson (1o pontos, 5-15 FG), mas precisaram de três tentativas para cada acerto. O aproveitamento geral do time de Salt Lake City ficou em apenas 34%. O segundo quarto em especial foi um desastre para o Jazz – o time marcou meros 11 pontos (5-28 FG), contra 25 dos donos da casa.

Ninguém segura (AP Photo/Eric Gay)

Tony MVParker

Novamente o francês foi o cestinha da partida. O camisa 9 começou mal, acertando apenas um dos primeiros cinco arremessos, mas finalizou com 18 pontos e nove assistências. A tranquilidade da partida foi tanta que nem ele e nem Tim Duncan pisaram na quadra no último período.

Ofense, ofense!

O ataque funcionou bem e todos os titulares terminaram com dígitos duplos. DeJuan Blair e Gary Neal também conseguiram a façanha e somaram 21 pontos. O aproveitamento também foi excelente: 57% dos arremessos de quadra e 100% (10-10) nos lances livres. Da linha dos três pontos, foi de 46% (10-22).

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Tony Parker – 18 pontos e nove assistências

Kawhi Leonard – 17 pontos (3-4 3PT) e duas roubadas de bola

Danny Green – 13 pontos, quatro rebotes e três tocos

Tim Duncan – 12 pontos e 13 rebotes

Utah Jazz

Josh Howard – Dez pontos e cinco rebotes

Al Jefferson – Dez pontos e quatro rebotes

Diaw quer permanecer em San Antonio ao final da temporada

Francês marca dois pontos contra o Los Angeles Lakers

O contrato de Boris Diaw com o San Antonio Spurs termina ao fim desta temporada. O ala-pivô foi contratado após deixar o Charlotte Bobcats e vem fazendo um bom trabalho até aqui. Em entrevista recente ao diário francês L’Equipe, o jogador declarou que gostaria de permanecer em San Antonio para o próximo ano.

“Até agora, nada foi decidido. Vamos ver se estarei nos planos da diretoria (para a temporada 2012/2013)”, disse Diaw. “Eu gostaria de ficar porque tudo está bom por aqui. Agora, no entanto, estamos focados nos playoffs. Prefiro esperar para ter esse tipo de conversa ao fim da pós-temporada”, complementou.

Em 20 partidas com a camisa do Spurs, o ala-pivô tem médias de 4,7 pontos e 4,3 rebotes em pouco mais de 20 minutos por noite. Esses números, contudo, enganam um pouco, já que Diaw tem feito um trabalho muito bom enquanto está em quadra, sobretudo na defesa. Em jogos contra Los Angeles Lakers e Dallas Mavericks, por exemplo, ele foi muito bem marcando jogadores como Pau Gasol e Dirk Nowitzki.

Quanto à sua permanência, creio que isso é um pouco mais complexo do que parece. O francês assinou um contrato até o fim desta temporada e está recebendo o mínimo para veteranos. Acho difícil que Diaw renove por mais uma temporada ganhando essa quantia. Bem, como o mesmo disse, esse é um assunto para o final dos playoffs. Falando como torcedor, torço para que ele fique!

O verdadeiro Gregg Popovich

Merecido! (Foto: Spurs Nation)

Gregg Popovich pode ser considerado um gênio dentro das quatro linhas. Nesta terça-feira (1), o treinador foi eleito o Coach of the Yearprêmio dado ao melhor técnico da temporada  regular da NBA. Foi a segunda vez na carreira que o treinador do San Antonio Spurs conquistou o cobiçado troféu.

Popovich é a antítese em pessoa. Ao mesmo tempo em que prefere voar abaixo do radar, sempre humilde e dividindo suas conquistas com quem o cerca, ele também é um cara de números expressivos, como esses que você acompanha abaixo:

  • 16 temporadas como técnico do Spurs. É o comandante com mais tempo à frente de uma franquia entre todas as grandes ligas norte-americanas (NBA, NFL, NHL e MLB).
  • Pop é o único treinador em atividade a ter conquistado mais de um título. Ele também é um dos cinco técnicos da história a ter conseguido quatro ou mais anéis, ao lado de figuras lendárias, como Red Auerbach, Phil Jackson, Pat Riley e John Kundla.
  • Iniciou a temporada 2011/2012 com um recorde de 797 vitórias e 383 derrotas. O aproveitamento de 67,5% o coloca como o terceiro treinador da história com melhor porcentagem de vitórias, atrás apenas de Billy Cunningham e Phil Jackson.
  • Conquistou seu 700º triunfo em sua partida de número 1040, se tornando o terceiro técnico mais rápido da história a alcançar a façanha.

Popovich foi condecorado com o troféu Red Auerbach pela segunda vez na carreira (Foto: Spurs Nation)

Esses foram alguns dados que eu encontrei no site oficial do Spurs e que achei interessante compartilhá-los. Mas esse artigo é para falar de outro Gregg Popovich. Por trás do gênio do banco de reservas, da cara de bravo e de algumas artimanhas discutíveis, como fazer faltas no jogador de pior aproveitamento em lances-livres adversário para ganhar vantagem, o Coach Pop é um grande homem.

Primeiro falemos de seu papel como líder. Já fui em muitas conferências de recursos humanos a trabalho e tive a oportunidade de ouvir profissionais gabaritados do setor falando sobre a importância e a dificuldade de ser um gestor. Gerir pessoas é uma tarefa complexa. Você lida com egos, vontades, anseios, dúvidas… É difícil controlar seres humanos, mas Popovich faz isso como poucos na NBA – e na vida.

Que chefe chamaria você em sua própria casa para um jantar? Que chefe viajaria até a terra natal de sua principal estrela durante as férias apenas para passar um tempo ao lado dele? Essa é a filosofia que existe em San Antonio: o culto à família, ao relacionamento humano, à amizade. É muito comum ver jogadores que vestiram a camisa do Spurs dizerem que nunca trabalharam num ambiente assim anteriormente. Posso citar aqui alguns exemplos, como Robert Horry, Bruce Bowen e até mesmo Stephen Jackson. Como pode um bad boy como o Captain Jack se sentir acolhido em um lugar que é completamente avesso à sua personalidade? Bem, esse é o papel do líder, do gestor…

Além disso tudo que já falamos, existe outra faceta do nosso treinador que poucos conhecem. Sabiam que ele fez treinos de espionagem na extinta URSS durante a Guerra Fria? Pois é! Popovich se especializou em Estudos Soviéticos na Força Aérea dos Estados Unidos durante a década de 1970 e passou alguns anos trabalhando na atual Rússia.

“Ele vive para ser quem é”, disse R.C. Buford ao National Post durante a final de 2007 entre San Antonio Spurs e Cleveland Cavaliers. “Pop sempre foi assim. Dê uma olhada em sua história: Força Aérea, escola de espionagem… Ele é um cara diferenciado e gosta de ser desta maneira”, completou.

Toda a equipe técnica do Spurs participou da coletiva pós-prêmio

P.J. Carlesimo, que trabalhou durante alguns anos como assistente técnico de Popovich, lembrou, também em 2007, de outra característica marcante do ex-companheiro: sua repulsa aos números e à popularidade. “Ele nunca vai ser aquela pessoa que gosta de aparecer no NBA Cares”, disse Carlesimo, em referência ao programa de caridade organizado por David Stern. “Ele liga para as pessoas, claro, mas ficará mais feliz se ninguém souber disso. Me dê uma chance e eu diria que Gregg prefere fazer as coisas sem o burburinho da mídia”, opinou.

Para P.J., o basquete é só um complemento na vida do misterioso Coach Pop. “Acho que o basquete é uma pequena parte de sua vida. Creio que ele ama o que faz e é excepcionalmente bom nisso, mas ele também tem outros interesses”, pontuou. Um desses interesses é colecionar vinhos. Estima-se que Popovich tenha mais de três mil garrafas em sua adega. Dá pra acreditar?

“Honestamente, acho que ele gosta de ser desse jeito”, explica Tim Duncan, que convive bem de perto com o comandante. “Acredito que ele é bom como outros caras que fizeram história, mas isso pouco importa no seu modo de enxergar as coisas. Gregg é um cara que gosta de desafios, de montar sua equipe e fazê-la jogar. Qualquer reconhecimento que venha a partir disso será merecido”, pontuou Timmy.

Gregg Popovich é assim. Uma pessoa simples, humilde e, acima de tudo, humana. Por mais que ele tenha sua antipatia a prêmios e farras, deixo aqui os meus parabéns pela conquista do título de melhor técnico da temporada 2011/2012. Parabéns, Coach Pop!

Eis o verdadeiro gestor…

Spurs (1) vs Jazz (0) – Primeira rodada dos playoffs

San Antonio Spurs vs Utah Jazz – Primeira rodada dos playoffs

Data: 02/05/2012

Horário: 20h00 (Horário de Brasília)

Local: AT&T Center

Após vencer o Utah Jazz na estréia dos playoffs, os donos da casa buscam mais um triunfo no Jogo 2 da série. Tudo segue conforme a análise feita pelos blogueiros do Spurs Brasil. Na temporada regular, o Spurs venceu três duelos e só foi derrotado na noite em que Gregg Popovich resolveu poupar o trio formado por Tony Parker, Manu Ginobili e Tim Duncan em um back-to-back contra o Jazz.

Confrontos na Série (1-0)

29/04/2012 – San Antonio Spurs 106 vs 91 Utah Jazz

Os texanos comandaram o embate e lideraram de ponta a ponta. O francês Tony Parker foi o cestinha da vitória com 28 pontos.

San Antonio Spurs

PG – Tony Parker

SG – Danny Green

SF – Kawhi Leonard

PF – Boris Diaw

C – Tim Duncan / Tiago Splitter

Fique de Olho – O brasileiro Tiago Splitter sofreu uma entorse no pulso esquerdo durante o Jogo 1 e é dúvida para a partida. De acordo com o técnico Gregg Popovich, só será possível saber se o camisa 22 entrará em quadra horas antes do embate.

PG – Devin Harris

SG – Josh Howard

SF – Gordon Hayward

PF – Paul Millsap

C – Al Jefferson

Fique de Olho – O armador adversário quer complicar a vida dos donos da casa e principalmente a do francês Tony Parker. Vamos ver se o camisa 9 texano terá só que superar a defesa ou se terá que evitar jogadas desleais.