Arquivo diário: 22/03/2012

A vantagem da vantagem

Boa temporada de Timmy é o segredo do Spurs

A atual temporada da NBA vem sendo a melhor de Tim Duncan em alguns anos. O pivô e maior jogador do San Antonio Spurs em todos os tempos andou recebendo algumas críticas que o colocavam como acabado para o basquete, mas soube dar a volta por cima e, com um bom planejamento da comissão técnica, vem tendo belas apresentações. E os louros deste trabalho são ainda mais louváveis se pensarmos que o ritmo do calendário de 2012 é alucinante, graças ao locaute que espremeu a temporada.

A fase de Duncan é tão interessante que, pelo menos até aqui, poucas foram as vezes que o Big Fundamental foi poupado. A ideia inicial de Gregg Popovich era fazer Duncan jogar o mínimo de partidas possíveis no esquema “back-to-back”, ou seja, em dias seguidos, mas não é o que vem acontecendo. De dezembro até aqui, o Spurs já enfrentou 11 sequências destas e em nove delas Duncan enfrentou as duas partidas em noites seguidas. Não coincidentemente, nestas duas vezes em que teve seu principal jogador ausente, o Spurs foi derrotado: primeiro para o Houston Rockets, em janeiro, por 105 a 102, e depois em fevereiro, na dura queda frente ao Portland Trail Blazers por 137 a 97. Já nos jogos espaçados no calendário, Duncan atuou em todos, tendo estado em quadra em 42 dos 44 jogos do time no ano. O sistema “back-to-back”, por sinal, vem sendo implacável com o Spurs. De 22 partidas realizadas nele, nosso recorde é de 13 vitórias e nove derrotas, ou seja, aí o Spurs perdeu a maior parte dos seus jogos – ao todo são 14 tombos na temporada. Se pensarmos que o calendário apertado obriga um maior número de partidas neste esquema, é bem possível se pensar que o Spurs poderia fazer uma temporada ainda melhor em “condições normais”, com maior tempo para descanso.

O trabalho físico feito com Timmy não é revelado pela comissão técnica, mas é certo que é diferenciado. Atletas já numa idade avançada costumam treinar bem menos – ou até mesmo deixam de treinar -, pois a musculatura não suporta tanta carga. Fora a preparação extra-quadra, que não costuma agradar aos atletas, mas que para Duncan não é um problema, pois sua vida sempre foi regrada e sua vontade de vencer é incrível, mesmo depois de já ter dominado a Liga por anos. Contudo, não esperem que este ritmo seja mantido. Com o fim da temporada se aproximando, logo Pop deverá começar a resguardar seu maior astro. Até porque o calendário, ah, o calendário, continuará sendo implacável com o Spurs. Até 26 de abril, último dia de jogos da época regular, serão muitas viagens e algumas situações bizarras, como jogos em noites seguidas contra o Utah Jazz – um em casa e outro fora – e um “back-to-back-to-back” todo fora de San Antonio, contra Golden State Warriors, Los Angeles Lakers e Phoenix Suns.

Duncan, durante alguns anos, passou de ator principal a mero coadjuvante, se tornando apenas uma opção no Spurs. Sempre reclamei disso, pois sabia que ele ainda tinha muito a dar ao time e é bom poder vê-lo com tanta desenvoltura, arremessando, pegando rebotes e até cruzando a quadra como se fosse um armador. Sua vantagem é a técnica apurada, afinal seu calcanhar de Aquiles sempre foi o físico. E a vantagem que esta vantagem proporciona é o fato de que ninguém desaprende – a qualidade para jogar basquete Duncan sempre terá, só é preciso saber usá-la da melhor maneira possível. Demorou um pouco, mas Popovich parece enfim ter montado o quebra-cabeça. Jogando 29 minutos por jogo, diminuindo o contato físico e buscando os rebotes certos, Timmy ainda é capaz de dar muitas alegrias aos torcedores. Jamais duvidem do velhinho.

Anúncios

Jornalista lista Ginobili entre os atletas que mais cavam faltas

Flopper? Eu?

Que Manu Ginobili é um grande cavador de faltas todos nós sabemos. Ele até já ganhou uma música nos Estados Unidos criticando essa “habilidade” de ludibriar os juízes (vídeo abaixo). Recentemente, o colunista Becley Mason, da ESPN norte-americana, fez uma lista com os maiores floppers (termo usado para o jogador que cava faltas) da NBA. Confira!

All-Flop First Team

PG – Chris Paul

SG – Raja Bell/Manu Ginobili

SF – Paul Pierce

PF – Luis Scola

C – Ben Wallace

All-Flop Second Team

PG – Rajon Rondo

SG – Jamal Crawford

SF – Corey Maggette

PF – Dirk Nowitzki 

C – Reggie Evans

MANU FLOP!

Honrado, Bowen fala sobre ter camisa imortalizada

Bowen esteve acompanhado da família durante a cerimônia. Foto: Spurs Nation

Bruce Bowen foi apenas o sétimo jogador da história do San Antonio Spurs a ter sua camiseta aposentada. Na noite desta quarta-feira (21), contra o Minnesota Timberwolves, Bowen se juntou a nomes consagrados, como James Silas, Johnny Moore, Avery Johnson, George Gervin, Sean Elliott e David Robinson.

Sempre humilde, o agora eterno camisa 12 fez um discurso de 15 minutos durante a homenagem que recebeu e se disse honrado por fazer parte da história da franquia. “Gostaria de agradecê-los por permitirem que eu divida esse momento com vocês”, disse Bowen, emocionado. “A todos os meus companheiros, foi incrível. Foi uma grande honra jogar com vocês e isso fez com que eu me tornasse uma pessoa melhor”, completou.

Grande parte das 19 mil pessoas que foram ao AT&T Center para assistir a partida entre Spurs e Timberwolves permaneceram no ginásio após o jogo e acompanharam a homenagem. Bowen estava ao lado dos ex-parceiros Tim Duncan, Tony Parker e Manu Ginobili, além do técnico Gregg Popovich e do General Manager R.C. Buford. “Estamos condecorando um homem que nos trouxe um grande impacto dentro e fora de quadra”, resumiu Sean Elliott, ex-jogador Spurs e “mestre” da cerimônia de ontem.

Spurs (30-14) vs Timberwolves (23-25) – Memorável!

San Antonio Spurs116X100Minnesota Timberwolves

San Antonio Spurs e Minnesota Timberwolves se enfrentaram numa partida que serviu como pano de fundo para Bruce Bowen, que teve sua camisa 12, utilizada entre 2001 e 2009, eternizada no teto do AT&T Center. Dentro de quadra, os comandados de Gregg Popovich dominaram o rival e venceram por 116 a 100. Vamos aos destaques!

Eterno!

Parabéns, Bowen!

Confesso que me surpreendi quando vi pela primeira vez o anúncio de que Bowen seria “aposentado”. Como disse o argentino Manu Ginobili ao longo da semana, Bruce é o tipo de jogador que dificilmente é imortalizado, mas o que ele fez pela franquia e pela cidade de San Antonio foi muito significante. Foi por isso que o ex-camisa 12 recebeu tal homenagem. Homenagem justa, que coloca Bruce Bowen entre os principais nomes da história do San Antonio Spurs. Parabéns!

Repúdio

O torcedor do Spurs que mora fora dos Estados Unidos foi prejudicado, pois ficou sem assistir a cerimônia. Quem tem o League Pass paga caro (muito caro, diga-se de passagem) e é privado de momentos importantes como esse. Lamentável!

Mostrando serviço...

Mais um susto

Tony Parker deixou a quadra no começo do segundo quarto acompanhado do médico da equipe e foi cortado do restante da partida. Felizmente, o problema com o francês parece simples, já que ele voltou normalmente para a cerimônia de aposentadoria de Bruce Bowen e parecia bem saudável. Acredito que foi só um susto – ainda bem!

Old Timmy

Quem viu Tim Duncan em atividade contra o T-Wolves assistiu um jogador rejuvenescido. Como nos velhos tempos, Timmy foi dominante no ataque e na defesa e fez estrago na retaguarda adversária: 21 pontos, 15 rebotes e quatro assistências para ele.

Retorno a curto prazo

Podemos dizer que o retorno a curto prazo da troca que trouxe Stephen Jackson de volta à San Antonio já foi ótimo. Em duas partidas, Jackson fez mais que Richard Jefferson na temporada inteira. Na noite desta quarta, o Captain Jack anotou 16 pontos (6-9) e coletou três rebotes em apenas 22 minutos. Imaginem só o que vem por aí…

Força da juventude

Enquanto os vovôs do San Antonio Spurs caminham mais do que bem, ainda há espaço para os jovens jogadores. Kawhi Leonard e Danny Green foram dois dos grandes responsáveis pela elástica vitória da equipe texana sobre o Minnesota Timberwolves. Leonard ficou perto de mais um double-double (16 pontos e nove rebotes), ao passo que Green contribuiu com 14 pontos e sete rebotes.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 21 pontos e 15 rebotes

Kawhi Leonard – 16 pontos e nove rebotes

Stephen Jackson – 16 pontos e três rebotes

Gary Neal – 16 pontos e três assistências

Danny Green – 14 pontos e sete rebotes

Tiago Splitter – 11 pontos, sete rebotes e cinco assistências

Minnesota Timberwolves

J.J. Barea – 18 pontos e 11 assistências

Kevin Love – 17 pontos e 12 rebotes

Anthony Tolliver – 16 pontos e cinco rebotes