Arquivo diário: 02/02/2012

Spurs (15-9) vs Hornets (4-19) – O poder das torres

93×81

O placar não demonstra o jogo que ocorreu nesta quinta-feira no AT&T Center. Os comandados de Gregg Popovich tiveram dificuldades para encaixar o jogo e bater o lanterninha da Conferência Oeste. O placar se alternou por 14 vezes e esteve empatado em 15 oportunidades. Somente no último período, os donos da casa demonstraram superioridade, fazendo 22-13 e definindo o jogo.

Movimento lateral da torre (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

As torres

Nesse jogo de xadrez, as torres se movimentaram bem. Duncan e Splitter somaram 35 tentos (13-17 FG e 9-10 FT) e 16 rebotes. Foram 22 minutos do camisa 21 contra 28 do brazuca. No ataque, foram sete segundas chances aproveitadas pelos grandalhões.

Parker levando mais uma trompada (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

Poucos minutos para Leonard

Pouco menos de 12 minutos para o ala, esse foi o tempo que Kawhi esteve em quadra, para anotar apenas dois pontos. Nos outros jogos que Pop decidiu deixar o calouro por muito tempo no banco, o resultado foi positivo, totalizando quatro vitórias até agora.

As bolas do perímetro

O aproveitamento foi baixo (4-19), mas as que caíram foram em momentos cruciais. Danny Green acertou uma no estouro do cronômetro, Neal converteu outra no final do terceiro período e Bonner mais uma no passe “pelas costas” de Parker.

O que vem por aí?

São 12 vitórias e apenas uma derrota no AT&T Center, melhor aproveitamento em casa da temporada. Porém, no sábado os texanos recebem o Oklahoma City Thunder antes de iniciar a Rodeo Road Trip. O jogo pode ser histórico: apenas mais sete assistências e Parker ultrapassará Avery Johnson como maior passador da história da franquia. Já Duncan precisa de 19 rebotes para estar entre os 20 maiores de todos os tempos da NBA, ultrapassando Charles Oakley.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 19 pontos, nove rebotes e duas roubadas de bola

Tony Parker – 18 pontos, sete assistências e cinco rebotes

Tiago Splitter – 16 pontos e sete rebotes

New Orleans Hornets

Carl Landry – 17 pontos e quatro rebotes

Greivis Vasques –  16 pontos e cinco rebotes

Anúncios

Spurs (14-9) vs Hornets (4-18) – Temporada Regular

San Antonio Spurs vs Hornets – Temporada Regular

Data: 02/02/2012

Horário: 23h30 (Horário de Brasília)

Local: At&T Center

Depois de uma virada incrível em cima do Houston Rockets, o San Antonio Spurs recebe o lanterninha da Conferência Oeste nesta quinta-feira. Os dois times jogaram na noite de ontem e não tiveram tempo para descansar para este embate. Apesar dos visitantes terem que viajarem para o confronto, o jogo não será nada fácil.

Confrontos na temporada (1-0)

23/01/2012 – Spurs 104@Hornets 102

Tim Duncan foi decisivo, anotando os últimos pontos da partida e garantindo a vitória para os texanos. Tony Parker também foi fundamental, distribuindo 17 assistências, recorde de sua carreira.

San Antonio Spurs

PG – Tony Parker

SG – Kawhi Leonard

SF – Richard Jefferson

PF – DeJuan Blair

C – Tim Duncan

Fique de Olho – O francês anotou 20 pontos no primeiro embate, em New Orleans. Parker tem médias de 17 pontos e 7,7 assistências na temporada.

PG – Jarrett Jack

SG – Dajuan Summers

SF – Trevor Ariza

PF – Jason Smith

C – Emeka Okafor

Fique de Olho – No último confronto, o armador fez a festa em casa, anotando 26 pontos, nove assistências e seis rebotes.

Tony Parker diz que adora jogar ao lado de Tiago Splitter

O brasileiro Tiago Splitter vem sendo um dos destaques do San Antonio Spurs desde que Manu Ginobili se contundiu. Cada vez mais importante para a equipe, o pivô tem ganhado muitos elogios no Texas. Em entrevista recente ao site Project Spurs, o armador Tony Parker disse que o brazuca é um de seus parceiros preferidos em quadra.

“Adoro fazer jogadas de pick-and-roll com o Tiago”, disse o armador. “Por algum motivo inexplicável, ele sempre está bem posicionado após o corta-luz. Realmente adoro jogar ao lado dele”, completou.

Tanto Parker como Splitter atuaram por anos no basquete europeu. O entrosamento, segundo o francês, está conectado a essa experiência de ambos no Velho Continente. “Acho que (o entrosamento) vem desse laço europeu. Sei que ele é do Brasil, mas Tiago jogou durante anos na Europa”, pontuou o camisa 9.

Concorrência por Kaman é forte

Chris Kaman - New Orleans HornetsO San Antonio Spurs é um dos interessados nos serviços do pivô Chris Kaman. Para contratá-lo, no entanto, a franquia terá que fazer uma grande proposta. Isso porque o Houston Rockets também tem interesse no jogador e está disposto a adquiri-lo a qualquer preço. Pelo menos é o que informa o jornalista Mark Berman, do My Fox Houston.

Spurs (14-9) @ Rockets (12-10) – Virada!

San Antonio Spurs99X91

Jogando em seus domínios, o San Antonio Spurs conquistou uma vitória importante diante do rival Houston Rockets nesta quarta-feira. O Spurs foi para o intervalo perdendo, mas, comandado pela experiente dupla Tim Duncan e Tony Parker, conseguiu encostar no placar no terceiro quarto e virar no último.

Boa, Parker! (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

Gigantes em alta!

Um dos maiores problemas apontados do Spurs, visto desde a última temporada, era a fragilidade do garrafão, que ficou evidenciada na precoce eliminação para o Memphis Grizzlies nos playoffs da última temporada, com direito a show da dupla rival Marc Gasol e principalmente, Zach Randolph. A partida de ontem nos deu esperanças de que o problema possa estar sendo resolvido ou ao menos amenizado, graças ao crescimento de Tiago Splitter e à boa forma de Duncan. Ontem, Luis Scola e Samuel Dalembert (dupla de garrafão do Rockets) marcaram juntos oito pontos e sofreram para marcar o veterano Tim Duncan, que saiu de quadra com 25 pontos.

Saudades... (D. Clarke Evans/NBAE/Getty)

Já o perímetro…

As boas atuações defensivas de Kawhi Leonard e Danny Green no começo da temporada me encheram de esperanças de ver um Spurs com aquela marcação encardida de saudosas temporadas. É cedo para ser pessimista, mas a defesa de perímetro vem se mostrando inconstante em algumas ocasiões, como na partida de ontem. Kevin Martin, na primeira metade da partida, e Kyle Lowry na segunda, causaram estragos à defesa preta e prata.

Viramos uma partida!

De muito positivo, fica a reação que o Spurs teve depois do intervalo. Perdia a partida por 52-39 e teve fôlego e frieza para virar a partida, pasmem, sem Manu Ginobili.

Rodeo Trip chegando

O Spurs enfrenta ainda nesta quinta, em casa, o New Orleans Hornets na penúltima partida que antecede a Rodeo Trip. Depois do jogo contra o Oklahoma City Thunder, no sábado, partimos para a longa e, esperamos, vitoriosa viagem.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 25 pontos e sete rebotes

Tim Duncan – 24 pontos e quatro assistências

Gary Neal – 15 pontos

Houston Rockets

Kevin Martin – 29 pontos e nove rebotes

Kyle Lowry – 15 pontos e sete assistências

Courtney Lee – 15 pontos

O pateta

Torcedores do Cavaliers se dizem traídos por James

Respeitável público,

LeBron James entrou na NBA em tempos de penúria. Carente de um nome que pudesse aliar qualidade técnica e mídia desde a segunda aposentadoria de Michael Jordan, David Stern e seus pares depositavam suas esperanças no jovem de Ohio. Nove anos depois, não dá pra negar que LeBron se consolidou entre os grandes jogadores da Liga, mas ainda lhe falta algo.

É bom lembrar que no início de sua carreira James convivia com o estigma de ser bonzinho demais, quase um “politicamente correto”. Esse comportamento exemplar por diversas vezes foi alvo de alguns críticos que entendiam que um astro em potencial deveria ser falastrão e provocador. Por diversas vezes o “King” foi tido como um jogador que sente a pressão nos momentos cruciais de partida e por deveras, enquanto não ganhar um título, essa fama não cairá.

Não foram poucas as vezes que defendi LeBron James de seus críticos, afinal seu talento e seus números são inconteste. Mas hoje, de fato, ele parece estar perdido. Seus últimos passos dentro da NBA foram por caminhos não muito aconselháveis, desde a saída da maneira como se deu de Cleveland até suas atuações nas finais do ano passado, quando seu Miami Heat acabou batido pelo Dallas Mavericks.

É óbvio que atleta não é escravo e tem todo direito de mudar de time quando não estiver satisfeito. No entanto, devemos reparar que na NBA em especial há jogadores que demonstram total falta de habilidade na hora de solicitarem uma troca ou algo assim. Atuações abaixo da crítica, corpo mole, declarações excessivas e mal colocadas à imprensa e de uma hora para outra da condição de ídolos tornam-se odiados. E LeBron James conseguiu superar a todos com o escarcéu que fez em torno de sua ida para o Heat. Anunciar sua nova casa em rede nacional de forma exclusiva para uma emissora de televisão foi uma decisão desnecessária e patética.

Aficionados de Miami ironizam os rivais e agradecem o "presente"

O preço a ser pago está aí e perdurará por bom tempo. Muitos fãs já não simpatizam com James e sua carreira se tornou uma espécie de reality show, com cada um dando uma opinião a seu respeito a todo momento. Recentemente seu antigo treinador de Cleveland, Mike Brown, atualmente no Los Angeles Lakers, disse que seu novo comandado Kobe Bryant é superior a James, pois é mais concentrado no que faz. Não bastasse, o “King” ainda precisa conviver com seus fantasmas de Cleveland, afinal desde a temporada passada não foram poucas as vezes que ele falou do Cavaliers na imprensa numa clara situação do tipo “ele deixou Cleveland, mas Cleveland ainda não o deixou”. A fama de bom moço também vai ficando para trás, já que James andou tendo rusgas com seus treinadores. Brown e recentemente Eric Spoelstra provaram das ombradas do jogador supostamente “sem querer”.

A verdade é que o tempo está passando para LeBron James e se ele pensa mesmo que pode ser superior a Michael Jordan, é bom se apressar e começar a ganhar títulos. O fato de ter optado por jogar com dois outros grandes astros ao lado, no “time de Dwyane Wade”, expõe suas fraquezas. Não há mais desculpas; se continuar a perder, seus críticos terão razão.