Arquivo diário: 28/01/2012

Spurs (12-8) @ Mavericks (12-8) – Temporada Regular

San Antonio Spurs @ Dallas Mavericks – Temporada Regular

Data: 29/01/2012

Horário: 21h30 (Horário de Brasília)

Local: American Airlines Center

Domingo é dia de clássico! O San Antonio Spurs visita o Dallas Mavericks, atual campeão e eterno rival texano. Enquanto os visitantes devem continuar sem T.J. Ford e Manu Ginobili, os mandantes também deverão ter problemas na partida. Jason Kidd deixou a quadra machucado ainda no primeiro quarto no duelo contra o Utah Jazz e é dúvida. Delonte West, opção para seu lugar, também está lesionado. Caso nenhum dos dois possa atuar, Rodrigue Beaubois deve ser deslocado para a função de armador e Vince Carter deve entrar como ala-armador titular. Além disso, Dirk Nowitzki, que foi poupado nos últimos jogos para entrar em forma, deverá reaparecer no time titular dos rivais. As duas equipes têm 12 vitórias e oito derrotas, então trata-se de um confronto direto.

Confrontos na temporada (1-0)

05/01/2012 – Spurs 93 vs Mavericks 71

Para conseguir o triunfo, o Spurs contou com dois heróis improváveis: Matt Bonner, que anotou 17 pontos e seis rebotes, e Richard Jefferson, que deixou a quadra com 16 pontos, sete rebotes e três assistências.

San Antonio Spurs

PG – Tony Parker

SG – Kawhi Leonard

SF – Richard Jefferson

PF – DeJuan Blair

C – Tim Duncan/Tiago Splitter

Fique de Olho – Além de estar crescendo ofensivamente, Tiago Splitter vem se tornando uma figura defensiva confiável para Gregg Popovich, que sempre o coloca para marcar o melhor jogador de garrafão adversário. Será que o brasileiro conseguirá fazer um bom trabalho sobre Dirk Nowitzki, que costuma jogar mais longe da cesta?

PG – Jason Kidd/Vince Carter

SG – Rodrigue Beaubois

SF – Shawn Marion

PF – Dirk Nowitzki

C – Brandan Haywood

Fique de Olho – Após uma pausa para melhorar seu condicionamento físico, o atual MVP das finais deverá estar em quadra contra o Spurs. Até aqui, o alemão tem médias de 17,5 pontos e 5,4 rebotes por jogo na temporada.

Ok, Manu; você já pode voltar

No fim das contas, perder Manu Ginobili foi menos pior do que se esperava, não é mesmo? Neste período, Kawhi Leonard ganhou mais minutos e se tornou um defensor de perímetro interessante e Gregg Popovich encontrou em Danny Green um homem de confiança na rotação. Mas chega, né? Na derrota de sexta-feira (27) contra o Minnesota Timberwolves, o San Antonio Spurs chegou no quarto quarto com condições de vencer, mas tomou os últimos dez pontos da partida e acabou derrotado. O que jamais aconteceria se o ala-armador argentino estivesse em quadra.

Volta, cara. Por favor

Não há como negar que Ginobili é o jogador mais decisivo do elenco do Spurs. Nos momentos derradeiros, a bola costuma ir para a mão dele, que costuma acertar arremessos espíritas ou encontrar companheiros livres com sua criatividade. Além disso, o argentino é capaz de cavar uma falta que esfrie o jogo em corridas do adversário, como a de 10 a 0 do Timberwolves que selou a vitória da equipe de Minnesota na sexta-feira.

Sem Manu, é Tony Parker quem tem chamado a responsabilidade na hora de decidir. Mas, nesse momento, o Spurs encontra alguns problemas. Claro que o francês é um excelente jogador e pode muito bem colocar a bola embaixo do braço, mas em alguns instantes ele tem dado sinais de cansaço. O armador é um dos únicos sete jogadores do elenco que atuou em todas as 20 partidas do time (os outros são Danny Green, Kawhi Leonard, Richard Jefferson, DeJuan Blair e Tiago Splitter) e, de todo o plantel, é aquele que tem a maior média de minutos por embate: 33,1. Haja fôlego!

Além disso, o arsenal ofensivo de Parker, ainda que mortal, é menos completo que o de Ginobili. O francês costuma finalizar suas jogadas ou com um arremesso de média distância ou com uma infiltração. Nos momentos finais dos jogos, acaba se tornando previsível – ainda mais com a ausência do argentino, que costuma dividir a atenção com o francês.

Claro, existem outros jogadores no elenco com potencial para fechar um jogo. Tim Duncan provou que ainda é capaz de decidir contra o New Orleans Hornets. Porém, contra o Wolves, o ala-pivô foi muito bem marcado por Nikola Pekovic e teve dificuldades para pontuar. Gary Neal acertou grandes arremessos em sua primeira temporada, mas, no jogo de sexta-feira, errou uma bola de três no quarto quarto que poderia ter mudado a história do embate. Acontece! Até mesmo Green e Leonard já deram suas demonstrações de clutch, mas ainda são alternativas pouco confiáveis.

É bom ver que, apesar de tudo isso, o Spurs se mantém entre os primeiros colocados da Conferência Oeste. Quando Manu voltar e recuperar seu ritmo de jogo, o time deve crescer ainda mais. Só que isso ainda deve demorar cerca de três semanas para acontecer. Até lá, a equipe texana deve dar um jeito de sobreviver em jogos mais apertados.

Spurs mostra interesse em Chris Kaman e Kenyon Martin

Olha como o Chris Kaman ficou feliz ao chegar em New Orleans

O New Orleans Hornets está no mercado e quer se desfazer do pivô Chris Kaman. De acordo com Adrian Wojnarowski, colunista do Yahoo!, o San Antonio Spurs é um dos interessados no jogador. Além da franquia texana, Indiana Pacers, Utah Jazz e Houston Rockets também aparecem como possíveis destinos para o camisa 35.

“Informamos Chris (Kaman) que estamos analisando possíveis trocas e ele compreendeu. Estamos trabalhando juntos nisso”, afirmou Dell Demps, gerente-geral do Hornets.

O possível negócio, no entanto, é um tanto quanto complicado. Kaman está em seu último ano de contrato, mas ganhará salgados US$ 14 mi nesta temporada. Em troca, a equipe de New Orleans quer um jovem jogador, ou uma escolha de draft ou até mesmo um contrato expirante.

Escolhas para ceder o Spurs até tem, assim como jovens atletas. O único agente livre, todavia, é Tim Duncan – que jamais deixaria o Spurs, ainda mais agora no finalzinho da carreira. O site norte-americano Project Spurs simulou algumas trocas e apresentou três alternativas:

  • Chris Kaman por Richard Jefferson, Matt Bonner e Cory Joseph
  • Chris Kaman por Richard Jefferson, James Anderson e Cory Joseph
  • Chris Kaman por Richard Jefferson, Cory Joseph e Danny Green

Confesso que nenhuma dessas possibilidades me agrada. Perderíamos muitos jogadores em troca de uma incógnita. Chris Kaman é muito talentoso, mas passa mais tempo no departamento médico do que em quadra. O negócio mais provável, contudo, é esse que envolve o nome de James Anderson. O jovem ala está fora dos planos de Gregg Popovich para a próxima temporada.

Outro nome que aparece no radar do Spurs é o de Kenyon Martin. O ala-pivô foi jogar na China durante a greve da NBA e está preso à liga local até o final da temporada, que se encerra em fevereiro. Para trazê-lo, no entanto, R.C. Buford também terá concorrentes. Além de San Antonio, outros quatro times aparecem na lista de interessados: Miami Heat, Los Angeles Clippers, Atlanta Hawks e New York Knicks.

Vocês gostariam de algum desses dois possíveis reforços?

Spurs (12-8) @ Timberwolves (9-10) – Faltou fôlego!


https://i0.wp.com/l.yimg.com/a/i/us/sp/v/nba/teams/20080123/80x60/sas.gif79×87

Nesta sexta-feira (28), o San Antonio Spurs perdeu sua segunda partida contra o Minnesota Timberwolves na temporada, dessa vez por 87 a 79. O time chegou à sétima derrota longe do seus domínios e demonstrou falta de fôlego no último quarto do jogo.

O espanhol Ricky Rubio deitou e rolou no último quarto (AP Photo/Jim Mone)

Noite fraca

Alguns jogadores decepcionaram no ataque. Tim Duncan foi um deles. O astro  do Spurs acertou apenas dois arremessos de quadra (FG: 2-12). No total, ele atuou durante 32 minutos, marcou nove pontos e distribuiu quatro assitências. Apesar disso, Tim teve bons números defensivos: pegou dez rebotes e deu três tocos, mas em diversas oportunidades levou cestas fáceis e foi presa fácil para o ataque do Wolves. 

Danny Green é outro jogador que não se apresentou bem. Ele só passou 13 minutos em quadra, mas conseguiu fazer quatro faltas e perder a bola duas vezes. Seus dois pontos pouco contribuíram para o resultado final. DeJuan Blair, por sua vez, passou em branco em 15 minutos jogados. O pivô ainda tentou dois tiros, mas se sucesso (FG: 0-2).

Cada vez melhor

Tiago teve outro ótimo jogo| Yahoo Images

Tiago teve outro ótimo jogo. Foto: Yahoo Images

Tiago Splitter, como já foi dito repetidas vezes aqui, vem melhorando muito no Spurs. Hoje, por exemplo, o pivô pontuou melhor que Tim Duncan e DeJuan Blair. Mais importante que isso é que seus colegas de time já confiam nele para as jogadas de ataque. Splitter mais uma vez teve um ótimo aproveitamento de arremessos de quadra, errando apenas dois e acertando outros cinco (FG: 5-7). Tony Parker também fez boa partida, contribuindo com 20 pontos, mas apenas três assistências.

Que dupla!

Ricky Rubio e Kevin Love fizeram, juntos, 36 pontos para o Wolves. Além disso, Rubio distribuiu dez assistências. Já Love coletou 16 rebotes. Números altos que demonstram quanto a jovem dupla vem jogando. Os dois foram os grandes responsáveis pelo triunfo do time da casa. O astro espanhol fez nove pontos apenas no último quarto.

Faltou perna

O jogo foi bastante equilibrado. O primeiro tempo chegou a terminar com vantagem de um ponto para o Spurs: 42 a 41. A maior liderança foi de apenas oito pontos, alcançada pelos dois times em momentos diferentes do jogo. O último quarto começou empatado e até os últimos minutos o embate ainda se encontrava bastante disputado. Com três minutos e 33 segundos para o fim da partida, Gary Neal fez uma cesta de três que colocou o time de San Antonio na liderança por 79 a 77. A partir daí, o Wolves fez dez pontos e não se permitiu levar nenhum. Faltou perna para o time do Spurs chegar ao final do jogo apto a ganhar. 

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tony Parker – 20 pontos e três assistências

Matt Bonner – 13 pontos

Tiago Splitter – 12 pontos e sete rebotes

Richard Jefferson – Dez pontos e cinco rebotes

Minnesota Timberwolves

Kevin Love – 18 pontos e 16 rebotes

Ricky Rubio- 18 pontos e dez assistências

Nikola Pekovic – 14 pontos e dez rebotes

Derrick Williams – 12 pontos