Arquivo diário: 24/01/2012

O bom, velho e descansado Duncan

Timmy é festejado após arremesso salvador

A temporada 2011-12 da NBA tem sido tortuosa para os veteranos. O calendário maluco, forçado pela greve dos jogadores, é um verdadeiro atentado aos atletas mais experientes.

Tim Duncan tem 36 anos e joelhos esgotados. Perto da aposentadoria, o ala-pivô é incapaz de acompanhar o ritmo dos mais jovens em alto nível atuando quatro vezes a cada cinco noites. Por conta disso, o técnico Gregg Popovich decidiu descansar o camisa 21 durante as sequências mais desgastantes.

“Vocês acham que ele jogaria desta maneira se tivesse entrado em quadra em Houston?”, questionou o treinador, após a vitória do San Antonio Spurs sobre o New Orleans Hornets por 104 a 102 na segunda-feira (23). Timmy foi poupado contra o rival texano e, pela primeira vez na temporada, conseguiu descansar dois dias consecutivos.

O valioso descanso surtiu o efeito esperado. Contra o Hornets, Duncan fez lembrar aquele ala-pivô que dominou a liga durante uma década inteira. Foram 28 pontos (11-19 nos arremessos de quadra) e sete rebotes, além do arremesso crucial que deu o triunfo ao time visitante (apenas o segundo fora de casa na temporada). “Foi bom estar em quadra e foi bom fazer algumas cestas”, disse o astro. “Foi bom também vencer fora de casa. No geral, foi uma grande noite”, completou.

Sobre o arremesso que deu a vitória ao San Antonio Spurs, Timmy, como sempre, foi humilde. “Jamais conseguiria fazer aquilo novamente”, disse ele, em referência ao gancho sobre Emeka Okafor quase da linha do lance-livre. “Ela caiu dessa vez – e é isso que importa”, finalizou.

Spurs (11-7) @ Hornets (3-14) – Timmy for the win!

https://i0.wp.com/l.yimg.com/a/i/us/sp/v/nba/teams/20080123/80x60/sas.gif104×102https://i1.wp.com/l.yimg.com/a/i/us/sp/v/nba/teams/1/80x60/nor_2.gif

O San Antonio Spurs foi até New Orleans encarar o Hornets, lanterninha do Oeste, nesta segunda-feira (23). E quem esperava um jogo fácil viu os texanos sofrerem para conseguir a vitória, que só veio a 1,4 segundo do final, com um gancho de Tim Duncan sobre Emeka Okafor, que deu números finais à partida, 104 a 102.

De fôlego novo, Duncan foi o nome do jogo (Layne Murdoch/Getty Images)

Veterano novo em folha

O descanso dado por Popovich na partida anterior contra o Rockets parece ter feito muito bem ao veterano Tim Duncan. Com 28 pontos, The Big Fundamental desfilou toda sua categoria na New Orleans Arena. Pontuou de todos os jeitos, desde jogadas próximas ao aro, passando por arremessos da cabeça do garrafão e até fadeaways de média distância. Mas foi com um gancho em movimentação e praticamente da linha do lance livre que Timmy matou o jogo, a 1,4 segundo do estouro do cronômetro. Nem mesmo a marcação colada de Emeka Okafor o intimidou.

Noite de recorde

28 pontos: essa foi a maior marca do pivô na atual na temporada, mas o recorde que mais chamou a atenção na noite foi o de Tony Parker. O francês também esteve exuberante no ataque e distribuiu 17 assistências, maior marca na carreira. Muitas delas vieram em jogadas de pick-and-roll com Duncan, Splitter e Blair. O armador ainda completou a noite com 20 pontos.

Torres Gêmeas de volta?

Com certeza é cedo para tirar conclusões, mas ver Duncan e Splitter em quadra ao mesmo tempo me agradou muito. Esta formação foi pouquíssimo usada por Popovich na temporada passada e agora parece agradar mais ao treinador que, nos cinco minutos finais, optou por deixar os dois gigantes atuando juntos. Ter dois jogadores da altura e do porte de Splitter e Duncan pode ser uma arma interessantíssima em várias partidas, e a boa fase do brasileiro ajuda. Contra o Hornets, foram 12 pontos e seis rebotes em 23 minutos.

Nada é perfeito

Vocês devem estar se perguntando como o Spurs precisou de uma última bola a um segundo do fim para vencer o frágil Hornets, mesmo com ótimas partidas de Parker e Duncan… O problema esteve na defesa. No primeiro tempo, a equipe encontrou dificuldade para frear Carl Landry, que fez o que quis com DeJuan Blair. E durante toda a partida, o Spurs não teve resposta para Jarrett Jack. Como sabemos, Parker não é um grande defensor e não havia outro jogador com características para marcá-lo. Danny Green bem que tentou em determinados momentos, porém sofreu com a velocidade do armador e não conseguiu acompanhá-lo. Foi a primeira vez, inclusive, que a equipe da Lousianna alcançou a contagem centenária na temporada. É nessas horas que George Hill faz mais falta…

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 28 pontos e sete rebotes

Tony Parker – 20 pontos e 17 assistências

Richard Jefferson – 14 pontos (4-7 3 PT)

Tiago Splitter – 12 pontos e seis rebotes

New Orleans Hornets

Jarrett Jack – 26 pontos, seis rebotes e nove assistências

Carl Landry – 18 pontos e oito rebotes

Trevor Ariza – 18 pontos, seis rebotes e cinco assistências