Arquivo diário: 21/01/2012

Spurs (10-6) @ Rockets (8-7) – Temporada Regular

San Antonio Spurs @ Houston Rockets – Temporada Regular

Data: 21/01/2012

Horário: 23h (Horário de Brasília)

Local: Toyota Center

A derrota em casa para o Sacramento Kings na noite de sexta (20) certamente não estava nos planos do Spurs que, sem tempo para descansar, viaja a Houston para encarar o Rockets, tentando compensar o último resultado negativo. Lutando por uma vaga nos playoffs, o Rockets foi derrotado apenas uma vez em sete partidas no Toyota Center.

Confrontos na temporada (1-1)

29/12/2011 – Spurs 85 @ 105 Rockets

Com boa partida do trio Scola, Martin e Lowry, o Houston Rockets abriu larga vantagem ainda no primeiro tempo e não deu chances para o San Antonio Spurs. De bom, apenas os double-doubles de Blair (22 pontos e 12 rebotes) e Splitter (Dez pontos e 11 rebotes).

11/01/2012 – Spurs 101 vs 95 Rockets

Na noite em que Tim Duncan passou Larry Bird e se tornou o 27º maior cestinha da história da NBA, o Spurs contou com grande partida de Tony Parker, que anotou 28 pontos, oito assistências e cinco rebotes, para bater o rival na prorrogação.

DeJuan Blair

https://i1.wp.com/l.yimg.com/a/i/us/sp/v/nba/teams/20080123/80x60/sas.gif

PG – Tony Parker

SG – Kawhi Leonard

SF – Richard Jefferson

PF – DeJuan Blair

C – Tim Duncan

Fique de Olho – Blair está em sua terceira temporada com o Spurs, mas ainda é visto com desconfiança por parte da torcida, muito por conta de sua defesa. O ala-pivô é talentoso no ataque, mas terá a missão de parar Luis Scola do outro lado. Uma boa marcação sobre o argentino pode ser a chave para a vitória.

Kyle Lowry

https://i0.wp.com/l.yimg.com/a/i/us/sp/v/nba/teams/20080123/80x60/hou.gif

PG – Kyle Lowry

SG – Kevin Martin

SF – Chandler Parsons

PF – Luis Scola

C – Samuel Dalembert

Fique de Olho – Kyle Lowry é, sem dúvida, o principal jogador do Houston Rockets nesta temporada. O armador não recebe a mesma atenção da mídia do que atletas da mesma posição, como Chris Paul e Derrick Rose, mas para os mais atentos não pode ficar de fora na discussão dos melhores armadores da temporada. Suas médias em 2011/2012 são de 16,7 pontos, 8,6 assistências e 6,8 rebotes.

Anúncios

Jogos ruins acontecem. Aceite

Bruno Pongas, blogueiro e canalha, mandou bem no resumo da derrota do San Antonio Spurs para o Sacramento Kings na noite de sexta-feira (20). A equipe texana até conseguiu impor uma defesa razoável, que teve como ponto alto a boa marcação de Tiago Splitter sobre DeMarcus Cousins, mas perdeu simplesmente porque não conseguiu arremessar bem. Foi uma derrota frustrante, é verdade, já que foi o primeiro revés do time no AT&T Center e contra uma equipe fraca. Mas aviso: isso vai acontecer mais vezes.

O Spurs provavelmente errou esse arremesso

Não podemos esquecer que vivemos um campeonato atípico. Grande parte das equipes está sofrendo com a falta de pré-temporada. Prova disso é que as excessões, como o Oklahoma City Thunder e o Philadelphia 76ers, que largaram muito bem, mantiveram seus elencos e treinadores e trouxeram o entrosamento do ano passado. Mas, para 90% das franquias, não é bem assim que funciona.

Basta olhar para o desempenho de nossos novatos. Kawhi Leonard é um bom defensor, mas ainda parece um pouco perdido no ataque – mais ou menos como aconteceu com Splitter no último ano. Talvez com uma pré-temporada, em que seria possível aprender melhor o sistema ofensivo da equipe, o desepenho do ala pudesse ser ainda melhor. O mesmo acontece com Cory Joseph, que tem bons fundamentos defensivos mas, no ataque, ainda está um pouco tímido, inibido, já que teve pouco tempo para aprender as jogadas. Idem para Gary Neal, que, pela primeira vez desde que chegou ao Texas, está tendo que passar alguns minutos como armador principal.

Além disso, as contusões prejudicaram muito o desempenho ofensivo do Spurs. Acho que nem é preciso dizer o quanto o time sente falta de Manu Ginobili, principalmente no fim de jogos apertados – como foi o de sexta. Mas a ausência de T.J. Ford também vem sendo sentida quando os reservas estão em quadra. O armador vinha comandando o jogo com naturalidade e, com suas infiltrações, conseguia encontrar arremessadores livres no perímetro, habilidade que Joseph e Neal ainda não demonstraram.

Sem Ford e Ginobili, Tony Parker tem de ficar muito tempo em quadra. Contra o Kings, no último período, o francês estava claramente exausto. Além disso, o ataque do Spurs fica mais previsível. No fim do último jogo, Tim Duncan – que não fazia boa partida e, além disso, provavelmente estava sendo poupado por Gregg Popovich – estava no banco. Com isso, toda a defesa do rival pôde se concentrar no armador, que foi obrigado a passar a bola e viu Splitter e Danny Green errarem arremessos importantes no final.

Além da ausência de pré-temporada, um torneio encurtado e apertado diminui também a quantidade de treinos. Isso machuca principalmente os arremessadores, que não têm tempo para praticar e acabam ficando descalibrados. O Spurs, que tem nos tiros de três uma arma importantíssima no ataque, vem sentido isso. Em 2010/2011, a equipe texana acertou 39,7% dos arremessos do perímetro e liderou a liga neste fundamento. Nesta temporada, o aproveitamento caiu para 36,9%, o oitavo melhor da NBA.

A queda de produção pode ser vista também nos números dos principais arremessadores. O aproveitamento de Neal despencou de uma temporada para a outra: de 41,9% para 29,3%. O mesmo aconteceu com Matt Bonner, que acertou 45,7% na última temporada e, nesta, tem 35,3% de aproveitamento. Richard Jefferson foi o único que apresentou ligeira melhora: de 44% para 45,8%. Mas, nas últimas partidas, o ala mostrou que já não está mais tão preciso quanto nos primeiros jogos.

Com um ataque prejudicado por todos esses fatores, o Spurs precisa vencer jogos na defesa. O próprio Pop já falou sobre isso e, na prática, é possível ver evolução em relação à última temporada. Em 2010/2011, a equipe texana deixava os adversários marcarem, em média, 98 pontos por noite, com 45,6% de aproveitamento nos arremessos. Neste ano, mesmo com campanha pior, a pontuação dos rivais caiu para 95,6 pontos por partida, com 45,5% de aproveitamento nos arremessos. Com espaço na rotação, Green, Leonard e Splitter têm ajudado muito nesse ponto.

Por isso, temos de nos resignar. O Spurs ainda fará muitos jogos ruins na temporada, com foco na defesa e ataque estagnado. Nos resta esperar mais desfechos positivos, como foi contra o Orlando Magic, e menos negativos, como contra o Kings.

Spurs (10-6) vs Kings (6-10) – 37,8% é muito pouco!

86X88

O San Antonio Spurs perdeu sua primeira partida em casa na temporada regular. Contra o Sacramento Kings, os comandados de Gregg Popovich novamente jogaram mal. Dessa vez, no entanto, a sorte estava ao lado dos californianos, que venceram pelo placar de 88 a 86.

Tyreke Evans ficou próximo de um triple-double e foi o destaque do Kings

37,8% é muito pouco!

Se contra o Orlando Magic o aproveitamento texano já foi ruim, ontem, contra o Sacramento Kings foi pior ainda. A equipe tentou 82 arremessos e acertou apenas 31, um aproveitamento pífio de 37,8%. Ganhou o duelo quem errou menos. O Kings, que também jogou mal, acertou 43,4% dos tiros de quadra.

Já vi esse filme antes!

Richard Jefferson parece estar nos enganando mais uma vez. Depois de um bom começo de temporada, o ala voltou ao normal e vem errando muito. Qualquer semelhança com o Richard Jefferson do ano passado é mera coincidência…

Parker foi o cestinha da noite, mas errou muito!

O falso Manu

Danny Green é daqueles atletas que todo técnico gosta de ter no elenco: brigador, pula em todos os rebotes e está sempre disposto. Às vezes, no entanto, ele incorpora o argentino Manu Ginobili e tenta fazer umas jogadas espíritas. Sem o mesmo talento do camisa 20, Green acaba se precipitando e errando bolas fáceis. Ontem ele tentou o último arremesso e errou feio. A bola nem aro deu.

Tiago Splitter

O brasileiro Tiago Splitter foi um dos poucos pontos positivos da noite. Em 25 minutos, o catarinense marcou dez pontos e pegou sete rebotes. Enquanto o brazuca esteve em quadra, o Spurs viveu seus melhores momentos. Dos pivôs, Splitter é mais constante que Blair (o rei do primeiro quarto) e Bonner (nem precisa falar nada) – e olha que eu já acho o brasileiro bem inconstante. Mesmo assim, creio que o treinador pode aumentar um pouco os minutos dele. Atualmente, o camisa 22 joga pouco mais de 20 minutos por partida.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tony Parker – 24 pontos e seis assistências

Tim Duncan – Dez pontos e dez rebotes

Tiago Splitter – Dez pontos e sete rebotes

DeJuan Blair – Dez pontos e cinco rebotes

Sacramento Kings

Tyreke Evans – 23 pontos, 11 rebotes e sete assistências

Marcus Thornton – 17 pontos e quatro assistências

DeMarcus Cousins – 17 pontos e 13 rebotes