Arquivo diário: 03/01/2012

Ike Diogu é o novo reforço do Spurs

News by Koba

O San Antonio Spurs contratou nesta terça-feira (3) o ala-pivô Ike Diogu. O jogador atuou pela equipe do Los Angeles Clippers na última temporada e teve médias de 5,8 pontos (56,1% FG) e 3,2 rebotes por jogo. O veterano foi selecionado na nona escolha do Draft de 2005 pela equipe do Golden State Warriors. Como o número 50 foi imortalizado pelo Spurs (pertenceu ao pivô David Robinson e era o que Ike utilizava no Clippers), a camisa 1 foi disponibilizada para ele.

Ike Diogu

E mais…

Confirmado, Gary Neal de volta ao time

Gary Neal

Com a contusão de Manu Ginóbili, Gregg Popovich logo tratou de convocar o ala segundanista Gary Neal, que estava no Austin Toros (equipe filiada ao San Antonio Spurs na D-League). Na temporada passada, Neal anotou 9,8 pontos e 2,5 rebotes por jogo, além de liderar os novatos no aproveitamento dos tiros de três pontos acertando 41,9% dos arremessos do perímetro.

Anúncios

Spurs manda Cory Joseph para o Austin Toros

O San Antonio Spurs anunciou nesta terça-feira (3) que enviará o novato Cory Joseph para o Austin Toros, equipe que disputa a Liga de Desenvolvimento da NBA (NBDL). O estágio de Joseph no Toros, franquia que é filiada ao Spurs, é por tempo indeterminado.

Oriundo da Universidade do Texas, o jovem armador foi a 29ª escolha do último draft e pouco jogou até aqui. Em seis partidas disputadas, Joseph somou dois pontos, três rebotes e três assistências num total de 22 minutos.

E mais…

Gary Neal deverá voltar ao Spurs nesta semana

Gary Neal - San Antonio SpursEnquanto Cory Joseph vai, Gary Neal volta. O ala-armador também havia sido enviado a Austin, onde recuperaria a forma após cirurgia para retirada do apêndice, mas deverá ser chamado novamente. Isso porque o argentino Manu Ginobili se machucou e deverá ficar fora de combate por pelo menos quatro semanas. Welcome back, Neal!

Um novo Tim Duncan

Duncan longe da cesta: funciona?

A derrota de segunda-feira (2) para o Minnesota Timberwolves foi terrível. Além do revés, o San Antonio Spurs perdeu o argentino Manu Ginobili por tempo indeterminado. Acredita-se que o ala-armador se ausentará por até seis semanas. Apesar dos pesares, a noite de ontem teve alguns pontos positivos. O principal deles (talvez o único, na verdade) foi Tim Duncan.

Mas por que o velhaco Duncan, no auge de seus 34 anos, pode ser considerado um ponto positivo? É fato que o camisa 21 nem de longe lembra aquele garoto que encantou a liga e ganhou quatro títulos há alguns anos. É fato também que Timmy está mais lento e cada vez pior na defesa, mas ontem contra o Wolves Duncan mostrou que pode reinventar seu jogo.

Como disse anteriormente, Timmy está mais devagar. Os joelhos desgastados denunciam a idade avançada de um veterano incansável, que ainda treina e joga em alto nível. Mesmo com tantos problemas, Duncan ainda á capaz de contribuir – e muito – com o San Antonio Spurs, mas para isso precisa ajustar seu estilo de jogo.

Digo ajustar pois creio que essa seja a palavra certa. Desde que entrou na NBA, Timmy sempre mostrou muita versatilidade. Por ser muito bom de costas para a cesta e dominar os pivôs adversários, pouca gente lembra que ele tem um arremesso de média distância bastante confiável. Contra o Minnesota Timberwolves, Duncan mostrou que essa arma pode ser muito eficaz. Diante de Darko Milicic (que é um bom defensor), o camisa 21 acertou uns cinco ou seis mid-shots certeiros e manteve, em certo ponto da noite, o Spurs emparelhado com o rival no marcador.

É aí que entra o ajuste no estilo de jogo. Ninguém quer que ele deixe de jogar de costas para a cesta e apague todo o talento que o consagrou, mas Duncan pode – e deve – se posicionar mais longe do aro em alguns momentos. Gregg Popovich é esperto, já deve ter pensado em algo parecido e sabe que Duncan, além da pontaria calibrada, possui uma habilidade de passe incomum. Enquanto o ala-pivô se desloca, DeJuan Blair ou Tiago Splitter podem se estapear com os rivais pelos rebotes.

Tim Duncan é um gênio, considerado por muitos o melhor ala-pivô da história da NBA. Aos 34 anos, ele ainda tem muita lenha para queimar e mostrou ontem que é capaz de se reinventar. Para isso basta muito treino e algumas jogadas desenhadas para esse arremesso de média distância sair limpo. O que vocês acham? 

Spurs (3-2) @ Timberwolves (2-3) – Puro azar

96X106

Nesta segunda-feira (2), o San Antonio Spurs viajou até Minnesota e foi derrotado pelo Timberwolves por 106 a 96. Para piorar, o argentino Manu Ginobili deixou a quadra machucado e deverá ficará mais de um mês fora. Ginobili foi embora ao final do segundo quarto após chocar o braço esquerdo contra o pivô Anthony Tolliver e deverá passar por exames mais detalhados nesta terça-feira (3).

Manu deverá ficar mais de um mês fora (AP Photo/Jim Mone)

Vamos ao jogo: os comandados de Gregg Popovich até atuaram bem, mas foram surpreendidos por um adversário inspiradíssimo. Kevin Love e companhia acertaram 57,7% de seus arremessos de quadra (41-71) e 57,1% da linha dos três pontos (12-21). Para se ter uma ideia da disparidade, nós acertamos 43,9% (36-82) do tiros normais e 35% de longa distância (7-20).

Jefferson foi um dos poucos destaques do Spurs (AP Photo/Jim Mone)

San Antonio começou a partida muito bem e logo de cara abriu sete a zero no marcador. A vantagem durou pouco – foi pulverizada com um punhado de arremessos de três pontos. No intervalo, o time da casa vencia por 66 a 59. Na volta do descanso, Tim Duncan e companhia até tentaram reagir, mas uma corrida espetacular do Timberwolves brecou o ímpeto texano. Após essa arrancada ficou muito complicado. Os comandados de Rick Adelman souberam administrar a vantagem e conquistaram sua segunda vitória consecutiva na temporada (derrotaram o Dallas Mavericks na segunda-feira).

Além da noite inspirada do Minnesota Timberwolves, achei a defesa do Spurs bem ruim ontem. Minha crítica aqui vai principalmente para Tony Parker, que está defendendo muito mal (pior do que o costume, se é que isso é possível). TP levou um verdadeiro baile do Luke Ridnour (19 pontos e nove assistências) e ainda por cima foi péssimo no ataque – acertou apenas três em 11 arremessos.

Em contrapartida, gostei muito do Richard Jefferson e do Tim Duncan. Jefferson é inconstante, todos sabemos, mas se jogasse sempre o que jogou ontem seria um reforço fantástico. Duncan, por sua vez, usou e abusou dos tiros de média distância e fez um estrago na defesa adversária. Timmy marcou 16 pontos (7-12) em 28 minutos.

O próximo adversário do San Antonio Spurs é o Golden State Warriors. Embate acontece na quarta-feira (4) em San Antonio.

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 16 pontos e cinco rebotes

Richard Jefferson – 16 pontos

Tiago Splitter – 12 pontos e três rebotes

Tony Parker – 11 pontos e nove assistências

Minnesota Timberwolves

Kevin Love – 24 pontos e 15 rebotes

Luke Ridnour – 19 pontos e nove assistências

Michael Beasley – 19 pontos e cinco rebotes

Wesley Johnson – 14 pontos