Arquivo diário: 09/10/2011

As que chegaram

Na semana passada, esta coluna começou um balanço do rendimento das jogadoras nessa temporada. As novatas foram as primeiras avaliadas, e hoje, as que atletas chegaram neste ano serão o foco.

Com o intuito de levar o time ao título, o gerente geral e técnico Dan Hughes fez algumas contratações e trouxe nomes já conhecidos ao elenco, além das primeiranistas.

Tully Bevilaqua apareceu como a melhor delas, mas não ajudou muito. A australiana foi titular na maioria dos jogos, perdendo a vaga para Danielle Robinson na reta final. Isso aconteceu porque o forte dela é a marcação e, como uma verdadeira armadora (1), não pontua muito. Ainda assim, nos momentos de aperto, ela pôde cuidar de estragos feitos pela novata, mas isso já foi feito por Becky Hammon em alguns momentos. Pode ser que ela se aposente nessa temporada mesmo ainda não tendo anunciado nenhuma mudança.

Honeeka Hodges foi uma jogadora inconsistente e que pontuou pouco na temporada. Tinha seus momentos acertando belos arremessos de três pontos, mas não era isso que o time precisava. Na verdade, foi essa falta de frequência nos acertos que impediu a equipe de seguir até a final e, talvez, levar a taça.

Jia Perkins, veterana com sete anos na liga, teve pontuação média nesta temporada maior do que em sua carreira (12 pontos por jogo em 2011, 11,2 na carreira). Infelizmente, Dan Hughes demorou um tempo para fixá-la como titular, insistindo em Scholanda Robinson. Dependendo de seu contrato, fica no time, pois é consistente na pontuação.

Scholanda Robinson, completamente volúvel e fraca, foi titular durante um bom tempo, sem ajudar em muita coisa. Uma imagem de sua pontuação: na carreira, a média é de 6,9 pontos por jogo, sendo que nessa temporada terminou com 4,8. Nos playoffs, foi menos útil ainda, anotando 2,5.

Dessas, a que precisa sair com urgência é a última.

————————————————————————————–

E como estão as Stars no Velho Continente?

A número 8, na ponta direita, é Sophia Young, que está se saindo bem com a seleção norteamericana.

O tour norteamericano terminou com três vitórias e duas derrotas. Sophia Young foi relativamente bem nos jogos contra o Ros Casares (Espanha) e o EU Sopron (Hungria) e marcou 12 pontos nas duas últimas partidas. Por outro lado, Danielle Robinson marcou apenas quatro contra o time espanhol, e Geno Auriemma nem a colocou em quadra contra a equipe húngara. Agora, ela já está em Israel, onde jogará a offseason.

Na Rússia, Becky Hammon chegou ao Spartak Vidnoe Moscow Region e fez onze pontos em seu primeiro confronto. Ela começou no banco e esteve em quadra por apenas onze minutos.

Becky Hammon em seu primeiro jogo com o Spartak.

A Euroliga tem início no dia 12, e então a WNBA passa a acontecer na Europa, com uma mistura de jogadoras, estilos e escolas.

E, para encerrar essa edição, o campeão da temporada de 2011 da WNBA foi o Minnesota Lynx, com três vitórias sobre o Atlanta Dream (das brasileiras Érika e Iziane). Você pode ler mais sobre isso em um post que escrevi no meu blog, o Dentro da WNBA.

E fiquem atentos para as noticias nas próximas semanas. Ainda é cedo para grandes novidades acontecerem no San Antonio, mas os campeonatos europeus são palcos de disputas emocionantes e cheias de talento.

Até a semana que vem!
Roberta

Anúncios