Arquivo diário: 08/10/2011

Enquanto isso, na Europa…

Na última terça-feira (4), donos de franquias e jogadores da NBA se encontraram em Nova York para tentarem um acordo que colocaria fim ao locaute. Infelizmente, as negociações não fora concluídas, toda a pré-temporada foi cancelada e as duas primeiras semanas da temporada regular correm o mesmo risco. Com a indefinição, os atletas estão dando um jeito para manter a forma durante a paralisação. No San Antonio Spurs, não é diferente: Tim Duncan, Tiago Splitter, Kawhi Leonard e Cory Joseph estão treinando juntos na cidade texana. Mas também existem aqueles que escolheram um outro caminho durante a greve: ir jogar profissionalmente na Europa.

Mas ele vai voltar... acho

A lista é encabeçada por Tony Parker. O armador acertou para jogar no ASVEL, equipe que tem o jogador francês como acionista. Por isso, o atleta topou uma redução drástica no seu salário para atuar por seu time: vai receber apenas 1.500 euros (aproximadamente R$ 3.800,00) por mês enquanto estiver na França. É o salário mínimo da liga local. Para se ter uma ideia, Parker ganhará mais de um milhão de dólares por mês do Spurs na próxima temporada – se ela acontecer, é claro. A estreia do armador pelo ASVEL está prevista para sexta-feira (14), diante do Paris Levallois.

Mas também existem aqueles que já estão em atividade na Europa. Assim que o locaute foi instalado, DeJuan Blair acertou sua transferência para o BC Krasnye Krylya Samara, da Rússia. E não vem fazendo feio por sua nova equipe: nas três primeiras partidas, o ala-pivô apresentou médias de 22,3 pontos (65,2% FG, 70% FT) e dez rebotes em aproximadamente 25 minutos por exibição.

É importante para Blair se manter em atividade. Primeiramente porque ele é, ao lado de James Anderson, aquele que mais aparenta ter problemas com peso no elenco do Spurs. Segundo porque ele foi o jogador que mais terminou a última temporada em baixa em relação ao que pode fazer, e precisa trabalhar seu jogo para dar a volta por cima e voltar a conseguir uma fatia relevante de minutos na equipe texana. Potencial para isso ele tem. Hoje, o jogo ofensivo de Blair é baseado na força e no posicionamento. Se ele conseguir aprender algo da técnica e do arremesso de média distância característicos dos pivôs europeus, pode se tornar um jogador melhor. Além disso, o ala-pivô tem como defeito claro sua defesa, o que eu espero que seja aprimorado durante sua passagem pela Rússia.

Quem também se aventurou no velho continente foi Danny Green. O ala acertou para jogar pelo KK Union Olimpija, da Eslovênia. Acaba de disputar seu primeiro jogo, diante do Krka, e anotou 19 pontos e cinco assistências na vitória por 80 a 72 de seu time. A equipe é a mesma que recentemente anunciou a contratação de Davis Bertans, selecionado pelo Spurs no Draft deste ano.

Green será um dos jogadores jogadores que, ao lado de Kawhi Leonard, James Anderson e Da’Sean Butler, disputará minutos na rotação do Spurs na reserva das posições 2 e 3. E o ala sai na frente por dois motivos: por estar em atividade durante o locaute e por ter sido acionado por Gregg Popovich nos últimos playoffs. Green é especialista em defesa, o que pode fazer com que ele renda melhor do que Richard Jefferson na posição 3 da equipe texana, mesmo sendo tecnicamente mais limitado. Resta saber quais serão os planos de Pop para ele.