Arquivo diário: 17/09/2011

Lituânia e Eslovênia vencem na despedida

Neste sábado (17), em um dos jogos complementares da repescagem do Eurobasket-2011, a Lituânia fez a festa da torcida local ao vencer a Grécia por 73 a 69 e garantir a quinta colocação do torneio. O pivô Robertas Javtokas anotou um duplo-duplo na partida: contribuiu com dez pontos (5-10 FG, 0-2 FT) e dez rebotes em 31 minutos. Lituanos e gregos estão classificados para o Pré-Olímpico Mundial, que será disputado em 2012.

Javtokas ajudou a fazer a festa dos donos da casa

Na disputa pelo sétimo lugar, melhor para a Eslovênia. A equipe sobreviveu a um bom quarto período da Sérvia, que marcou 17 pontos e permitiu apenas oito, e venceu por 72 a 68. O ala-pivô esloveno Erazem Lorbek deixou a quadra com oito pontos (2-9 FG, 0-3 3 PT, 4-4 FT), cinco rebotes e três assistências em 23 minutos.

Adquirido pelo San Antonio Spurs na noite do Draft deste ano, Lorbek disputou 11 jogos no Eurobasket e terminou o torneio com médias de 11,1 pontos (39% FG, 30,6% 3 PT, 67,9% FT) e cinco rebotes em 27,2 minutos por exibição. Javtokas, draftado pelo Spurs na 55ª posição em 2001, também jogou 11 partidas, e deixa a competição com médias de 6,3 pontos (50,9% FG, 46,4% FT) e cinco rebotes em 19,7 minutos por embate.

Nenê com a camisa do Brasil? Splitter no NBB? Hum….

Já faz uma semana que nós, brasileiros fãs de basquete, somos olímpicos. Há exatos sete dias, o Brasil vencia a República Dominicana e garantia vaga nos Jogos de Londres-2012. A seleção de Rubén Magnano causou uma euforia no país que há muito, mas muito tempo o basquete não causava. Euforia, claro, que me contagiou. Mas agora, longe deste sentimento, me sinto mais à vontade para comentar duas dúvidas que surgiram após a classificação histórica. Leandrinho e Nenê devem ser convocados para a Olimpíada? Tiago Splitter deve vir jogar no NBB?

As duas perguntas me parecem de difícil resposta. Vamos então à primeira: seria justo convocar os três jogadores da NBA que não participaram da Copa América para a Olimpíada, tirando a vaga de quem garantiu a histórica classificação para a seleção? A princípio, me parece errado generalizar o trio. Anderson Varejão estava machucado, e mesmo assim se apresentou a Magnano. Leandrinho pediu uma dispensa nebulosa, alegando lesão, mas quase sempre se mostrou disponível quando foi convocado. Nenê, este sim, é presença rara na equipe nacional. Me lembro de vê-lo jogando apenas um torneio pela seleção, na nada ruim cidade de Las Vegas…

Isto posto, penso, a princípio, que o ideal seria chamar os três. Uma equipe tende a ser mais forte quando tem seus melhores jogadores à disposição. De fora, penso que não chamá-los seria punir a seleção, e não os atletas. Mas de fora é fácil falar. Até que ponto a convocação poderia quebrar a coesão do grupo, o sentimento de equipe, tão importantes na conquista da vaga? Pode parecer uma besteira na primeira impressão, mas o penteado moicano de todos na final foi uma prova pública de união.

Pelo que pôde-se sentir nas declarações dos jogadores após a classificação, Leandrinho e Varejão são presenaças bem-vindas. Nenê, nem tanto. A fala de Alex mostrou bem isso. Deste modo, tomaria minha decisão somente após uma conversa reservada com cada um dos líderes da seleção – além do ala-armador, Marcelinho Huertas, Marcelinho Machado, Guilherme Giovannoni e Tiago Splitter teriam o direito de opinar. Definiria minha lista olímpica só após esses cinco bate-papos. Bate-papos que só Magnano poderá ter – a nós, caberá respeitar a decisão do argentino, que até agora faz um trabalho praticamente irretocável à frente do Brasil.

Por falar em Splitter, o que dizer de seu desempenho na Copa América? Acho que todos acreditam que foi abaixo do esperado. Mas acontece! O pivô do San Antonio Spurs encarou adversários de respeito, principalmente nos garrafões dominicano e argentino. Além disso, vale lembrar que ele voltou a sofrer com contusões em sua preparação e não chegou a Mar del Plata no mesmo nível físico de seus companheiros.

Depois de ajudar a garantir a Seleção na Olimpíada, Splitter passou a ser protagonista de rumores que tratam de sua vinda para o NBB. Brasília, Flamengo e Pinheiros aparecem como candidatos. E a pergunta que fica é: seria bom para o pivô jogar na liga brasileira enquanto o locaute não acabar?

A minha opinião é: depende do tempo que a paralização durar. Durante os próximos meses, as equipes brasileiras vão jogar importantes competições, como a Liga Sul-Americana. Neste período, a NBA, no máximo, na pré-temporada ou nos primeiros jogos na regular – mas, pelo andar da carroagem, duvido que o locaute acabe a tempo. Mas e depois? E se o locaute durar até janeiro, fevereiro? Valerá a pena para Splitter jogar em um campeonato em que ele será o principal pivô? É verdade, ele enfrentará garrafões de respeito, como o do Flamengo, formado por Kammerichs e Caio Torres. Mas, em uma fase em que sua carreira ainda está se desenvolvendo, talvez valeria mais a pena para Splitter ir atuar na Espanha, em um nível maior.

Novidade no WordPress

Nessa semana, o painel do WordPress – tela de controle do site, que só pode ser acessada por nós, blogueiros – apresentou uma novidade. Agora, é possível ver quem fez mais comentários na página. Pois bem: desde fevereiro de 2008, primeiro mês da história deste blog, nossos leitores mais fiéis nesse sentido são Henrique, Bruno e K-delmondes, cada um com mais de 80 comentários. Valeu, galera!