Arquivo diário: 04/09/2011

Vitórias, conquista e quase lá…

Só mais uma vitória e a quarta vaga do Oeste nos playoffs já é do San Antonio Silver Stars. O caminho para que isso aconteça não é tão difícil, mas antes de discorrer sobre ele, vejamos como foi a semana das estrelas prateadas.

Becky Hammon passou pela ala Tan White, do Connecticut Sun, aos 2:23 do segundo quarto para marcar seu 4999º ponto. Recebeu falta e foi para a linha do lance livre, onde sagrou-se a sétima jogadora chegar à essa pontuação na WNBA.

Finalmente, um saldo positivo na conta do time texano. Foram três jogos, sendo que dois deles tiveram final feliz. O primeiro não apenas para o elenco, mas especialmente para Becky Hammon, que atingiu seu quinto milésimo ponto na carreira. Isso aconteceu na terça-feira, dia 30 de agosto, contra o Connecticut Sun, no AT&T Center. Além de ter se tornado apenas a sétima jogadora a atingir essa marca na história da WNBA, ela foi a cestinha da partida, com 16 pontos, que levaram o time a uma vitória de 78-66. No fim, apesar de sua conquista pessoal, Becky disse que a vitória foi mais importante do que os cinco mil pontos. Segundo ela, ter vencido esse confronto foi um grande peso tirado das costas das meninas.

E ela tem razão, pois no final da semana elas perderam um jogo que poderia tê-las custado a tão desejada vaga nos playoffs. Mas antes desse triste desfecho, o Phoenix Mercury foi a segunda vítima. No dia 1º de setembro, Diana Taurasi e seu esquadrão roxo perderam de 86 a 68, também em domínio texano.

Quem não permitiu que o Stars fechasse a semana com campanha 3-0 foi o Seattle Storm. Sue Bird estava em território inimigo, mas marcou 15 pontos e liderou seu time na vitória de 70 a 60, ontem (3/7). Ainda assim, a maior pontuadora foi Sophia Young, que deixou 22 pontos para o San Antonio.

Sabendo o que aconteceu nos jogos dessa semana, agora é hora de conhecer o futuro da equipe.

Na terça-feira, o San Antonio Silver Stars enfrenta seu concorrente direto à quarta vaga do Oeste nos playoffs, o Los Angeles Sparks. Nesse ano, o time californiano não está fazendo jus à sua história. Desde sua criação, em 1997, são onze aparições na segunda fase da WNBA (1999-2006, 2008, 2009 e 2010). Agora, em 2011, para que Candace Parker e suas companheiras de time consigam mais um espaço para o Sparks, precisam vencer os três próximos jogos, sendo o primeiro deles contra o Stars.

Mas depois desse compromisso, a agenda do San Antonio fica tranquila… tão tranquila quanto a do Los Angeles. Confuso, não? É porque os dois enfrentam times “café-com-leite”. Para o do Texas, no caminho se encontram Washington Mystics e Tulsa Shock, que já estão desclassificados. Para o da Califórnia, Tulsa Shock e Chicago Sky, quase um espelho dos adversários do Stars, uma vez que o Sky também não tem mais chances de seguir em frente na competição.

Dan Hughes e sua assistente técnica Vickie Johnson têm experiência em playoffs. Juntos, podem puxar a alavanca do sucesso do Stars em 2011

Nesse duelo, a vantagem é de Dan Hughes e suas meninas, pois basta venceram uma partida e a vaga está garantida. Para que o Los Angeles tire isso do Stars, é necessário que o atual quarto lugar (San Antonio) perca todas as partidas seguintes, o que é praticamente impossível, levando em consideração os dois últimos jogos da semana. O Washington apareceu apagado na competição esse ano. Da única vez que recebeu o rival texano no Verizon Center, perdeu. E o Tulsa Shock… bom, bateu recorde de derrotas na história da WNBA, e já perdeu três vezes para o San Antonio.

A conclusão é que o San Antonio Silver Stars só não chega aos playoffs se os alienígenas do Space Jam passarem pelo AT&T Center.

Brincadeiras à parte, realmente está fácil, mas conhecendo a equipe texana e o técnico Dan Hughes, a certeza é que, em cada um desses três jogos, o time entrará para jogar como se fosse o último de sua história.

Finalmente, a semana derradeira da temporada regular. Para alguns, só pensar nos playoffs é o que resta; para outros, apenas dois na verdade, a labuta ainda está presente.

Não percam os jogos dessa semana, que têm de tudo para serem definidos pela experiência de estrelas como Tina Thompson (Los Angeles Sparks) e Becky Hammon (San Antonio Silver Stars).

San Antonio Silver Stars e Los Angeles Sparks definem a agenda dos playoffs da WNBA nessa semana. Os jogos dessas equipes são os mais importantes dos próximos sete dias.

Até a semana que vem!
Roberta, #GoStarsGo

Parker é discreto, mas França bate a Itália

Neste domingo (4), dia de folga das seleções da Copa América, as atividades do basquete internacional ficaram restritas ao Eurobasket. Na competição, a França venceu a Itália por 91 a 84 em um jogo difícil. O armador Tony Parker não fez grande partida, e deixou a quadra com oito pontos (3-11 FG, 0-1 3 PT, 2-4 FT), quatro assistências e três rebotes em 24 minutos. Já o combo guard Nando De Colo, que veio do banco, anotou quatro pontos (2-4 FG, 0-2 3 PT) e um rebote em 17 minutos. Os franceses venceram os quatro jogos que fizeram até aqui e lideram o grupo B, ao lado da Sérvia.

Parker não fez um bom jogo contra os italianos

Nesta mesma chave, a Letônia também fez um jogo apertado, mas não teve a mesma sorte da França e acabou derrotada por Israel por 91 a 88. A seleção perdeu as quatro partidas que fez até aqui na competição. Davis Bertans começou o embate no banco de reservas, e somou sete pontos (3-8 FG, 1-5 3 PT), um rebote e uma assistência em 18 minutos.

A Lituânia, por sua vez, perdeu sua primeira partida. A equipe, que joga em casa no Eurobasket, foi derrotada pela Espanha em duelo de times que venceram seus três primeiros embates. O pivô Robertas Javtokas anotou sete pontos (3-3 FG, 1-2 FT), três rebotes e um toco em 12 minutos neste jogo.

No grupo D, a Georgia de Viktor Sanikidze derrotou a Ucrânia por 69 a 53. O ala teve mais uma partida sólida, adicionando oito pontos (4-9 FG, 0-1 3 PT) e 12 rebotes em 33 minutos. Sua equipe tem duas vitórias e duas derrotas até aqui na competição.

Enquanto isso, a Eslovênia segue invicta nesta chave. A vítima deste domingo foi a Bélgica, que perdeu por 70 a 61. O ala-pivô Erazem Lorbek foi discreto neste duelo, anotando sete pontos (3-8 FG, 0-2 3 PT1-2 FT), cinco rebotes e três roubadas de bola em 22 minutos.

E mais…

DeJuan Blair vai jogar na Rússia

O ala-pivô DeJuan Blair vai mesmo atuar na Rússia enquanto o locaute não acabar. O jogador assinou com o Krylya Samara, e seu contrato inclui uma cláusula de recisão automática prevista para quando a NBA voltar ao normal. Em sua nova equipe, Blair atuará ao lado dos alas Jarvis Hayes e Joe Alexander, que também tiveram passagem pela liga profissional americana.

Brasil se classifica em segundo no grupo A

News by Koba

Fechando a primeira fase da Copa América, o Canadá foi batido na prorrogação pela Venezuela. Recentemente draftado pelo San Antonio Spurs, Cory Joseph anotou apenas um tento na partida. O Brasil, por sua vez, venceu a fraca equipe de Cuba por 93 a 83. Rubén Magnano deu um descanso para Splitter, que só jogou os dez minutos do terceiro período, anotando quatro pontos e coletando três rebotes.

A Argentina também jogou, e tomou um susto frente ao Panamá, indo para os vestiários com o placar em 39 a 38 a favor dos visitantes. Mas os donos da casa consertaram os erros cometidos e garantiram a primeira colocação no grupo B.

Depois dos jogos, foi anunciada a tabela da segunda fase da Copa América. Confira abaixo os jogos com atletas do Spurs envolvidos:

  • 5 de setembro: Canadá x Argentina (18:00); Brasil x Uruguai (20:30);
  • 6 de setembro: Porto Rico x Canadá (11:30); Argentina x Venezuela (18h); Brasil x Panamá (20:30);
  • 7 de setembro: Canadá x Uruguai (11:30); Brasil x Argentina (18:00);
  • 8 de setembro: Canadá x Panamá (11:30); Argentina x República Dominicana (18:00); Brasil x Porto Rico (20:30).

Agora sim (fotos: http://www.cbb.com.br)

E mais…

Eslovênia vence a Georgia em duelo de prospectos

Neste sábado, a Eslovênia venceu a Georgia por 87 a 75. Erazem Lorbek ajudou a sua equipe, além de vencer o duelo individual entre os jogadores do Spurs, anotando 12 pontos, seis rebotes e três assistências, contra dez tentos de Viktor Sanikidze, que também cometeu cinco erros (turnovers).