Melhorando, mas ainda perdendo

Mais uma vez o San Antonio Silver Stars fechou a semana com saldo negativo, com apenas uma vitória somada a duas derrotas.

O primeiro jogo foi uma vergonha por diversos motivos, e o peso dessa derrota é minimizado apenas pelo fato de ele ter acontecido em Seattle, na KeyArena, contra o time da casa, e ainda contado com a presença de Lauren Jackson no ginásio.

Apesar dos esfoços, não deu para vencer o Seattle Storm na terça-feira

Ofensiva e defensivamente o time texano estava irreconhecível. Uma das razões foi a misteriosa baixa de rendimento da ala Sophia Young, que vinha desde o primeiro confronto entre esses times, no dia 14 de julho. Na defesa, as jogadoras do time rival tinham liberdade tanto para arremessar da linha de três pontos quanto para fazer o básico embaixo da tabela. O resultado final foi 78 a 64. Houve um momento em que o Stars quase ultrapassou o Storm, mas o jogo já era das donas de casa.

E o que vinha pela frente na agenda não seria mais fácil.

Pela segunda vez, as garotas comandadas por Dan Hughes enfrentaram o Minnesota Lynx (primeiro lugar do Oeste). Que jogo! O San Antonio Silver Stars jogou muito bem, assim como seu anfitrião. De novo o placar foi definido nos segundos finais, e quando Taj McWilliams-Franklin fez o sexagésimo segundo ponto do Lynx, o Stars foi deixado com apenas 1,3 segundos para empatar ou vencer. Infelizmente, nenhum desses aconteceu, apesar da boa apresentação do time. Segundo a comentarista da partida, essas equipes vão fazer a final da conferência, e eu concordo completamente.

A propósito, nesse jogo Sophia Young voltou ao normal. Fez um double-double, marcando 18 pontos e arrecadando 13 rebotes.

A defesa forte do San Antonio Silver Stars levou o Minnesota a cometer muitos erros cruciais, apesar da estatística mostrar mais desses para o visitante. No rebote, as jogadoras foram muito melhor do que o normal. Elas agarraram 39, a mesma quantidade do Lynx. Agora, o próximo highlight merece um parágrafo exclusivo.

Jayne Appel tem melhorado seu jogo em pontos, rebotes e tomadas de bola, tudo o que o Stars precisa no momento.

Jayne Appel. Ou ela tem acompanhado essa coluna, ou tudo confirma o que Bruno Pongas costuma dizer: Dan Hughes é o cara! A média de pontos dessa garota (segundo ano na liga, mas quase não jogou no ano passado) é de 3,6 nessa temporada, e 3,5 na carreira. Nos últimos três jogos, ela marcou 7, 8 e 7, nessa ordem. Se estivéssemos falando de outra jogadora, isso seria lamentável, mas é a Jayne Appel. A mão-de-alface que só atrapalha as jogadas do Stars e é constantemente pedida, pelos torcedores, para ser trocada. No último jogo, contra o Tulsa Shock, ela até acertou uma bola de três pontos. Sua média de rebotes na carreira é de 3,4, e nos dois últimos jogos foram 6, em cada um, vindos de suas mãos. Quanto aos minutos em quadra, Hughes certamente os fez serem maior: 13,8 na temporada, 15, 15 e 24 nos três últimos jogos. Ela só precisa melhorar nas faltas, pois quase precisou ficar fora de quadra em suas duas últimas atuações.

Essa é uma notícia excelente para o San Antonio Silver Stars, já que Danielle Adams ainda é desfalque. Claro que o que ela pode fazer não é suprido por Jayne, mas só de saber que existe mais uma jogadora para se confiar em momentos importantes é um alivio, assim como o último jogo da semana.

Para fechar a agenda, o San Antonio enfrentou o Tulsa, o time coringa da temporada (1-19), e ganhou de 72 a 64. Com essa vitória, voltou para a segunda posição, ainda com a mesma campanha do Seattle Storm (12-8). Hoje, o time de Sue Bird joga contra o Atlanta Dream e fará um enorme favor se perder, caso contrário o Stars cai novamente para o terceiro lugar, com chances de empatar com o Phoenix Mercury (11-8, e também joga hoje).

Alcançar a vantagem sobre esses times é muito importante, pois terminar a temporada regular em segundo ou terceiro lugar significa não pegar o Minnesota Lynx na primeira rodada dos playoffs.

E para que isso aconteça, na terça-feira, às 19h, o San Antonio joga em Indianápolis contra o Indiana Fever. Na quinta-feira, às 19h30, o adversário do time do AT&T Center será o Connecticut Sun, na Mohegan Sun Arena. E no domingo, o Chicago Sky vai até San Antonio, para enfrentar o elenco texano às 15h.

Desses, os dois primeiros serão contra os dois primeiros do Leste. Duelos interessantíssimos que mostrarão o poder do nosso time perante as potências de 2011. Não deixe de acompanhar!!!

Até o próximo domingo!
Roberta

Anúncios

Publicado em 07/08/2011, em San Antonio Silver Stars, Vestiário Feminino. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s