Como o locaute afeta o San Antonio Spurs

A NBA encara neste exato momento sua maior crise desde 1999. A associação de jogadores e a liga não entraram em acordo para a renovação do contrato coletivo de trabalho, e o locaute foi instalado. Entenda melhor a situação neste excelente texto do meu colega Glauber da Rocha. Claro que ainda é cedo para tirarmos conclusões a respeito da paralisação, que ainda sequer completou uma semana. Mas já podemos começar a pensar a influência que essa situação pode ter sobre o San Antonio Spurs.

Os beneficiados

A primeira coisa que vem à cabeça é a possibilidade de uma temporada reduzida, como foi em 1999. Naquele ano, a NBA começou somente em fevereiro, e cada equipe disputou “apenas” 50 jogos. Óbvio que um campeonato de menor duração beneficia equipes cheias de veteranos – como o Spurs, que tem Manu Ginobili e Tim Duncan no quinteto titular. E, para os mais supersticiosos, vale lembrar que aquela temporada terminou com título da equipe texana. Dallas Mavericks e Boston Celtics seriam exemplos de outros times favorecidos, já que contam com jogadores mais experientes no elenco.

Nesta semana, Michael de Leon, do site Project Spurs, levantou uma possibilidade interessante. Ele sugeriu que Antonio McDyess volte a jogar caso a temporada seja menor. Sinceramente, a ideia me agrada: com a folha salarial já cheia e com chances de termos um teto ainda menor, dificilmente o Spurs conseguirá contratar alguém melhor que o veterano ala-pivô. Vale lembrar que, hoje, o elenco texano conta apenas com Tim Duncan, Tiago Splitter, DeJuan Blair e Matt Bonner para o garrafão.

Se para os mais experientes uma temporada menor seria benéfico, para os mais jovens o exato contrário se aplica. A Summer League de Las Vegas já foi cancelada e, no elenco texano, vários jogadores fariam ótimo proveito das ligas de verão. É o caso, por exemplo, de Danny Green, James Anderson e Da’Sean Butler, que brigam por minutos na posição 3. Os dois últimos ainda precisam recuperar ritmo de jogo após voltarem de lesão.

Temos ainda dois novatos que devem chegar para imediaramente ganharem algum tempo de quadra: Kawhi Leonard, que pode ser o tão sonhado ala defensivo, e Cory Joseph, que chega com a responsabilidade de substituir George Hill. Isso sem falar nas possíveis chegadas de Nando de Colo e Ryan Richards. É incrível percebermos como a franquia texana conseguiu renovar o elenco sem desmontar completamente a equipe.

Vantagem para os veteranos, desvantagem para os novatos. Esse é o possível efeito do locaute sobre o Spurs e sobre todas as equipes da NBA. Sinceramente, acho que a equipe texana sai perdendo por conta da clara renovação a que se propôs nesta offseason. Mas, quem sabe com uma temporada diminuída, Duncan não possa encontrar fôlego para mais um título da NBA no que provavelmente será seu último ano na liga.

Sobre Lucas Pastore

Um dos fundadores do Spurs Brasil. Formado em Jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2010, é editor assistente do UOL Esporte. Cobriu o basquete olímpico na Olimpíada de 2016 pelo LANCE!. Trabalhou também para Basketeria e mob36.

Publicado em 02/07/2011, em Na linha dos 3. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s