Arquivo diário: 25/06/2011

Spurs pós-Draft: Quilos de novatos

Cinco novos jogadores. Esse é o saldo do San Antonio Spurs, que, além de suas duas escolhas no Draft de quinta-feira, mandou George Hill para o Indiana Pacers em troca de mais três atletas. Imagino que você, torcedor da equipe texana, ainda está quebrando a cabeça para enteder qual será o impacto de tudo isso. Como ficará a rotação para a próxima temporada? Quais jogadores serão usados de maneira imediata? Por isso, uso esse espaço de hoje para tentar explicar tudo o que aconteceu com a franquia.

Por favor dê certo, menino Leonard

Vamos começar falando daquele que, provavelmente, causará o maior impacto na próxima temporada: Kawhi Leonard, 15ª escolha do último Draft. O jogador é um ala com características defensivas: tudo o que o Spurs sonhava desde a saída de Bruce Bowen. Alem disso, seu atleticismo, sua força física e sua capacidade de pegar rebotes fazem com que o atleta possa quebrar um galho como ala-pivô. Especialistas americanos comparam seu estilo ao de Shawn Marion, Gerald Wallace e Luc Mbah a Moute.

Isso pode dar uma versatilidade defensiva interessante para o Spurs. Eu explico: em alguns momentos, o técnico Gregg Popovich pode utilizar uma formação com dois armadores, Leonard ao lado de Richard Jefferson nas alas e um pivô. Assim, o novato sempre ficaria encarregado de defender o principal ala adversário, seja ele SF ou PF. Contra o Dallas Mavericks, por exemplo, o prospecto cuidaria de Dirk Nowitzki, enquanto Jefferson ficaria em Shawn Marion. Já contra o New York Knicks, Leonard tomaria conta de Carmelo Anthony, enquanto Jefferson marcaria Shawne Williams.

Dos cinco jogadores aquiridos pelo Spurs na noite do Draft, o outro que deve integrar o elenco texano imediatamente é o canadense Corey Joseph, 29ª escolha de 2011. O jogador pode atuar nas posições 1 e 2, mas, a princípio, deve ser utilizado como reserva da armação, já que, com a saída de Hill, o time conta apenas com Tony Parker para a função. O que agrada no novato é a sua capacidade defensiva – que pareceu prioridade da equipe neste recrutamento – e, por isso, ele deve ganhar alguns pontos com Pop.

Deste modo, imagino que a rotação do Spurs para a próxima temporada seria assim:

PG – Tony Parker / Corey Joseph
SG – Manu Ginobili / Gary Neal / James Anderson
SF – Richard Jefferson / Kawhi Leonard / Da’Sean Butler
PF – DeJuan Blair / Matt Bonner
C – Tim Duncan / Tiago Splitter

Com Jefferson em vantagem sobre Leonard porque Pop não costuma dar muito tempo de quadra para os novatos logo de cara. E, só para citar, eu não me surpreenderia se Tiago Splitter começasse a temporada de titular ao lago de Tim Duncan no garrafão. Vale lembrar também que o Spurs tem três agentes livres nesta offseason: Danny Green, Chris Quinn e Steve Novak. Mas acredito que só o primeiro tem chances de ficar.

De qualquer modo, dá para perceber que o garrafão é o setor que mais carece de reforços. Por isso, a diretoria do Spurs já manifestou interesse em contar com o ala-pivô Erazen Lorbek, selecionado pelo Pacers na 46ª escolha de 2005 e trocado para o time texano na transação que enviou Hill para Indianápolis. Além disso, a equipe de San Antonio já iniciou as conversas para trazer Ryan Richards, 49ª escolha do Draft de 2010.

Na segunda rodada, a principal aposta foi o ala Davis Bertans, selecionado na 42ª escolha. O letão é um excelente arremessador do perímetro e é bastante alto para a posição 3. Porém, ainda é fraco fisicamente e cru para a NBA – por isso, deve ficar mais dois anos na Europa. Mas a principal incógnita é Adam Hanga, que veio na 59ª escolha do Draft. O ala-armador joga em seu país natal, a Hungria, e é completamente desconhecido. Pode tanto ser um novo Manu Ginobili quanto nunca vestir a camisa de uma equipe da liga americana. Considero esses dois cartas fora do baralho para a temporada 2011/2012.

Acredito que, caso o Spurs queira se reforçar no perímetro com um novato, então a aposta será Nando de Colo. O jogador – que pode atuar nas posições 1 e 2 – foi selecionado pela equipe texana na 53ª escolha do Draft de 2009, e atualmente se prepara para defender a França no Europeu de seleções ao lado de Parker.

Existe a chance, ainda que pequena, de o time de San Antonio ter cinco novatos para a próxima temporada: Joseph, de Colo, Leonard, Lorbek e Richards. Uma equipe inteira, certinha, com dois armadores, um ala e dois jogadores de garrafão. Pesquisei e vi que isso não acontece desde a temporada 1988/1989, quando sete prospectos vestiram a camisa da equipe texana (Michael Anderson, Keith Smart, Vernon Maxwell, Anthony Bowie, Willie Anderson, Todd Mitchell e Shelton Jones). Nunca aconteceu na era Popovich. Alguém consegue imaginar o Spurs com quilos de novatos na próxima temporada?