Arquivo diário: 16/05/2011

Quem realmente tem vaga garantida na equipe?

koba

Recentemente, nosso blogueiro Lucas Pastore escreveu um artigo sobre possíveis trocas para o Spurs, envolvendo Matt Bonner e Richard Jefferson. Dentre as trocas que ele citou, eu gostaria das que envolveram os brasileiros Anderson ou Nenê, mas dificilmente uma delas irá ocorrer, já que o pacote oferecido é relativamente fraco tecnicamente. Thaysaun Prince também supriria a nossa principal carência, podendo ser adquirido no mercado de agentes livres, mas contratá-lo pode ser um tiro no escuro. Para viabilizar as trocas, outros nomes atrativos poderiam ser incluídos: Gary Neal e DeJuan Blair seriam as principais peças para “fechar” o quebra-cabeças. Calma pessoal, é só uma hipótese e o texto está apenas começando.

Trocar um dos melhores novatos pode parecer loucura, seria como ter dispensado Tony Parker ou Sean Elliot na equipe, mas defensivamente desgosto do jogo de Neal. Blair também está estagnado, sem falar que sua altura o prejudica, já que o atleta joga como ala-pivô. Ambos têm ordenados relativamente baixos, logo seriam apenas atrativos para alguma troca.

Supondo que para a próxima temporada houvesse um draft expansionista, a lista dos jogadores protegidos pelo San Antonio Spurs provavelmente seria essa: Tony Parker, Manu Ginobili, George Hill, Tim Duncan e Tiago Splitter. Todos foram draftados pelo Spurs, tendo um forte elo com a equipe. E o trio Parker-Ginobili-Duncan conquistou três títulos para a franquia.

Duncan e Ginobili figuram entre os mais “velhos”, a experiência conta muito, mas a o físico também é importante. O ala-pivô joga duro na defesa, coletando rebotes e bloqueando arremessos; já o argentino rouba muitas bolas e atormenta os adversários. Ambos devem permanecer na equipe e só devem sair caso dê a louca nos dirigentes do Spurs.

Parker está há mais tempo em San Antonio, suas habilidades defensivas (ou a falta delas) suprem-se por sua qualidade ofensiva. Porém, quando ele está mal no ataque, sobra para os demais a tarefa de pontuar. Hill é jovem, mas demonstrou maturidade rapidamente, e pode jogar nas tanto de 1, como de 2 e 3. Seu salário é muito baixo, o que tornaria qualquer troca um desperdício.

Velocidade ou regularidade?

Splitter é calouro, mas já chegou com um bom salário para viabilizar a sua vinda para a NBA. Foi pouco aproveitado, pois Gregg Popovich decidiu lapidá-lo bem antes de testá-lo. Mostrou-se muito bom defensivamente, coletando rebotes e bloqueando, mas ainda se atrapalha em algumas jogadas. A vinda de outros jogadores brasileiros poderia ser um atrativo para mantê-lo na equipe.

Quem acompanhou a equipe durante a temporada sabia que o Spurs cairia logo na pós-temporada. Desde a saída de Bowen, a defesa vai mal. Os “blecautes” que a equipe sofre após ter os jogos ganhos eram preocupantes, e as vitórias no estouro do cronômetro nos faziam felizes, mas era só alegria passageira.

E para você caro leitor, qual seria a lista dos protegidos em um suposto draft expansivo? E para viabilizar uma troca, quem poderia ser oferecido? Opine!

Anúncios