Arquivo diário: 07/05/2011

Trocas para a próxima temporada

Diante de qualquer adversidade, faz parte da natureza humana tentar encontrar culpados. Aconteceu isso depois da queda do San Antonio Spurs nos playoffs da NBA – ainda mais da maneira como foi, diante do oitavo colocado da Conferência Oeste. Pelo que vi nos comentários no blog – e conversando com outros amigos que torcem pra equipe texana – Richard Jefferson e Matt Bonner foram eleitos culpados.

Melhor mostrar serviço, rapazeada...

Até simpatizo com o Jefferson. Creio que ele é um ala pra lá de útil, que tem bom físico e as tradicionais investidas como pontos fortes do seu jogo. Ele simplesmente destoa no esquema tático do Spurs, que exige um bom defensor e um bom arremessador. Já Bonner tem um estilo puramente ofensivo, que, ao meu ver, também destoa dos playoffs da NBA, em que a defesa, a força física e a disputa por rebotes importa muito.

Por isso, resolvi usar este espaço hoje para fazer um exercício: o que o Spurs poderia conseguir em troca de Jefferson + Bonner? O ala ganhará US$ 9.282.000 no próximo ano, e seu contrato continua crescendo até a temporada 2013/2014, quando o atleta tem uma player option de US$ 11.046.000. Já Bonner tem o contrato garantido mais longo de todo o elenco: receberá US$ 3.315.000 em 2011/2012, em vínculo que cresce até 2013/2014, quando renderá US$ 3.945.000. Pacote difícil de engolir, mas que, com  atrativos extras, pode dar frutos para o time do Texas. Listo a seguir as equipes que podem estar dispostas a absorver os US$ 12.597.000 que a dupla vai custar na próxima temporada:

1) Charlotte Bobcats (Stephen Jackson + Joel Pryzbilla)

O Bobcats é uma equipe que está se reconstruindo. Por isso, pode estar disposta a “dispensar” seus principais jogadores em troca de escolhas de draft. Assim, a franquia poderia absorver os contratos de Jefferson e Bonner, desde que, para isso, ganhasse picks do Spurs. Por outro lado, o time de San Antonio poderia receber Stephen Jackson – que já passou pela equipe texana – para ser o ala titular da equipe. Se não é um defensor de elite, o jogador é, ao menos, melhor arremessador do que Jefferson. A estrela do time de Charlotte receberá US$ 9.260.000 na próxima temporada, sua penúltima de contrato. Na última, ganhará US$ 10.060.000. Para completar a troca, o Spurs poderia tentar uma sign-and trade com Joel Pryzbilla, que teria de topar reduzir seu salário, já que ganhou US$ 7.405.300 neste ano. Assim, o Spurs ganharia um titular e uma alternativa para a área pintada, e poderia jogar com Parker – Ginobili – Jackson – Duncan – Pryzbilla (Splitter). Já o Bobcats, além de escolhas de draft, receberia uma boa alternativa no perímetro, e poderia montar o time com Augustin – Henderson – Jefferson – Diaw – Thomas (Kwame Brown, pivô da equipe neste ano, será free agent).

2) Cleveland Cavaliers (Anthony Parker + Anderson Varejao)

Assim como o Bobcats, o Cavs está se reconstruindo, de olho em escolhas de draft. Deste modo, o Spurs poderia oferecer Jefferson, Bonner e algumas picks em troca de Anderson Varejao. O brasileiro vai ganhar US$ 7.700.000 no próximo ano, em contrato que evolui até a temmporada 2014/2015, quando o vínculo tem uma team option de US$ 9.800.000. A diferença financeira poderia ser compensada com uma sign-and-trade por Anthony Parker, que recebeu US$ 2.855.770 na última temporada e será um agente livre ao final da temporada. Com isso, o Spurs ganharia as peças que precisa, e teria Tony Parker – Ginobili – Anthony Parker – Varejao – Duncan no time titular. Já o time de Cleveland, além das desejadas escolhas de draft, ganharia um titular, e poderia armar o time com Davis – Gee – Jefferson – Jamison – Hickson. Jefferson, aliás, depende de um armador passador para render, atributo que encontraria em Baron Davis.

3) Denver Nuggets (Nenê)

O pivô brasileiro tem tudo para ser um dos free agents mais disputados desta offseason caso decida não exercer sua player option – Nenê pode ganhar US$ 11.600.000 na próxima temporada ou deixar seu contrato com o Denver Nuggets. O jogador é um sonho para muitas equipes, inclusive o Spurs. Por isso, a equipe do Colorado pode acabar vendo-se forçada a aceitar uma proposta de sign-and-trade. O brasileiro viria para ser titular absoluto: Pop poderia armar o time com Parker – Hill – Ginobili – Duncan – Nenê. Já Jefferson teria de brigar por uma vaga no congestionado elenco do Denver, que tem muitas alternativas para o perímetro. Bonner poderia até beliscar uma vaguinha no time titular, já que Kenyon Martin também é free agent. Mas creio que Karl acabaria montando o time com Lawson – Afflalo – Gallinari – Harrington – Andersen.

4) Detroit Pistons (Tayshaun Prince)

O Pistons ainda está indeciso sobre seu futuro. Sabe, sim, que terá um de seus principais astros sem contrato na próxima época. Deste modo, a franquia tem três alternativas: simplesmente deixá-lo ir para abrir espaço para os mais jovens, renovar seu contrato ou tentar reforçar-se via sign-and-trade. Nesta terceira alternativa entraria o Spurs, que receberia um ala perfeito para seu esquema tático e poderia montar seu time com Parker – Ginobili – Prince – Duncan – Splitter. Já o Pistons teria um novo ala titular e poderia mudar seu estilo de jogo, focando-se no ataque e escalando Stuckey – Hamilton – Jefferson – Villanueva – Monroe.

5) Golden State Warriors (Al Thornton + Andris Biedrins)

O Warriors tem em Biedrins um pivô puramente defensivo – o que não se encaixa no esquema da equipe, mas que cairia como uma luva para o Spurs. O jogador vai receber US$ 9 mi por temporada até 2013/2014. Para completar a troca, a equipe texana poderia receber ainda o ala Al Thornton via sign-and-trade, já que o jogador será agente livre neste meio de ano. Pop receberia dois possíveis titulares, e poderia armar seu quinteto com Parker – Ginobili – Thornton – Duncan – Biedrins (Splitter). Já o Warriors receberia dois atletas que têm tudo pra render no esquema de correria da equipe, mas creio que montaria seu time titular com Curry – Ellis – Wright – Lee – Udoh.

6) Memphis Grizzlies (Shanne Battier + Marc Gasol)

Que efeito um possível revés diante do Thunder pode ter na cabeça de Battier e Gasol, ambos agentes livres na offseason? Será que os dois acreditam que, em 2011/2012, a equipe de Memphis poderá brigar pelo título? Caso decidam testar o mercado, os jogadores podem sentir-se tentados a jogar pelo Spurs – time em que se encaixariam perfeitamente – e o Grizzlies seria obrigado a aceitar uma sign-and-trade ganhar alguma coisa. A equipe texana teria um quinteto titular invejável, com Parker – Ginobili – Battier – Duncan – Gasol, e veria seus algozes ganharem um bom reserva para o perímetro, mas se enfraquecerem consideravelmente na área pintada. O time de Memphis provavelmente seria montado com Conley – Allen – Gay – Arthur – Randolph.

7) Miami Heat (Mike Miller + Udonis Haslem)

A equipe de Miami foi bem nesta temporada sem contar com os dois jogadores: Miller não se achou depois de se machucar, e Haslem ainda está lesionado. Por isso, a dupla pode acabar virando moeda de troca. Por outro lado, o Heat receberia Jefferson, um jogador de perímetro diferente – já que, além de Wade e James, o time só tem arremessadores como alternativas – e um ala-pivô reserva para os momentos de descanso de Bosh, coisa que o atual elenco sente falta. Deste modo, o Spurs seria escalado com Parker – Ginobili – Miller – Haslem (Splitter) – Duncan, enquanto o Miami ganharia dois reservas, mas continuaria com Bibby – Wade – James – Bosh – Ilgauskas no time titular. Vale lembrar que Miller receberá US$ 5.400.000 na próxima temporada, em contrato que evolui até 2014/2015, quando o atleta tem uma player option de US$ 6.600.000. Haslem, por sua vez, vai ganhar US$ 3.780.000 no próximo ano – seu contrato também evolui e ele também tem uma player option em 2014/2015, mas de US$ 4.620.000.

8) New Orleans Hornets (David West)

Nas próximas semanas, a diretoria do Hornets deve concentrar seus esforços para renovar com Chris Paul, que só tem mais uma temporada de contrato garantido. Mas e quanto a David West? O jogador tem uma player option de US$ 7.525.000 para a próxima temporada, mas, caso opte por romper seu vínculo, irá se tornar, talvez, o agente livre mais cobiçado do mercado. Por isso, para não perder seu jogador a troco de nada, o Hornets poderia acabar aceitando uma sign-and-trade. O Spurs ganharia um titular indiscutível e poderia montar o time com Parker – Hill – Ginobili – West – Duncan. O Hornets, ao menos, poderia ter um novo titular no perímetro, mas ficaria enfraquecido, provavelmente com Paul – Jefferson – Ariza – Landry – Okafor. Jefferson teria ao seu lado um armador passador para voltar a jogar bem – vale lembrar que sua melhor fase foi no New Jersey Nets, ao lado de Jason Kidd.

9) Sacramento Kings (Omri Casspi + Samuel Dalembert)

Dalembert será free agent nesta offseason, e o Kings provavelmente deixará o jogador sair para abrir espaço salarial, já que ele ganhou US$ 12.200.000 na última temporada. Porém, a equipe pode decidir reforçar o elenco via sign-and-trade, panorama do qual o Spurs poderia se aproveitar para conseguir um pivô defensivo. Claro que é incerto depositar tanto dinheiro em Dalembert – por isso, o Spurs poderia tentar envolver Casspi no negócio. O israelense vai receber apenas US$ 1.341.960 na próxima temporada, em contrato que evolui até 2013/2014, quando há uma qualifying offer de US$ 3.313.480. Casspi poderia fazer tanto o papel de Jefferson – um ala defensor e arremessador – quanto a de Bonner – um ala-pivô que joga aberto, longe da cesta. Seria um bom reserva, mas creio que o Spurs seria montado com Parker – Hill – Ginobili – Duncan – Dalembert (Splitter). O Kings, por sua vez, ganharia um novo titular no perímetro e abriria espaço para Thompson no time titular. A equipe poderia ser escalada com Evans – Thornton – Jefferson – Thompson – Cousins, com bastante talento jovem para se desenvolver.

10) Utah Jazz (Andrei Kirilenko + Francisco Elson)

Assim como o Pistons, o Jazz ainda tem um futuro incerto pela frente. A equipe pode fazer três diferentes usos do enorme contrato expirante de Kirilenko (US$ 17.822.187): abrir espaço salarial, renovar ou tentar se reforçar via sign-and-trade. Porém, mesmo caso a última alternativa seja a escolhida, obviamente não vale dar tanto dinheiro para um jogador desvalorizado como o ala russo. Por isso, o Spurs poderia tentar trazer oturo free agent via sign-and-trade: Francisco Elson, um jogador que poderia revezar com Duncan e Splitter, que já conhece o sistema da equipe e que sabe fazer o trabalho sujo. Kirilenko, por sua vez, poderia tanto fazer o papel de Jefferson – um ala defensor e arremessador – quanto a de Bonner – um ala-pivô que joga mais aberto. Assim, o Spurs titular teria Parker – Ginobili – Kirilenko – Duncan – Splitter (Elson). Já o Jazz ganharia uma nova alternativa para o perímetro e mais um jogador para fazer o trabalho de Okur, um pivô arremessador. O time de Utah poderia ser escalado com Harris – Bell – Miles (Richard Jefferson) – Millsap – Al Jefferson.