Arquivo mensal: março 2011

Ginobili fora da partida contra Blazers

https://i2.wp.com/i689.photobucket.com/albums/vv251/peskinha/barras/glauber-noticias.jpg

Os dois ficam de fora hoje contra o Blazers (Foto por John Raoux/AP Photo)

Além do ala-pivô Tim Duncan, o San Antonio Spurs terá mais um desfalque importante para o confronto desta noite contra o Portland TrailBlazers. O ala-armador argentino Manu Ginobili perderá sua primeira partida na temporada.

Ginobili sofreu um problema no músculo femoral esquerdo no final do segundo quarto da derrota para o Memphis Grizzlies, fora de casa, no domingo. Ele tentou continuar jogando depois do intervalo, mas deixou a quadra logo no início do terceiro período.

Antes do jogo de hoje, Manu era o único atleta do Spurs a jogar todas as 73 partidas que o time fez até o momento. Ele lidera o time em pontos, com média de 17,8 pontos por jogo e é o segundo em assistências, com cinco por noite.

George Hill pode ser o titular depois de igualar sua melhor marca na carreira, 30 pontos, ontem, contra o Memphis. Ou Gary Neal pode ser titular pela primeira vez na carreira caso o técnico Gregg Popovich prefira manter Hill vindo do banco como sexto homem.

Anúncios

Spurs (57-16) vs Blazers (42-31) – Temporada Regular

https://i2.wp.com/i689.photobucket.com/albums/vv251/peskinha/vinicius-prejogo.jpg

San Antonio Spurs vs Portland TrailBlazers – Temporada Regular

Data: 28/03/2011

Horário: 21:30 (Horário de Brasília)

Local: AT&T Center

O San Antonio Spurs volta a seu ginásio precisando muito da força da sua torcida para vencer uma partida após uma sequência negativa de três derrotas, que fizeram com que a equipe passasse a ver sua liderança na temporada regular ameaçada. O jogo promete, pois além de Tim Duncan, que estará fora por mais uma noite, Manu Ginobili é dúvida e pode ficar de fora. A equipe texana deverá contar com o garoto George Hill em caso de desfalque do nosso craque argentino.

Confrontos na temporada (1-2)

12/12/2010 – Spurs 95 vs 78 Blazers

No AT&T Center, o Spurs contou com 22 pontos de George Hill para chegar à quinta de uma série de dez vitórias que o time texano conseguiu em dezembro. Este foi o milésimo jogo de Tim Duncan na NBA.

01/02/2011 – Spurs 86 @ 99 Blazers

Na primeira partida na Rodeo Trip, o Spurs encontrou dificuldades contra LaMarcus Aldridge, que anotou impressionantes 40 pontos e ainda coletou 11 rebotes. Pelos texanos, destaque para Manu Ginobili, com 17 pontos e quatro roubadas de bola.

25/03/2011- Spurs 96 @ 98 Blazers

Na última partida, o San Antonio permitiu uma virada espetacular do adversário desta noite jogando no Rose Garden. O time texano vencia por dez pontos de diferença faltando pouco mais de dois minutos para o fim do jogo, porém, em uma sequência de erros pitorescos, permitiu a virada do TrailBlazers no estouro do cronômetro.

Hill vem melhorando jogo após jogo

Foto em nba.com

San Antonio Spurs

PG – Tony Parker

SG – George Hill

SF – Richard Jefferson

PF – Antonio McDyesss

C – Tiago Splitter

Fique de olho – George Hill vem amadurecendo cada vez mais na NBA. O garoto conseguiu seu career high no último jogo, contra o Memphis, com um aproveitamento espetacular de acertos em 12 tentativas de arremessos de quadra, chegando à marca de 30 pontos.

Lamarcus é candidato a MVP

Foto em nba.com

Portland Trail Blazers

PG – Andre Miller

SG – Wesley Matthews

SF – Nicolas Batum

PF – Gerald Wallace

C – LaMarcus Aldridge

Fique de Olho Com médias de 22,1 pontos e 8,6 rebotes por jogo, LaMarcus faz sua melhor temporada na NBA e é um dos responsáveis pela boa campanha do TrailBlazers. Promete dar muito trabalho a Tiago Splitter.

Spurs (57-16) @ Grizzlies (41-33) – Luz vermelha acesa

104X111https://i0.wp.com/l.yimg.com/a/i/us/sp/v/nba/teams/1/80x60/mem2.gif

Três derrotas consecutivas e Tim Duncan no estaleiro. Para os torcedores mais otimistas, é difícil piorar mais do que isso. Para os mais realistas, sim. Além de ser derrotado em mais uma partida de maneira seguida, o San Antonio Spurs perdeu Manu Ginobili, lesionado diante do Memphis Grizzlies, e fez acender a luz vermelha no Texas.

Foto por Nikki Boertman/AP Photo

A partida começou com certo equlíbrio, tendo o Grizzlies um ponto forte que já era esperado: a lacuna deixado por Duncan debaixo da cesta. Zach Randolph aproveitou os espaços deixados e tornou-se o principal pontuador do time, sendo respondido apenas pelo armador George Hill, que aproveitou o pouco tempo jogado por Ginobili para conseguir ser o principal nome texano em quadra.

Foto por Joe Murphy/NBAE via Getty Images

Aos poucos, porém, o time da casa ia aumentando sua vantagem, sempre aproveitando a ausência do ala-pivô do Spurs. E, com a saída de Ginobili, as chances de reverter o placar negativo se tornaram praticamente escassas. Com Tony Parker e Hill sendo as únicas alternativas confiáveis no ataque, coube ao Spurs ficar sempre atrás no placar, correndo atrás do adversário e tentando manter a distância em um patamar aceitável.

E o grande problema, aquele que fez o Spurs realmente perder o jogo, foi a incrível queda de rendimento da defesa após a saída de Manu. Sem Duncan e o argentino, tanto a área pintada quanto o perímetro perderam muita força contra as investidas adversárias, facilitando o jogo para os donos da casa. Após a saída de Ginobili, o ala Tony Allen passou a brilhar e conseguiu ser importante arma de ataque para o Grizzlies.

A verdade é que, sem dois de seus principais jogadores, faltou força para bater um time emergente do Oeste, que deverá brigar até o final por uma vaga nos playoffs. É motivo para se preocupar? Talvez, mas vale lembrar que todos os times passam por fases ruins. O grande problema está na resposta que o time terá à perda de dois astros. A reta final, apesar de tudo, é muito importante, já que pode decidir mando de quadra de toda a pós-temporada, incluindo da grande final. Após perder por 111 a 104 para o Memphis Grizzlies, o San Antonio Spurs precisa se recuperar. Antes que seja tarde demais.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

George Hill – 30 pontos

Tony Parker – 20 pontos e seis assistências

Tiago Splitter – Sete pontos e cinco rebotes

Memphis Grizzlies

Zach Randolph – 23 pontos e 11 rebotes

Tony Allen – 23 pontos

Spurs (57-15) @ Grizzlies (40-33) – Temporada Regular

San Antonio Spurs @ Memphis Grizzlies – Temporada Regular

Data: 27/03/2011

Horário: 19:00 (Horário de Brasília)

Local: FedExForum

Esta será a terceira partida do San Antonio Spurs sem a presença de Tim Duncan, que se machucou no final de semana passado. E a campanha dos texanos está ruim depois do problema: duas derrotas em dois duelos disputados. Para tentar inverter o retrospecto negativo e deixar de lado a fase irregular, a equipe prateada enfrenta o bom e jovem time do Memphis Grizzlies, que também está sem uma de suas principais estrelas, o ala Rudy Gay, também machucado.

Confrontos na temporada (2-1)

18/12/2010 – Spurs 112 vs 106 Grizzlies

Tony Parker garantiu a vitória texana ao anotar incríveis 37 pontos diante de um Memphis que teve no ala-pivô Zach Randolph seu melhor jogador em quadra. Assim como será na noite deste domingo, o adversário estava sem Rudy Gay na oportunidade – o ala estava suspenso pela liga.

27/02/2011 – Spurs 95 vs 88 Grizzlies

Se desta vez Parker se contundiu e teve apenas 13 minutos de quadra, coube a Manu Ginobili o papel de destruir a defesa adversária com nada menos do que 35 pontos anotados. Pelo lado adversário, destaque novamente para Randolph, autor de 24 pontos e impressionantes 17 rebotes.

01/03/2011 – Spurs 93 @ 109 Grizzlies

Uma das piores partidas do Spurs na temporada – talvez a pior. O time jogou sem Parker e nenhum titular conseguiu sequer atingir a marca dos dez pontos. Randolph, como praxe, foi o melhor em quadra pela equipe de Memphis, desta vez com 21 pontos, dez rebotes e cinco assistências.

PG – Tony Parker

SG – Manu Ginobili

SF – Richard Jefferson

PF – Antonio McDyess

C – Tiago Splitter

Fique de Olho – Tony Parker foi bem na primeira vitória do Spurs sobre o Grizzlies na temporada e, em uma partida na qual Duncan estará ausente, terá a tarefa de compensar o buraco aberto debaixo da cesta com muitos pontos vindos do perímetro.

https://i0.wp.com/l.yimg.com/a/i/us/sp/v/nba/teams/1/80x60/mem2.gif

PG – Mike Conley

SG – Tony Allen

SF – Sam Young

PF – Zach Randolph

C – Marc Gasol

Fique de Olho – O frontcourt do Grizzlies tem uma chance perfeita para brilhar. Sem Duncan, a defesa do Spurs cai muito no setor e Randolph já provou que sabe pontuar diante do time texano. Gasol, por sua vez, deitou e rolou na forte defesa do Chicago Bulls, na última sexta-feira, reduzindo Joakim Noah a apenas cinco pontos, e ainda fez 14 e coletou 11 rebotes na oportunidade.

Tiago Splitter resolverá nossos problemas?

Desde que chegou ao San Antonio Spurs, o pivô Tiago Splitter viveu nos últimos dias seu período mais importante na NBA. No último dia 19, com Tim Duncan poupado, o brasileiro começou seu primeiro jogo como titular, diante do Charlotte Bobcats. Dois dias depois, contra o Golden State Warriors, aproveitou-se da entorse de The Big Fundamental para alcançar seu primeiro double-double. Como o lendário camisa 21 ainda está no estaleiro, Splitter segue no quinteto inicial. Podendo acompanhar por mais tempo o desempenho do brasileiro, pergunto: o pivô pode solucionar o problema da equipe com pivôs depois que Duncan e Antonio McDyess se aposentarem?

Nenê descobrindo que Splitter tem cócegas no sovaco

No momento, o panorama texano é o seguinte: Dice já afirmou que pode se aposentar ao final desta campanha. Caso mude de ideia, deve ficar no máximo até o fim da temporada 2011/2012, quando acaba seu contrato com o Spurs. Em 2012 vencerá também o contrato de Duncan, que, já com 36 anos e limitado por seu joelho, também deve parar. Além de Splitter, restariam, a princípio, Matt Bonner e DeJuan Blair, com Steve Novak tentando garantir-se no elenco para as próximas temporadas.

Se comparado a estes três últimos, Splitter é o jogador mais completo. É o único que tem um jogo funcional dos dois lados da quadra, já que Blair, Bonner e Novak têm características puramente ofensivas. E vale lembrar que o técnico Gregg Popovich dá grande valor à defesa: promoveu McDyess ao time titular nesta temporada justamente por isso. Deste modo, a chance do pivô brasileiro fazer parte do quinteto inicial do time a partir de 2012 é grande. Quem sabe sobra até uma vaguinha já na próxima campanha, caso Dice realmente se aposente? É bem verdade que Pop vê Splitter como um reserva de Duncan, mas, pensando na defesa, pode até testar os dois juntos em alguns momentos.

Nos três últimos jogos, em que foi mais acionado, Splitter teve médias de 8,3 pontos (61,1% FG, 50% FT) e 9,3 rebotes em aproximadamente 22 minutos por noite. É difícil pensar que o brasileiro tenha potencial para ser um All-Star ou um franchise player. Mas, vendo o nível dos pivôs na liga, vejo-o com potencial de ser um titular de nível bom, que consiga limitar os adversários com sua boa defesa e ainda deixar alguns pontinhos no ataque.

Claro que a concorrência de Splitter ainda deve ser maior. O Spurs detém o direito de jogadores que atuam na Europa – três deles, Viktor Sanikidze, Robertas Javtokas e principalmente Ryan Richards podem jogar debaixo da cesta e podem ser contratados a qualquer momento. Marcus Cousin foi bem na pré-temporada com a equipe texana, se destacou na D-League dessa temporada e pode receber novas chances. E, caso McDyess realmente se aposente, a área pintada deve ser o foco do Spurs na próxima offseason, via Draft e free-agency. Mesmo assim, considero que Splitter sai na frente na busca por um lugar ao sol após a aposentadoria dos dois “dinossauros” da equipe.