Arquivo diário: 18/01/2011

Spurs (35-6) vs Raptors (13-28) – Temporada Regular

San Antonio Spurs vs Toronto Raptors – Temporada Regular

Data: 19/01/2011

Horário: 23:30 (Horário de Brasília)

Local: AT&T Center

Situação do Jogo

Após bater o recorde de melhor primeira metade de temporada da sua história, o San Antonio Spurs recebe a mediana equipe do Toronto Raptors para aumentar suas sequências de vitórias: a equipe texana obteve triunfos em suas últimas seis partidas, e venceu os últimos 15 jogos que fez no AT&T Center. O time da casa tem o desfalque certo do ala-armador novato James Anderson, e tem duas dúvidas: os alas-pivôs Matt Bonner e Antonio McDyess, com problemas nos joelhos. Já o Raptors tem uma série de problemas: Leandrinho, Peja Stojakovic e Reggie Evans ficarão de fora, enquanto Jerryd Bayless, Sonny Weems e Linas Kleiza aparecem como dúvidas.

Foto em nba.com

San Antonio Spurs

PG – Tony Parker

SG – Manu Ginobili/Gary Neal

SF – Richard Jefferson

PF – DeJuan Blair

C – Tim Duncan/Tiago Splitter

Fique de Olho Splitter tem a chance de aproveitar as baixas do Spurs para ganhar tempo de quadra. No domingo, sem Bonner, o brasileiro jogou pouco mais de 14 minutos e anotou seis pontos (2-3 FG, 2-4 FT), três rebotes defensivos, um toco, um desperdício de bola e duas faltas.

Foto em nba.com

PG – Jose Calderón

SG – DeMar DeRozan

SF – Julian Wright

PF – Amir Johnson

C – Andrea Bargnani

Fique de OlhoApós a saída de Chris Bosh, Bargnani assumiu com sucesso o papel de cestinha do Raptors. Até aqui, o italiano tem médias de 21,7 pontos, 5,8 rebotes e 0,8 tocos em 35,5 minutos por partida.

Meio caminho andado

koba

O San Antonio Spurs chega à metade da temporada com a incrível campanha de 35 vitórias e apenas seis derrotas, um aproveitamento de 85%, a melhor campanha nos primeiros 41 jogos de uma temporada da história da franquia. O último time a conseguir realizar algo parecido foi o Detroit Pistons em 2005 (36-5), derrotado pelos texanos por 4 a 3 nas finais. Este também é um recorde na conferência Oeste, que viu nos últimos anos times com aproveitamento abaixo dos 50% fora dos playoffs, inverso do que ocorre do lado oposto dos Estados Unidos.

Se a campanha se repetir na segunda metade, é praticamente certo que seremos os líderes do Oeste, já que o Lakers possui uma campanha com 12 derrotas. Vamos dar uma olhada nos jogos que tivemos (em parênteses, minha analise pessoal):

  • SAS 90×99 NOH (normal): O time  foi derrotado em casa por uma das novidades do começo da temporada;
  • SAS 94×103 DAL (perigo): O time foi batido pelo rival texano no AT&T Center;
  • SAS 85@90 LAC (normal): Griffin jogou muito nesse dia e foi o segundo jogo de um back-to-back para os texanos;
  • SAS 113@112 DEN (boa): Foram duas vitórias em noites seguidas que o argentino “resgatou” para nós;
  • SAS 101@123 ORL (perigo): Novamente prejudicados pela agenda, mas o problema foi o domínio do adversário;
  • SAS 97×82 LAL (boa): Hill colocou Kobe no bolso;
  • SAS 115@128 NYK (perigo): Entramos no jogo deles e levamos a pior;
  • SAS 103@105 BOS (normal): Fora de casa, apenas estavam sem Garnett, mas Glen Davis acertou muitos arremessos.

Foram três vitórias no tempo-extra, mostrando que temos experiência para decidir o jogo ao nosso favor nos momentos decisivos. Além disso, registramos mais seis triunfos contra uma derrota nas partidas em que a diferença do placar foi de menos de três pontos. Nosso time só nos decepcionou duas vezes em casa.

Fatores de sucesso:

  1. Melhora de Richard Jefferson se comparado à temporada passada;
  2. Bom aproveitamento nos jogos “fáceis”;
  3. “Saúde” do time em geral; quando um está mal, algum outro se destaca;
  4. Aumento de 35% para 39% nos arremessos de três pontos;
  5. O novato Gary Neal substituindo a vaga de Roger Mason com melhores números e menos tempo em quadra.

As derrotas costumam aparecer no final da temporada, já que normalmente as vagas se decidem alguns jogos antes e os técnicos preferem dar um descanso para os seus titulares, além de fugir dos problemas físicos. Se nenhuma anormalidade ocorrer, iremos facilmente para os playoffs. Para mim, apenas cinco times podem complicar a nossa vida nos jogos decisivos:

Leste Oeste
MIA: o time das estrelas Wade, James e Bosh se acertou e ainda falta medir forças contra eles DAL: precisamos vencer com Dirk em quadra
BOS: possuem ótimos titulares e reservas LAL: nunca subestime o Lakers
ORL: é duro parar Howard; levá-lo para a linha do lance livre pode ser uma estratégia

Como só há possibilidade de enfrentaremos os times do Oeste nas primeiras rodadas dos playoffs, podemos diminuir esse número para apenas três. Claro que temos que manter a sobriedade e ir um degrau de cada vez até chegar ao topo.

GO SPURS, GO