Arquivo diário: 15/01/2011

Trio do Spurs tem a maior porcentagem de vitórias da NBA

Muita gente pode falar que o jogo do San Antonio Spurs é chato, burocrático e impossível de assistir. Em partes eu até concordo. O que é inegável, no entanto, é que esse time sabe vencer como poucos na história da NBA. Para comprovar isso, encontramos um estudo bem legal sobre os jogadores com a maior porcentagem de vitórias em suas carreiras. Só deu Spurs no pódio! Veja abaixo a lista completa:

Matt Bonner está fora do jogo contra o Denver

Matt Bonner - San Antonio SpursCom um pequeno problema no joelho, o ala-pivô Matt Bonner está fora da partida de domingo contra o Denver Nuggets. Bonner, de 30 anos, tem médias de 7.6 pontos e 3.6 rebotes na temporada. Sua ausência significa que o brasileiro Tiago Splitter deverá ganhar mais tempo de quadra. Contra o Dallas Mavericks, Splitter atuou por 15 minutos e fez apenas um ponto.

Novela Melo

De acordo com o jornalista David Aldridge, que trabalha para a NBA e para a TNT, o fim da novela Carmelo Anthony deve acontecer na próxima semana. Em uma troca envolvendo três times, o astro deve mesmo ir parar no New Jersey Nets, que receberia também o armador Chauncey Billups e o ala-armador Richard Hamilton. Em troca, o Denver Nuggets ficaria com o novato Derrick Favors e duas escolhas de primeira rodada do time de Nova Jersey, enquanto o Detroit Pistons herdaria o contrato expirante do ala-pivô Troy Murphy. O Nets ainda teria de mandar alguns jogadores secundários para as duas equipes para que a troca se tornasse possível. Na iminência do maior negócio da temporada até aqui, vou usar esse espaço para comentar o impacto das transferências nas três equipes envolvidas.

Em Nova Jersey, Carmelo vai ganhar seu salário no melhor estilo máfia

O Nets está na dele. A equipe foi uma das que se planejou para ter bastante espaço na folha salarial nesta offseason, mas ficou a ver navios: viu LeBron James, Dwyane Wade, Amare Stoudamire, Chris Bosh e companhia assinarem com outras franquias e ficou sem uma estrela sequer. Agora, enfim, o time de Nova Jersey teria nomes de respeito para que o bom técnico Avery Johnson possa desenvolver seu trabalho.

A equipe teria dois bons armadores, Billups e Devin Harris, e três titulares absolutos, Hamilton, Anthony e Brook Lopez. Além disso, teria coadjuvantes interessantes, como o versártil ala Travis Outlaw e o ala-pivô Kris Humpries, que melhorou bastante seu jogo nesta temporada. Sem dúvidas uma base com potencial para playoffs, ainda mais fraca Conferência Leste. Resta saber se ainda daria tempo para se classificar nesta temporada: hoje, o Nets está seis jogos atrás do Philadelphia 76ers, atualmente oitavo colocado e dono da última vaga.

O Nuggets já começa a se planejar para o futuro. A equipe, ciente de que não conseguiria manter Anthony – agente livre na próxima offseason – traz um jovem promissor, Favors, e escolhas de primeira rodada para os próximos drafts. Afinal, o time de Denver foi montado ao redor de Melo, e não faria sentido manter coadjuvantes escolhidos para completar o astro. A franquia já se move nos bastidores para tentar trocar Al Harrington, de preferência por mais jovens e escolhas de draft, e penso que deveria fazer o mesmo com outros jogadores mais velhos, como Aaron Afflalo, Kenyon Martin e Chris Andersen.

A mudança do Nuggets partiria de Favors e de outro jovem com talento que já está no elenco, o armador Ty Lawson. Ainda acho pouco para atrair bons jogadores, mas, com esses dois e com escolhas de draft, já é um começo. Pra mim, o time acerta ao apostar em jovens ao invés de ficar no ostracismo por temporadas e temporadas com um elenco formado, basicamente, por coadjuvantes.

Por fim, o Pistons dá o primeiro passo para enfim se renovar e sair deste ostracismo. Ninguém discute o talento de jogadores como Hamilton, Ben Gordon, Tracy McGrady, Tayshaun Prince, Charlie Villanueva e Ben Wallace. Mas nas últimas temporadas, ficou provado que esse núcleo não vai levar a equipe a lugar nenhum. Trocando por um expirante, a franquia dá um grande passo e pode dar mais minutos para seus jovens, como Rodney Stuckey, Austin Daye, Jonas Jerebko e Greg Monroe.

Para o San Antonio Spurs, a troca tem como efeito óbvio o enfraquecimento da Conferência Oeste, já que o Denver deixaria de ser uma potência ao trocar com dois times do Leste. Por outro lado, o enfraquecimento da Divisão Noroeste pode significar mais vitórias para Oklahoma City Thunder e Utah Jazz. Mas, no final das contas, acho que o impacto para a equipe texana vai ser quase nulo.

Spurs (34-6) vs Mavericks (26-12) – Sem Dirk, mandantes fazem a festa

101X89https://i0.wp.com/l.yimg.com/a/i/us/sp/v/nba/teams/20080123/80x60/dal.gif

O San Antonio Spurs não teve grandes dificuldades para vencer o clássico texano contra um Dallas Mavericks desfigurado pelos problemas físicos de Dirk Nowitzki e Caron Butler. Com essa colher de chá, os comandados de Gregg Popovich alcançaram a quinta vitória seguida e a 14ª consecutiva em casa.

A coisa tá feia pro Mavs (Foto por Kin Man Hui/San Antonio Express-News)

O Spurs mais uma vez repetiu sua equipe titular, com Tony Parker, Manu Ginobili, Richard Jefferson, Tim Duncan e DeJuan Blair. Logo no início do jogo, o Mavericks sentiu a falta de sua estrela, Dirk Nowitzki, e ainda teve Tyson Chandler limitado por dores na garganta. Parker aproveitou a fragilidade do adversário e anotou no primeiro quarto dez pontos e quatro assistências, ajudando os donos da casa, que estavam com 52,4% de aproveitamento nos arremessos de quadra, a fechar em 27 a 19.

Blair foi o grande destaque da fácil vitória (Foto por Kin Man Hui/San Antonio Express-News)

No segundo período, San Antonio continuou com tudo no ataque, com Ginobili ajudando a equipe a aumentar a diferença no placar para dígitos duplos. Com o Dallas em dificuldades, alguns jogadores começaram a mostrar nervosismo, como Jason Terry, que derrubou Manu com o jogo já parado e recebeu uma falta técnica por isso. Sem muitas dificuldades, o time texano foi para o intervalo vencendo por 57 a 42.

Retornando ao segundo tempo, o Spurs ficou sem Matt Bonner, que, com um problema no joelho sofrido durante o jogo contra o Milwaukee Bucks, sucumbiu às dores e foi colocado no banco, dando chances para o pivô brasileiro Tiago Splitter ter mais tempo de quadra. Com uma corrida de 18 a 7, os donos da casa fecharam o terceiro quarto em 85 a 61.

Com uma vantagem acima dos 20 pontos, Popovich colocou em quadra seus reservas para jogar o quarto período. Splitter esteve abaixo das expectativas, mas Blair anotou oito pontos no quarto, igualando sua melhor marca na temporada, e, com o Mavs desistindo também da partida, foi necessário apenas segurar a vitória, batendo mais um recorde da franquia de melhor campanha graças ao placar de 101 a 89.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

DeJuan Blair – 18 pontos, 13 rebotes e quatro assistências

Tony Parker – 18 pontos e seis assistências

Tim Duncan – 16 pontos e 12 rebotes

Manu Ginobili – 11 pontos

Antonio McDyess – Dez rebotes

Tiago Splitter – Um ponto, três rebotes, uma assistência e duas faltas em 15 minutos

Dallas Mavericks

Shawn Marion – 14 pontos e dez rebotes

Jose Juan Barea – 13 pontos e cinco assistências

Dominique Jones – 13 pontos