Problemas à mostra

Nessa semana, vimos o San Antonio Spurs perder duas partidas consecutivas pela primeira vez nesta temporada da NBA. Jogando fora de casa, a equipe caiu diante de New York Knicks e Boston Celtics, deixando muitos de nossos leitores, pelo que percebi nos comentários, apreensivos. Eu não estou entre os mais preocupados, e a campanha de 30 vitórias em 36 jogos ainda é excelente – não à toa, é a melhor da liga. Minha tranquilidade aumentou ontem, depois que o time venceu, também longe do Texas, o encardido Indiana Pacers. Acho ainda que as derrotas, ambas diante de equipes fortes, podem render frutos positivos, como mostrar a Gregg Popovich os pontos fracos de seu time.

Bonner e Blair na defesa... que nao é a especialidade da dupla

Ao meu ver, até aqui, a principal dificuldade do Spurs quando enfrenta equipes fortes é a sua defesa debaixo da cesta – principalmente contra alas-pivôs (conhecidos na NBA como PF’s). Se os texanos têm feito um bom trabalho em parar os principais pontuadores de perímetro adversários – como fez recentemente com Kobe Bryant, Kevin Durant e Danny Granger -, na área pintada o time encara dificuldades. A seguir, vou tentar demonstrar com números esta teoria.

Contra o New Orleans Hornets, primeira derrota da equipe, logo no segundo jogo da temporada, David West anotou 18 pontos – o segundo maior pontuador do time na partida – e três rebotes. Nosso segundo algoz na temporada, o Dallas Mavericks teve como cestinha Dirk Nowitzki, que fez 28 pontos e coletou oito rebotes. Na surpreendente derrota para o Los Angeles Clippers, o destaque foi Blake Griffin, com 31 pontos e 13 rebotes. Pelo Orlando Magic, Brandon Bass anotou 17 pontos (atrás apenas de Dwight Howard e empatado com J. J. Reddick na oportunidade) e seis rebotes.

Contra o New York Knicks, o técnico Mike D’Antoni pode ter se aproveitado dessa dificuldade para vencer. Com o desfalque de Danilo Gallinari, o treinador escalou Ronny Turiaf como pivô, puxou Wilson Chandler para a ala e colocou sua estrela Amare Stoudamire como ala-pivô. O resultado? 28 pontos e nove rebotes de Stat. Por fim, o Boston Celtics poderia ter feito maiores estragos na defesa do Spurs com Kevin Garnett, mas teve um Glen Davis inspirado, que deixou a quadra com 23 pontos, apesar de ter pego somente dois rebotes.

A princípio, este problema será difícil de corrigir. Tim Duncan ainda é um bom defensor no mano a mano, mas seu físico está claramente limitado pelo seu joelho. Por isso, o camisa 21 não tem mais pique nem atleticismo para correr atrás dos alas-pivôs adversários: Pop prefere, com razão, colocá-lo estático, embaixo da cesta, marcando pivôs. Com isso, não sobram grandes alternativas para pararem os alas de força.

Matt Bonner e DeJuan Blair fazem uma boa temporada, principalmente em termos ofensivos, mas são, ao meu ver, os dois piores marcadores de todo o elenco texano. Pop tem insistido nos dois, sacrificando um pouco a defesa e favorecendo o ataque. Deu certo na maioria dos jogos, mas não funcionou nos acima citados. O excessivamente criticado pelos leitores do blog Antonio McDyess e o brasileiro Tiago Splitter são bons no mano a mano no meu ponto de vista, e poderiam ajudar em alguns casos, mas são pesados demais para marcarem PF’s mais leves, como Lamar Odom e Jeff Green.

Carente de peças para suprir este problema, Pop vem apostando em algumas alternativas para driblar a carência. Em outra partida contra o Hornets, apostou no Small Ball e colocou Richard Jefferson para marcar West; funcionou. Em uma das vitórias sobre o Denver Nuggets, o triunfo veio no quarto quarto graças à defesa por zona. E em inúmeras outras partidas a equipe compensou as falhas das “peneiras” Bonner e Blair com um impecável trabalho ofensivo. Vem dando muito certo até aqui, mas será suficiente para que o time brigue pelo título?

Sobre Lucas Pastore

Um dos fundadores do Spurs Brasil. Formado em Jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2010, é editor assistente do UOL Esporte. Cobriu o basquete olímpico na Olimpíada de 2016 pelo LANCE!. Trabalhou também para Basketeria e mob36.

Publicado em 08/01/2011, em Na linha dos 3. Adicione o link aos favoritos. 8 Comentários.

  1. Tbm axo que Splitter poderia ter mais oportunidades ja que Bonner nao pontua mais como no inicio da temporadae nem defende bem, ta sendo superestimado a muito tempo…Pra mim o Bonner seria o quarto ou quinto na rotaçao do garrafão…

  2. k-delmondes

    Acho q o Tiago mais a frente pode vir a ser a solução, Mas pra isso tem q se fazer um trabalho fisico com ele q eu creio q esta acontecendo.
    Vamos dar tempo pro PoP ele vai achar uma solução…

  3. Bruno Pongas

    Pior que esse é um problema antigo do Spurs. Na época que a equipe tinha o Nesterovic, o Mohammed, ou o próprio Oberto, esses problemas praticamente não existiam. Mas de uns tempos pra cá os alas-pivôs viraram o terror do Spurs…

  4. A defesa sempre foi forte no time desde quando eu comecei a acompanhar, e olha que faz tempo. Mas de duas temporadas pra cá está deixando a desejar sim. Uma das soluções que eu mais gosto é usar o small ball. RJ é bom defensor e pode tranquilamente marcar os PF mais leves, como Odom e Green. A marcação por zona também me agrada por ser eficiente em quase todas as equipes da liga. Não consigo lembrar de um time que jogue bem contra zona. Pra mim a solução para o garrafão está a médio prazo com um foco no treinamento defensivo de Blair. Ele tem bastante potencial pra ser bom nesse fundamento.

    • Bruno Pongas

      Marcar por zona tem os seus problemas, principalmente contra times que têm bons arremessadores de longa distância. Nas derrotas para Orlando Magic e New York Knicks o Popovich tentou utilizar a zona em alguns momentos, mas viu que não surtiu efeito e logo desistiu.

  5. João Henrique

    Realmente…
    Matt Bonner já ta enchendo o saco, nem pegar rebote ele sabe…
    Quando entra é menos um na defesa e Duncan tem que se virar lá em baixo

  6. O problema do Spurs é elenco pequeno , tudo fica nas costas dos trio de ferro Manu Duncan e Parker ai não tem time que aguente acho que os Spurs tem condições de trazer um ou dois jogadores de grande importancia pra ajudar no garrafão , a franquia é muito pandura não quer pagar um pouco mais pra ter jogadores de presença paga pouco e ninguém quer vir !!

  1. Pingback: Análise de McDyess no time titular | Spurs Brasil – O seu site de notícias em português sobre o San Antonio Spurs

Deixe uma resposta para k-delmondes Cancelar resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s