Arquivo diário: 05/12/2010

Spurs (17-3) vs Hornets (13-7) – Rolo compressor

109X84

Em casa, diante do New Orleans Hornets, rival da divisão sudoeste, o San Antonio Spurs não teve a menor dificuldade para conseguir a segunda vitória consecutiva jogando no AT&T Center para dormir mais uma noite como o time de melhor campanha da NBA.

Duncan jogou menos de vinte minutos

Gregg Popovich mandou à quadra o mesmo quinteto titular do resto da temporada: Tony Parker, Manu Ginobili, Richard Jefferson, DeJuan Blair e Tim Duncan. E o Spurs começou melhor, abrindo nove pontos antes da metade do primeiro quarto. A vantagem chegou a beirar os 15 pontos, mas no final do período o Hornets conseguiu diminuir um pouco o estrago: os texanos fecharam a parcial em 34 a 23 com um buzzer beater de Matt Bonner.

O segundo quarto começou com uma corrida de 14 x 4 em favor do time de San Antonio. Nessa altura, o Spurs vencia por 48 a 27, com excelente aproveitamento nos arremessos de três pontos: seis de oito tentados. Com pouco mais de cinco minutos pela frente, a vantagem já era de 30 pontos: 64 a 34, com a equipe da casa acertando 74% dos arremessos de quadra e 81,8% dos arremessos de três. O passeio continuou até o intervalo: o Spurs desceu para os vestiários vencendo por 68 (maior pontuação do time na primeira metade de um jogo nesta temporada) a 41.

Parker foi o cestinha do Spurs

O terceiro período começou com o Hornets tentando reagir, e imprimindo uma corrida de 8 a 2 que forçou Pop a pedir tempo. A partir daí, o Spurs voltou a estar ligado na partida e abriu 30 pontos de vantagem novamente. Com pouco menos de metade da parcial por jogar, o brasileiro Tiago Splitter entrou em quadra pela primeira vez. O garbage time começou já no final do terceiro quarto, com Chris Quinn em quadra, e o período derradeiro começaria com a equipe mandante vencendo por 90 a 59.

No quarto final, os dois times colocaram seus reservas em quadra para cumprir tabela, e a equipe texana não teve problemas para chegar à 17ª vitória em 20 jogos e manter a melhor campanha desta temporada. Final: Spurs 109 a 84.

Para tentar manter a boa fase, o Spurs recebe o Golden State Warriors na quarta-feira, às 22h30 (Horário de Brasília), na terceira de uma série de seis partidas que a equipe texana fará no AT&T Center.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Tony Parker – 19 pontos, seis assistências, três rebotes e duas roubadas de bola

Matt Bonner – 14 pontos (4-5 nos arremessos de três)

Richard Jefferson – 13 pontos e quatro rebotes

Tim Duncan – 11 pontos, nove rebotes, três assistências e dois tocos

Gary Neal – 11 pontos, cinco assistências e cinco rebotes

George Hill – 11 pontos e três rebotes

DeJuan Blair – 10 pontos e oito rebotes

Tiago Splitter – Cinco pontos (2-4 da quadra, 1-4 nos lances livres), dois rebotes, uma roubada de bola, duas faltas e um turnover em 17:38 minutos

New Orleans Hornets

Chris Paul – 16 pontos, oito assistências, cinco rebotes e duas roubadas de bola

David West – 13 pontos, cinco rebotes, três assistências e dois tocos

Trevor Ariza – 13 pontos e quatro rebotes

Anúncios

Aprendizagem

Há um tempo atrás, neste blog existia uma coluna chamada “De Olho Neles”, que tratava de assuntos relacionados a jogadores que tinham vínculos com a franquia texana, mas que atuavam fora da NBA. Tiago Splitter era o jogador mais acionado nestas postagens.

Atualmente o brasileiro está em sua primeira temporada pela Liga Americana de Basquete, na qual chegou com moral de MVP e campeão da Liga Espanhola. Mas na NBA as coisas são diferentes: outras regras, dimensões de quadra diferentes, maior contato físico, entre outras peculiaridades.

Splitter teve a felicidade de cair em uma franquia que não é fanática por títulos e tem a meu ver o melhor técnico de toda a liga, que tem um esquema tático rigoroso e consegue fazer verdadeiros milagres com poucas peças.

Mas o que venho realmente tratar neste post não é sobre Splitter somente, mais também sobre Tim Duncan. Todos devem estar pensando: “todo mundo já conhece a capacidade do ala-pivô”. Exatamente, é essa capacidade incrível que Duncan tem de jogar fácil, simples e de maneira efetiva que venho enfatizar. A idade avançada de “The Big Fundamental” faz com que cada vez mais torcedores como eu pensem em um substituto para ele. Mas não há substituto, não há em toda NBA um ala com as características tanto ofensivas como defensivas de Duncan – Kevin Garnett, a meu ver, é o atleta que mais se aproxime.

Futuramente, a dupla de garrafão da equipe texana será formada por Tiago Splitter e DeJuan Blair. Ter um “professorzão” como Duncan jogando ao seu lado na quadra é com certeza a melhor coisa que poderia acontecer para os novatos e segundanistas acima citados, e também para a franquia que tem dois talentos sendo lapidados por um ótimo joalheiro.

Duncan tem em seu currículo 1° escolha de draft, calouro do ano, 3 MVP das finais e 2 prêmios de MVP da temporada regular em anos seguidos (2001/ 2002 – 2002/2003). A experiência que pode ser absorvida pelos novatos pode ser essencial para o sucesso em suas carreiras na NBA.

Acredito que o futuro da franquia está muito bem encaminhado, o planejamento da comissão técnica em relação à aposentadoria de Duncan e os futuros substitutos está quase perfeita, resta a expectativa em relação à nova dupla de promissores.

Spurs (16-3) vs Hornets (13-6) – Temporada Regular

San Antonio Spurs vs New Orleans Hornets – Temporada Regular

Data: 05/12/2010

Horário: 22:00 (Horário de Brasília)

Local: AT&T Center

Situação do Jogo

Após perder para o Los Angeles Clippers jogando fora de casa, o Spurs se recuperou na sexta-feira ao vencer o Minnesota Timberwolves no AT&T Center, conseguindo uma excelente virada no último quarto. Agora, a equipe texana, que ainda detém a melhor campanha da NBA, recebe o New Orleans Hornets na segunda partida de uma série de seis que o time fará como mandante. A equipe de Chris Paul começou muito bem a temporada e chegou a liderar a Conferência Oeste, mas perdeu cinco de seus últimos dez compromissos e caiu para a quinta colocação. Do lado do Spurs, James Anderson, machucado, deve ser o único desfalque, enquanto que, pelo Hornets, David West é dúvida por conta de um problema estomacal.

Confrontos na temporada (1-1)

30/10/2010 – Spurs 90 vs 99 Hornets

No segundo jogo da temporada, primeira derrota do time texano. O Spurs não conseguiu resposta para Chris Paul, que terminou com 25 pontos, sete rebotes e cinco assistências. Pelo time da casa, destaque para Manu Ginobili, com 26 pontos e seis assistências.

28/11/2010 – Spurs 109 @ 95 Hornets

Após descer para os vestiários perdendo por 61 a 44, o San Antonio Spurs contou com noites inspiradas de Manu Ginobili (23 pontos, oito assistências e sete rebotes) e Tim Duncan (21 pontos e sete rebotes) para conseguir uma incrível virada.

Foto em nba.com

San Antonio Spurs

PG – Tony Parker

SG – Manu Ginobili

SF – Richard Jefferson

PF – DeJuan Blair

C – Tim Duncan

Fique de Olho – O argentino lidera o San Antonio Spurs em pontos (21,2 por jogo) e em roubadas de bola (1,89 por jogo) nesta temporada. Por isso, aparece em oitavo no site da NBA na corrida pelo MVP.

Foto em nba.com

PG – Chris Paul

SG – Marco Belinelli

SF – Trevor Ariza

PF – David West/Jason Smith

C – Emeka Okafor

Fique de Olho – Caso West não possa jogar novamente, Okafor terá de chamar a responsabilidade no garrafão e ajudar Paul com pick-and-rolls. Na derrota para o Knicks, sem o companheiro, o pivô anotou 11 pontos e coletou 14 rebotes.