Arquivo diário: 04/12/2010

Exagerados

O clima era impressionante na quinta-feira. Grandes jogadores da NBA comentavam no Twitter sobre a partida que estava por começar. Parecia jogo sete da final da liga – talvez, em alguns aspectos, fosse até mais esperado, já que atraiu espectadores que nem gostam de basquete. A volta de LeBron James para Ohio, para enfrentar o Cleveland Cavaliers, está com certeza entre os eventos esportivos do ano, e é sem dúvidas o ponto alto da temporada 2010/2011 até aqui.

Camiseta feita para hostilizar LeBron: "O Rei Mentiroso"

Posso entender o porquê do sentimento negativo que o astro causou em Cleveland. O ala, esperança de títulos em uma cidade que amarga uma longa espera por conquistas, jamais conseguiu o anel da NBA, e anunciou que deixava de lado este projeto em rede nacional, para a ira da torcida local. Torcedor é isso mesmo, é sentimento, é paixão. Não consegue entender que seu ídolo, antes de tudo, é um ser humano, um atleta, que tem como profissão vencer – no fundo, é isso que LeBron foi buscar no Miami Heat.

Além disso, mais do que de ídolos, a NBA está carente de bad boys. Carente de vilões. A aposentadoria de Rasheed Wallace representou o fim de uma era de confusões, brigas, declarações inusitadas. Ainda temos Ron Artest em atividade, mas nessa temporada o ala anda bem comportado. Acho que David Stern conseguiu o que queria – um bando de jogadores que fingem ser comportados e não se envolvem em polêmicas. Um saco. Por isso, talvez, LeBron tenha se transformado rapidamente em vilão.

O que não consigo entender, no entanto, é como esse ódio se espalhou de tal maneira até chegar no Brasil. Conversando com amigos fãs de basquete e lendo comentários no Twitter, pude ver que nove entre dez pessoas estavam torcendo pelo Cavs. Até aí, tudo bem – torcer para o time mais fraco parece sempre ser o caminho. Mas daí a dizer – como muitos fizeram – que o tim e de Cleveland venceria o jogo pela honra de sua cidade, aí é demais. Quantos jogadores do elenco nasceram em Ohio? Provavelmente, os atletas têm mais laços afetivos com LeBron do que com o local em que jogam.

Eu confesso que torci pelo Cavs, simplesmente porque achei que seria uma festa bacana na cidade caso eles ganhassem o jogo. Confesso também que não estou entre os maiores fãs de LeBron – acho que ele toma decisões erradas nos momentos decisivos da partida, e por isso não o coloco entre os meus jogadores prediletos da NBA. Mas o acho um craque, completo e de personalidade interessante. Por isso, não consigo entender esse ódio exagerado que paira sobre o astro fora de Cleveland. Deixem The King buscar sua coroa em paz!

Spurs (16-3) vs Wolves (4-15) – Mais uma vitoria difícil

107×101

Na noite desta sexta feira, jogaram San Antonio Spurs e Minnessota Timberwolves em partida válida pela temporada regular da NBA. As duas equipes já  haviam se enfrentarado nesta temporada, com vitória na prorrogação do time texano.

Até DeJuan Blair ficou de boca aberta (Foto por: D. Clarke Evans/NBAE/Getty Images)

Vamos ao jogo. O time titular do Spurs foi o mesmo que tem iniciado todas as partidas. O primeiro período foi muito equilibrado, com as duas equipes executando bons ataques e não desperdiçando posses de bola, terminando empatado em 25 pontos para cada franquia. No segundo período o equilíbrio também se fez presente, com destaque para o duelo entre Tim Duncan e Kevin Love dentro do garrafão. Vitória parcial dos Wolves por 54 x 53.

Foto por: D. Clarke Evans/NBAE/Getty Images

No 3° período, entrou em quadra pelo time de San Antonio um velho e temido conhecido da torcida: o apagão. A equipe desperdiçava muitos ataques e ficava sem saber o que fazer na defesa, o que resultou num massacre. A parcial terminou em 32 x 18 e o placar indicava 86 x 71 para o time de Minnessota.

O quarto período começou e a equipe do Texas teria que suar para remover a situação negativa do placar; eram 15 pontos de diferença em relação ao time visitante. Conduzidos por Tim Duncan e George Hill, a equipe da casa apresentou forte marcação, fazendo com que o adversário desperdiçasse muitos ataques e, com boas assistências e pontos de Timmy, os Spurs tomaram a frente do placar faltando poucos minutos para o fim da partida para não mais perdê-la.

Destaque para o técnico do San Antonio Spurs Gregg Popovich, que deu uma de Emerson Leão invadindo a quadra e partindo pra cima da arbitragem com reclamações sobre uma jogada de Kevin Love perto da zona morta da quadra.

Destaques da partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 22 pontos, dez rebotes, cinco assistências e quatro tocos

George Hill – 20 pontos

Tony Parker – 20 pontos e cinco assistências

Richard Jefferson – 15 pontos, dez rebotes e dois bloqueios

Minnessota Timberwolves

Kevin Love – 25 pontos e 18 rebotes

Michael Beasley – 28 pontos