Ao ataque!

Um dos leitores mais fieis deste blog, Leo comentou minha coluna da semana passada, na qual falei sobre a dificuldade que o San Antonio Spurs encontra para achar no mercado um ala com características parecidas com as de Bruce Bowen. A pergunta na caixa de comentários era: já que não temos essa peça, por que não mudar o esquema tático? Ao menos na estreia da equipe na temporada 2010/2011 da NBA, contra o Indiana Pacers, tivemos indícios de que isso pode acontecer.

Este é Gregg Popovich, em meio à sua busca paranóica por um bom arremessador

Como nenhum dos quatro jogadores do elenco do Spurs que podem atuar na posição três – Richard Jefferson, James Anderson, Bobby Simmons e Alonzo Gee – é especialista em defesa, Gregg Popovich pode estar disposto a concentrar os esforços de sua equipe no ataque. Não à toa, seis atletas do time chegaram a dígitos duplos na pontuação diante do Pacers: além de Jefferson (16) e do novato Anderson (10) – primeira e segunda opções de Pop, respectivamente, para a posição – Tim Duncan (23), Manu Ginobili (22), Tony Parker (20) e George Hill (16) pontuaram bem.

É bem verdade que o Pacers não está entre os adversários mais fortes da liga, o que pode ter contribuído para uma pontuação tão alta. Mas, nas últimas temporadas, foi raro ver o Spurs chegar a 122 pontos, e mais raro ainda ver a equipe texana permitindo que o adversário anotasse 109. Mais uma prova de que talvez o ataque do time esteja entre as prioridades de Pop para a próxima temporada.

Outro indício de uma possível nova estratégia do treinador é a utilização do ala-pivô DeJuan Blair como titular. O jogador é um excelente pontuador, sabe jogar embaixo da cesta como ninguém, coleciona rebotes ofensivos, mas na defesa deixa a desejar – principalmente por conta de sua baixa estatura. Talvez Antonio McDyess seja um melhor defensor, mas os pontos que Blair adiciona no ataque parecem ter convencido Gregg Popovich de que ele merece um lugar na equipe titular.

Enquanto pode estar implementando uma estratégia nova na equipe, Pop ainda não desistiu de encontrar o “novo Bruce Bowen”. Aproveitando a facilidade do jogo contra o Pacers, colocou Anderson para marcar o principal pontuador adversário, Danny Granger, sempre que o garoto estava em quadra. O novato teve dificuldades na defesa, mas mostrou ser bom pontuador e, se evoluir na marcação, pode tornar-se grande opção para o time.

Anúncios

Sobre Lucas Pastore

Um dos fundadores do Spurs Brasil, seu maior orgulho na carreira jornalística. Formado em Jornalismo na Universidade Presbiteriana Mackenzie em 2010, é redator do UOL. Cobriu o basquete olímpico na Olimpíada de 2016 pelo LANCE!. Trabalhou também para Basketeria e mob36.

Publicado em 30/10/2010, em Na linha dos 3. Adicione o link aos favoritos. 3 Comentários.

  1. Legal vcs terem lido meu comentário. Excelente blog.. desde os 1ºs dias de vida dele que eu estou aki acompanhando e comentando.. Parabens!

  2. Estou sempre lendo os comentários, Leo! Às vezes não respondo, mas estou sempre de olho no que os leitores dizem.

    O que achou do post? Podemos estar vendo Pop montar um time mais ofensivo mesmo?

  3. Legal cara…

    Muito legal o post.. Bom.. é dificil dizer.. foi um jogo só.. esse estilo de atacar todo o tempo não deve dar certo no Spurs.. a gte é um time mto inconsistente nos arremessos… um apagão durante um quarto como é normal no Spurs e o jogo ja era…. aconteceu contra o Hornets..

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s