Arquivo diário: 12/09/2010

A odisséia de Gary Neal

Neal no Pinar Karsiyaka (Foto em tbl.org.tr)

Foi uma longa jornada para Gary Neal chegar até a NBA. Por três anos, ele jogou em três países diferentes, melhorando seu jogo para conseguir uma chance em algum time da liga americana. Mesmo jogando do outro lado do oceano, Neal acreditava que retornar aos Estados Unidos era possível.

“Eu sentia que uma oportunidade apareceria assim que eu mostrasse o que eu era capaz de fazer na Europa. E isso é arremessar e anotar pontos com oportunismo. A liga espanhola, italiana e turca são respeitadas. Então, percebi que se eu desse meu melhor e fizesse o que eu era capaz, alguém na NBA notaria o que estava fazendo e me daria uma chance.”

Neal pelo AXA FC Barcelona (Foto em acb.com)

O San Antonio Spurs percebeu a habilidade de Neal e assinou com ele por três anos no final de julho, depois de sua performance com o time na Liga de Verão de Las Vegas. Se juntando ao Spurs, Neal jogará ao lado de jogadores como Tim Duncan e Manu Ginobili. Estar ao lado de vetereanos como eles será um grande aprendizado para o atleta.

Neal jogou por duas temporadas pela Towson University, de 2005 a 07. Ele foi para Towson após ser expulso da La Salle University, pelo qual jogou na temporada 2003/04, por uma acusação de estupro, da qual foi inocentado após julgamento. Em 2007, Gary entrou no Draft da NBA, mas não foi selecionado. Ele continuou com o desejo de jogar basquete profisionalmente, e decidiu ir para Europa para continuar com sua carreira. Ele fechou contrato com Pinar Karsiyaka, da TBL, a liga turca, na qual, na temporada 2007/08 liderou o campeonato em pontuação com médias de 26,5 tentos por partida.

Neal no Bennetton Treviso (Foto por Euroleague/Getty)

Por essa boa temporada, Neal teve seu contrato comprado pelo AXA FC Barcelona, da ACB, a liga espanhola. Ele começou a temporada 2008 pelo time catalão, mas logo se tranferiu para o Benetton Treviso, da Lega Basket A, a liga italiana. Na equipe, ele foi selecionado para o primeiro time do campeonato e da Euroleague. Neal permaneceu no Treviso até o início de 2010, quando liderava a Lega Basket A em pontuação com 19,4 pontos de média, e resolveu se transferir novamente para a Espanha, agora para o Unicaja Málaga, terminando sua boa temporada que garantiu o convite para a Summer League.

Gary pelo Unicaja Málaga (Foto em acb.com)

Gary está feliz pela oportunidade de jogar ao vivo para as pessoas próximas dele.

“Isso é algo que desde os seis anos, era meu objetivo – jogar na NBA,” ele disse. “Estou excitado apenas por ter a experiência de jogar na NBA e ter a experiência de minha família me ver jogar. Fazem três ou quatro anos desde que minha família me viram jogar ao vivo. Então, é uma experiência que eu estou muito, muito ansioso a respeito, e não consigo esperar até a primeira partida em que eu estarei em um uniforme e correndo pela quadra.”

Mundial de basquete – Final

Tabu quebrado na Turquia! Neste domingo, a seleção americana venceu os donos da casa pelo placar de 81 a 64, sem grandes dificuldades, e comemorou o título do Mundial masculino de basquete pela primeira vez desde 1994.

Alguém está surpreso com o campeão e o MVP? (FIBA/Elio Castoria)

Como de costume, o grande destaque da partida foi o ala Kevin Durant, eleito após a vitória o MVP da competição. Na finalíssima, o astro do Oklahoma City Thunder foi implacável ao anotar 28 pontos (7-13 nos arremessos de 3 pontos) e coletar cinco rebotes. Do lado turco, o destaque foi o também ala Hidayet Turkoglu, que recentemente acertou sua transferência para o Phoenix Suns – foi o único turco a chegar aos dígitos duplos ao anotar 16 pontos e sete rebotes.

Na disputa pelo terceiro lugar, a Lituânia venceu a Sérvia por 99 a 88 e garantiu o bronze. Pelo time vencedor, o ala Linas Kleiza teve atuação irretocável: 33 pontos, sete rebotes, quatro assistências e três roubadas de bola para o futuro companheiro de Leandrinho no Toronto Raptors. O pivô Robertas Javtokas, vinculado ao San Antonio Spurs, anotou dois pontos, um rebote, uma assistência e um toco em nove minutos. Do lado sérvio, destaque para o ala-pivô Novica Velickovic, com 18 pontos, quatro rebotes e três assistências.

Na disputa pelo quinto lugar, melhor para a Argentina, que contou com 27 pontos, três assistências e duas roubadas de bola do ala-armador Carlos Delfino para vencer a Espanha por 86 a 81. Nem mesmo a atuação de gala do cestinha do jogo, o ala-armador Rudy Fernandez – 31 pontos, oito rebotes, quatro roubadas de bola e três assistências – foi suficiente para o time europeu.

Confira o resultado da final:

Estados Unidos 81 x 64 Turquia

Confira o resultado da disputa pelo 3º lugar:

Lituânia 99 x 88 Sérvia

Confira o resultado da disputa pelo 5º lugar:

Argentina 86 x 81 Espanha