Arquivo diário: 11/09/2010

Splitter do Mundial para a NBA

Outra camisa branca te aguarda, fera!

Desde que Tiago Splitter foi draftado pelo San Antonio Spurs, os torcedores da franquia texana sonhavam com sua contratação. Sempre com um pé atrás graças ao episódio Luis Scola, esperaram ansiosamente para que o vínculo fosse acertado. E o Mundial de basquete, que será decidido amanhã na Turquia, foi a primeira vez em que olhamos para o pivô brazuca como um jogador da equipe. Assim, é possível avaliarmos como ele vai se encaixar na rotação de Gregg Popovich.

Além de Splitter, o Spurs conta ainda com Tim Duncan, Antonio McDyess, Matt Bonner e DeJuan Blair para dividirem os minutos no garrafão. Creio que os dois  primeiros, que acabaram a última temporada como titulares, vão manter o status no início da próxima – o brasileiro deverá vir do banco enquanto se adapta à NBA. Mas vejo no pivô potencial para tomar a vaga de Dice no quinteto inicial da equipe.

No Mundial, Splitter mostrou técnica rara para pontuar próximo à cesta. Por isso, deve exercer a função de pivô no ataque, deixando Duncan livre para se movimentar ao redor do garrafão efetuar seu arremesso de média distância – fundamento este ausente no brasileiro. Na defesa, os papéis deverão inverter-se, dada a força física de cada um; Timmy tem muito mais corpo para bater de frente com os pivozões da liga.

Porém, ainda preciamos ver que planos Pop tem para o brazuca. Desde a aposentadoria de David Robinson, Duncan sofreu com a companhia de jogadores, no máximo, razoáveis. No ano passado, criou-se muita expectativa com a chegada de McDyess, mas o veterano ala-pivô começou muito mal a temporada. Nos playoffs, subiu um pouco de produção e fez uma participação decente, mas é pouco para uma equipe brigar pelo título.

Confesso que fiquei animado com contratações que não deram muito certo, como as de Drew Gooden e Theo Ratliff. O próprio draft de Blair criou boas expectativas. Porém, Popovich raramente usava algum dos três ao lado de Duncan – normalmente, estes jogadores entravam nos minutos de descanso do ala-pivô. Resta saber se, no plano de jogo do treinador, há espaço para Splitter jogar ao lado do ídolo da franquia. É esta a única chance do brasileiro ser titular na equipe texana.

Mundial de basquete – Semifinais

Foram definidos neste sábado os finalistas do Mundial masculino de basquete. Neste domingo, a Turquia, equipe da casa, promete ir para cima dos Estados Unidos, que não celebram o título da competição desde 1994.

Javtokas lutou, mas não foi suficiente para derrotar o Dream Team

O Dream Team garantiu sua vaga ao derrotar a Lituânia por 89 a 74 no primeiro jogo do dia. A equipe estadunidense contou mais uma vez com um desempenho brilhante de Kevin Durant – que vem fazendo uma segunda fase impressionante – e não esteve ameaçada em momento algum no placar. O ala do Oklahoma City Thunder terminou o jogo com 38 pontos e nove rebotes. Do lado europeu, o destaque foi Robertas Javtokas, vinculado ao San Antonio Spurs, que começou a partida como titular e teve seu melhor desempenho no torneio: foram 15 pontos e nove rebotes do pivô.

Na segunda semifinal do dia, pura emoção. A Turquia venceu a Sérvia por 83 a 82 em um jogo que foi parelho o tempo inteiro, e que foi decidido apenas nos instantes finais. Com Ilyasova apagado, o ala Hedo Turkoglu teve de chamar a responsabilidade pelos donos da casa, e o fez anotando 16 pontos no embate. Pela equipe do leste europeu, o destaque foi o ala Marko Keselj, cestinha da partida, que anotou 18 pontos e sete rebotes.

No jogo de menor importância do dia, a Rússia venceu a Eslovênia por 83 a 78 na disputa pelo sétimo lugar do mundial. O destaque da equipe vencedora foi o pivô Timofey Mozgov, que anotou 19 pontos e três rebotes. Os eslovenos contaram com o cestinha do jogo: Bostjan Nachbar, que guardou 20.

Confira os resultados das semifinais:

Estados Unidos 89 x 74 Lituânia
Turquia 83 x 82 Sérvia

Confira o resultado da disputa do 7º lugar:

Rússia 83 x 79 Eslovênia