Arquivo diário: 31/08/2010

Mundial de basquete – Dia 4

Foto em fiba.com

Nesta terça-feira, com o Brasil de folga, aconteceram os confrontos da terceira rodada do grupo C e D, com jogos emocionantes e grandes surpresas.  Pelo grupo D, a Espanha perdeu novamente, dessa vez para a Lituânia, pelo placar de 76 a 73. Após ver a Espanha abrir uma vantagem de 18 pontos no terceiro período, os lituanos conseguiram se recuperar e simplesmente surpreeender o mundo do basquete, impondo mais uma derrota à equipe espanhola. Pela Lituânia, o destaque foi Linas Kleiza, jogador do Toronto Raptors, com 17 pontos e oito rebotes, e o draftado pelo Spurs Robertas Javtokas contribuiu com quatro pontos e oito rebotes. Pelos espanhois, belas partidas de Juan Carlos Navarro e Marc Gasol, com 18 pontos cada e mais oito rebotes do pivô do Memphis Grizzlies.

A França conseguiu a vitória apenas no último quarto em uma partida complicada contra o Canadá: 68 a 63. França e Lituânia estão invictas até o momento, e devem decidir quem será o primeiro colocado do grupo na próxima rodada. Pela equipe francesa os destaques foram Nicolas Batum, com 24 pontos e sete rebotes, e o draftado pelo Spurs Nando De Colo, com cinco pontos, quatro assistências e três roubos de bola. Pelo Canadá, o cestinha foi Levon Kendall, com 15 pontos.

Time dos donos da casa, a Turquia venceu o clássico com a Grécia e se manteve invicta e na primeira posição do grupo C.

Confira os resultados do quarto dia:

Grupo C

Rússia 72 x 66 Costa do Marfim

Porto Rico 84 x 76 China

Turquia 76 x 65 Grécia

Grupo D

Nova Zelândia 108 x 76 Líbano

França 68 x 63 Canadá

Lituânia 76 x 73 Espanha

Anúncios

Haja coração, amigo!

Que nosso glorioso Galvão Bueno me dê a licença poética, mas haja coração, amigo! Não sei como definir o que senti durante a partida dessa tarde entre Brasil e Estados Unidos. Empolgação, êxtase, emoção e uma pitadinha de decepção, é verdade. Tive a oportunidade de acompanhar o jogo desde o início, e se no começo estava com a expectativa de perder de pouco, no final ficou a impressão de que era, sim, possível!

Mas que jogo! Há tempos não via uma Seleção Brasileira tão empenhada em uma partida. Depois dos desempenhos abaixo do esperado contra Irã e Tunísia, confesso que estava um pouco decepcionado com este time, mas o jogo de ontem reacendeu minha esperança.

Em quadra, vi um Huertas sendo um leão, um verdadeiro monstro, tomando conta do jogo. Vi um Marquinhos com um olhar furioso, focado, como nunca havia visto antes. Vi, também, no rosto dos americanos a surpresa. Por mais que façam o discurso politicamente correto, eles não esperavam este sufoco.

Kevin Durant, apesar de ser monstruoso e ter feito 27 pontos, também sentiu a pressão e cometeu erros que poderiam ter sido fatais. Até Billups errou arremessos quando não devia. Eles ficaram abalados – e o Iguodala ficou mesmo no chão.

Este resultado representa demais para o Brasil, e não apenas no sentido de dar moral para jogar contra Eslovênia e Croácia. O basquete, que andava meio esquecido, voltou a ter destaque na mídia. Quem nunca havia assisitido a um jogo, parou para assistir Splitter e Cia. quase vencerem os “senhores do basquetebol”.

A decepção após o arremesso de Huertas que não caiu durou apenas poucos segundos. Logo fui tomado por uma sensação de êxtase por presenciar este momento. No fim das contas, a vitória não veio, por muito pouco, mas nunca ver um jogo da Seleção valeu tanto a pena!