Arquivo diário: 04/05/2010

Déjà vu

Quer saber como vencer uma série de playoffs com nariz quebrado? Pergunte ao Ginobili

San Antonio Spurs e Phoenix Suns deram início a mais um confronto válido pelos playoffs. Como se sabe, o time texano foi o grande algoz de Steve Nash e cia. nas últimas temporadas. O time do Arizona ficou com o estigma de jogar bonito na temporada regular mas cair diante do basquete cadenciado e de meia-quadra do rival.

Assisti todo o jogo 1 e, apesar das equipes terem algumas diferenças desde a última vez que se enfrentaram na fase decisiva, em 2008, fiquei com a sensação de que já vi tudo isso acontecer.

Os texanos estavam perdendo por dez pontos de difereça praticamente desde o início do primeiro quarto e passaram o segundo mantendo a vantagem na mesma margem. Mas, ao mesmo tempo que ficava um pouco irritado – afinal, ninguém gosta de ver seu time perdendo -, eu me mantinha tranquilo com o seguinte pensamento: “Tudo bem, quando menos esperarmos e sem ninguém perceber, este jogo estará empatado.”

E não deu outra. Ainda no início do terceiro quarto, a diferença já havia sido destruída e chegamos até mesmo a estar na frente por alguns minutos. Está certo que não conseguimos nos segurar na liderança do placar, até porque Nash e Jason Richardson estavam em noite inspiradíssima e a vantagem acabou voltando para quase dez outra vez.

No último período, novamente encostamos no placar e tivemos a chance de virar outra vez, mas falhamos em algumas bolas decisivas. Apesar disso, acredito que temos totais condições de vencer o jogo 2, que será disputado também em Phoenix.

George Hill tomou um verdadeiro baile de Steve Nash no primeiro jogo e deve voltar melhor para o segundo. Digamos que o jogo 1 foi um aprendizado para o armador. Jason Richardson é um bom jogador, mas é irregular.  A defesa do Suns segue sem resposta para Duncan, Manu e Parker. Ontem, o trio foi muito bem no ataque, mas não tão eficiente na defesa. Então, basta que a defesa do Spurs funcione um pouco melhor que não teremos grandes problemas do outro lado da quadra.

Enquanto esperamos o jogo 2 desta série recheada de rivalidade, ficamos com um momento emocionante do último duelo entre as equipes nos mata-matas. Inesquecível.

Anúncios

Spurs (0) @ Suns (1) – Sem antídoto para Nash e Richardson

102X111

Podemos dizer que o jogo 1 entre San Antonio Spurs e Phoenix Suns foi uma cópia do Jogo 1 entre San Antonio e Dallas Mavericks pela primeira rodada dos playoffs. Enquanto o time da casa abria uma vantagem confortável, os texanos tentavam desconstruir o placar, mas sem obter sucesso.

Jason Richardson faz de 3 e joga a pá de cal em San Antonio (Getty Images)

Isso pode ser um bom presságio, já que eliminamos Dirk Nowitzki e sua trupe em seis jogos. No entanto, é bom tomar cuidado, já que perder os dois primeiros jogos pode ser extremamente preocupante. Antes do breve resumo, aliás, é bom ponderar algumas coisas.

Ginobili fez com que San Antonio vendesse caro a derrota (Photo by Barry Gossage/NBAE via Getty Images)

Primeiro: Parker, além de fazer uma partida exuberante, foi o melhor antídoto contra o canadense Steve Nash, ao contrário do que todos imaginavam, que era o jovem George na cola do armador. Hill bem que tentou, é verdade, mas foi dominado pela experiência e velocidade do camisa #13.

Segundo: Mais uma vez o treinador Gregg Popovich insistiu em colocar Roger Mason e Matt Bonner juntos em quadra. Se com um deles já temos calafrios, imagine com os dois ao mesmo tempo… é teste pra cardíaco! Alguma alternativa deve haver. Talvez Garrett Temple, talvez Keith Bogans, que hoje entrou e fez um bom papel. Vamos ver como esse problema será solucionado para o próximo jogo.

Sobre a partida, há pouco o que ponderar. San Antonio fez um péssimo primeiro tempo e merecia ir ao intervalo perdendo por 20. Por sorte, os texanos conseguiram ir descansar com apenas dez pontos atrás no marcador. Na volta, os comandados de Gregg Popovich fizeram uma bela corrida e chegaram a virar o placar, abrindo três pontos de vantagem. No entanto, o Suns, sempre comandado por Steve Nash e com um Jason Richardson inspirado, conseguiu se distanciar mais uma vez no marcador.

O período derradeiro foi uma cópia do terceiro quarto. O time da casa começou com vantagem, mas deixou o alvinegro texano encostar. Sorte que Amar’e Stoudemire e Jason Richardson chamaram a responsabilidade e conseguiram colocar o Suns mais uma vez à frente. No jogo dois, na quarta-feira, uma vitória será importantíssima. Uma derrota, como disse acima, acende o sinal amarelo no Texas.

Veja os melhores momentos da partida

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Manu Ginobili – 27 pontos, cinco rebotes e cinco assistências

Tony Parker – 26 pontos e três assistências

Tim Duncan – 20 pontos, 11 rebotes e quatro assistências

Phoenix Suns

Steve Nash – 33 pontos e dez assistências

Jason Richardson – 27 pontos e seis rebotes

Amar’e Stoudemire – 23 pontos e 13 rebotes