Arquivo diário: 16/04/2010

Estatísticas – Spurs X Mavericks – 1ª Rodada – Playoffs 2010

X

San Antonio Spurs (50-32)

Pontos: Tim Duncan (17.9)
Rebotes: Tim Duncan (10.1)
Assistências: Tony Parker (5.7)
Bloqueios: Tim Duncan (1.5)
Roubadas: Manu Ginobili (1.4)
FG%: DeJuan Blair (55.6%)
3PT%: George Hill (39.9%)
FT%: Manu Ginobili (87%)
Vitórias seguidas: Cinco (2x). Entre 21 e 29 de novembro e entre 26 de dezembro e 02 de janeiro
Derrotas seguidas: Três (3x). Entre 14 e 19 de novembro, entre 03 e 07 de dezembro e entre 20 e 25 de janeiro

Time titular

Antonio McDyess – C
Antonio McDyess

Tim Duncan – PF
Tim Duncan

Rochard Jefferson – SF
Richard Jefferson

Manu Ginobili – SG
Manu Ginobili

Tony Parker – PG
Tony Parker

Dallas Mavericks (55-27)

Pontos: Dirk Nowitzki (25.0)
Rebotes: Dirk Nowitzki (7.7)
Assistências: Jason Kidd (9.1)
Bloqueios: Brendan Haywood (2.0)
Roubadas: Jason Kidd (1.8)
FG%: Erick Dampier (62,4%)
3PT%: Jason Kidd (42,5%)
FT%: Dirk Nowitzki (91,5%)
Vitórias seguidas: Treze. Entre 17 de fevereiro e 10 de março
Derrotas seguidas: Três. Entre 28 de janeiro e 01 de fevereiro

Time Titular

Erick Dampier – C
Erick Dampier

Dirk Nowitzki – PF
Dirk Nowitzki

Shawn Marion – SF
Shawn Marion

Caron Butler – SG
Caron Butler

Jason Kidd – PG
Jason Kidd

Série na temporada (1-3)

11/11/2009 – San Antonio Spurs 92 vs. 83 Dallas Mavericks

No primeiro jogo entre as duas equipes na temporada, o Spurs recebeu Nowitzki e companhia e venceu com o melhor desempenho de Richard Jefferson com a camisa preto e prata. Foram 29 pontos naquela oportunidade.

18/11/2009 – San Antonio Spurs 94 @ 99 Dallas Mavericks (OT)

Em Dallas, o Spurs jogou bem, foi valente, mas foi derrotado no tempo extra para o rival. Em noite iluminada, Dirk Nowitzki garantiu o triunfo para os donos da casa.

9/01/2010 – San Antonio Spurs 103 vs. 112 Dallas Mavericks

San Antonio vinha bem, jogando até melhor. No entanto, um branco no último período foi responsável por uma corrida devastadora do Mavs, que se beneficiou e triunfou dentro do AT&T Center.

14/04/2010 – San Antonio Spurs 86 @ 96 Dallas Mavericks

Com o técnico Popovich descansando suas maiores estrelas, o Spurs perdeu na prévia do confronto. Destaque para mais um duplo-duplo de DeJuan Blair com 27 pontos e 23 rebotes.

Como parar Dirk Nowitzki?

Dirk conta nos dedos o número de vezes que já deitou e rolou contra a defesa do Spurs

Se eu soubesse como parar efetivamente o alemão Dirk Nowitzki eu já teria sido contratado para o staff do San Antonio Spurs.

Logicamente, nem eu, nem Gregg Popovich e nem o Papa Bento XVI sabemos essa fórmula mágica, já que o camisa #41 do Dallas Mavericks é simplesmente imparável.

Sou um grande entusiasta do basquete de Nowitzki. Ele é um jogador moderno e que sabe fazer de tudo dentro das quadras. É habilidoso, inteligente, arremessa como poucos – mesmo quando não tem espaço para isso…

O considero um verdadeiro gênio do basquete; um dos melhores estrangeiros que já pisou em solo ianque.

No entanto, se não há um jeito de pará-lo, deve haver, ao menos, uma maneira de reduzir sua atividade em quadra. Portanto, apresentarei abaixo algumas sugestões que limitem as investidas do alemão durante o confronto.

Tudo deve começar pelo cérebro

Toda equipe de basquete tem uma cabeça pensante. No caso do Mavs, esse mentor é o armador Jason Kidd.

De uns tempos pra cá, os texanos de azul e branco passaram a entender a importância que um dos melhores armadores da história do basquete pode ter a uma equipe. Assim, passaram a utilizá-lo com mais inteligência.

Kidd, como todos sabemos, já não é nenhum garoto daqueles que esbanja um físico privilegiado. Assim, caso fosse o técnico Gregg Popovich, colocaria um jovem [George Hill ou Garrett Temple] colado nessa peça fundamental durante todo o jogo.

Com o veterano muito bem marcado, parte da inteligência do Mavs sucumbiria. Desta maneira, menos bolas redondas chegariam a Nowitzki, que, consequentemente, teria que se esforçar em dobro e forçaria mais jogadas.

Fator McDyess

Tenho pra mim que Antonio McDyess não precisa ser muito efetivo no ataque, já que ele é a quarta ou quinta alternativa ofensiva de San Antonio quando está em quadra.

Se Dice poupar suas energias lá na frente, poderá gastar mais calorias empenhado em grudar no camisa #41 do Mavs.

McDyess, no entanto, já não esbanja aquele vigor físico suficiente para brecar o ímpeto do ala-pivô germânico, mas poderia se empenhar como nunca nesse “trabalho sujo” e dar uma “canseira” no adversário.

Quanto mais forte for marcado, mais cansado Nowitzki irá ficar. Quando mais cansado fica um jogador, menos produtivo ele passa a ser…

Segunda alternativa

Se a tática com Dyess não funcionar, outro atleta deverá estar nos planos de Gregg Popovich para infernizar a vida do europeu. Trata-se de Richard Jefferson

Jefferson, aliás, aumentou seu rendimento na segunda metade da temporada. Passou a pegar mais rebotes e a infiltrar com mais precisão…

Isso é bom, pois ganhamos outra alternativa confiável no ataque, embora ele ainda deixe a desejar nos arremessos de longa distância.

Na defesa, o ala será importante por um único motivo: terá físico de sobra para acompanhar o giro de Nowitzki pela quadra. Nem Duncan, nem McDyess, nem Blair e nem Bonner, apenas Jefferson é capaz de correr como um maluco quando Dirk for disparar seus tiros de longa distância.

Quarto período

O duelo pega fogo mesmo é no período final.

Se Duncan passou o jogo inteiro evitando marcar o alemão para não se carregar em faltas, no quarto derradeiro o assunto muda, pois é nele que o “bicho pega”.

Nada de frescuras e pseudo-inventividades; essa é a hora de colocar Tim Duncan para bater de frente com Dirk Nowitzki!

TD, não por acaso, é reconhecido por ser um bom marcador, tanto que foi eleito para o principal time de defesa da NBA por diversos anos consecutivos.

Nós, fanáticos, sabemos que ele é o único capaz de realmente incomodar esse adversário, que deverá provocar muitos pesadelos aos torcedores do San Antonio Spurs nas próximas semanas.

É esperar para ver…