Arquivo diário: 03/04/2010

O segredo da mágica

O San Antonio Spurs venceu ontem o Orlando Magic e voltou a encher seus torcedores de esperança. Apesar da decepcionante derrota para o New Jersey Nets – time de pior campanha da NBA -, as vitórias recentes sobre equipes como Oklahoma City Thunder, Los Angeles Lakers e Boston Celtics me fazem pensar que não é devaneio colocar a equipe texana com chances de brigar, ao menos, pela Conferência Oeste. Mas, hoje, peço licença aos leitores do blog para deixar o Spurs um pouco de lado para falar sobre o adversário da última partida.

O Orlando Magic tem hoje a terceira melhor campanha da Liga – está atrás apenas das potências Cleveland Cavaliers e Los Angeles Lakers. Em seu plantel, estão dois dos meus jogadores favoritos de toda a NBA – Vince Carter e Dwight Howard, o que faz com que a equipe seja a minha predileta na Conferência Leste. O pivô, aliás, é o último de uma escola que abusa da força física para dominar os garrafões – em uma era de alas-pivôs improvisados na posição cinco, ele deita e rola embaixo da tabela, sendo o principal responsável pelo ressurgimento da equipe, que chegou inclusive à final na última temporada.

Ao verem o grandalhão pegando rebotes à vontade e distribuindo tocos como se não houvesse amanhã, os técnicos adversários não resistem e implantam, a todo momento, dobras na marcação do pivô. Um erro, na minha opinião, já que, ao meu ver, Howard não é a principal arma ofensiva no Magic – são, sim, as bolas de três pontos. E essa arma fica ainda mais forte quando a marcação sobre o superman é dupla, já que alguém sobra livre no perimetro. Assim, Jameer Nelson, J.J. Reddick, Matt Barnes, Michael Pietrus, Rashard Lewis e o já citado Carter fazem a festa da torcida de Orlando.

Gregg Popovich está entre os técnicos que preferem dobrar sobre Howard. No primeiro embate entre os dois times, o resultado foi um verdadeiro desastre. Ontem, a tática funcionou: Howard foi eliminado após cometer a sexta falta com apenas dez pontos e seis rebotes. Porém, mesmo assim, quatro jogadores de perímetro da equipe conseguiram chegar à marca de 15 pontos. Prova que, mais uma vez, choveram bolas de três pra cima do adversário. E vale lembrar: a atuação de Manu Ginobili também fez a diferença desta vez.

Agora, só podemos voltar a enfrentar Dwight Howard e o Orlando Magic em uma possível final da NBA. É difícil, sabendo que eles têm de superar o Cavs e nós temos de bater, entre outros, o Lakers. Se acontecer, fica minha torcida para que Pop deixe Duncan se virar como pode com Howard, enquanto marca bem os quatro homens de perímetro do Magic.

Spurs (46-29) vs Magic (53-23) – Batman Returns

112X100

No segundo e último confronto da temporada regular entre o Batmanú e o Superman Dwight Howard, melhor para o argentino. Com 43 pontos, o ala-armador foi o destaque do San Antonio Spurs nesta sexta-feira, na vitória da equipe por 112 a 100 sobre o Orlando Magic em partida disputada no AT&T Center.

Nem com superpoderes deu para conter Ginobili ontem. (AP Photo/Eric Gay)

Como virou costume neste final de temporada regular, Gregg Popovich mandou à quadra como titulares George Hill, Manu Ginobili, Richard Jefferson, Antonio McDyess e Tim Duncan. O primeiro quarto foi bastante parelho, com nenhuma das duas equipes conseguindo abrir grande vantagem no marcador. Ao final do período, o Spurs vencia por 29 a 27, e Ginobili já tinha dez pontos anotados.

Na segunda parcial, os reservas passaram a participar mais do jogo. Como os dois times têm bons bancos de reservas, a partida continuou equilibrada. O treinador Gregg Popovich recebeu sua segunda falta técnica na noite e acabou excluído do duelo. O Magic venceu o quarto por quatro pontos de diferença, e desceu para os vestiários vencendo por 56 a 54. Manu anotou mais 12 pontos, e terminou a primeira metade do embate com 22.

Dwight Howard teve noite fraca (AP Photo/Eric Gay)

O terceiro período foi o grande momento do Spurs na partida. Com mais 13 pontos de Ginobili, a equipe impôs seu jogo no AT&T Center e abriu grande vantagem no marcador. A parcial apontou 33 a 22 para o time texano, que entraria no quarto derradeiro vencendo por 87 a 78.

O último período começou com um susto para os torcedores da equipe preto e prata, acostumados com os apagões que a equipe sofre em determinados momentos das partidas. O Magic abriu 7 a 0 e encostou no placar, preocupando os fãs presentes no AT&T Center. Porém, o Spurs respondeu com seis pontos seguidos, viu Dwight Howard ser excluído pela sexta falta com apenas dez pontos e seis rebotes e contou com mais oito pontos de Ginobili para fechar o jogo em 112 a 100.

Para tentar manter a boa fase, o Spurs tem uma pedreira na sequência: no domingo de páscoa, encara o Lakers jogando em Los Angeles.

Veja os os melhores momentos da partida

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Manu Ginobili – 43 pontos, seis rebotes e cinco assistências

Tim Duncan – 23 pontos e oito rebotes

Matt Bonner – 15 pontos e seis rebotes

Orlando Magic

Mickeal Pietrus – 18 pontos e seis rebotes

Rashard Lewis – 18 pontos, três rebotes e três assistências

Jameer Nelson – 15 pontos, seis assistências e cinco rebotes

J.J. Redick – 15 pontos e seis rebotes