Arquivo diário: 23/03/2010

Parker sem dores

Parker está cansado da roupa social da NBA (Foto por Kin Man Hui/Express-News)

Suando bastante depois de um trabalho com o preparador físico Mike Brungardt, o armador lesionado do Spurs, Tony Parker, pressionou o técnico Gregg Popovich por uma trégua do regime rigoroso de Brungardt.

“Eu posso pegar qualquer coisa que você jogar pra mim, Pop”, brincou o camisa #9.

Assim, Parker flexionou sua mão direita lesionada, gabando-se de ter passado pelo treino de arremessos sem sentir nem um indício de dor no seu quarto metacarpo fraturado que o tirou das quadras desde 6 de março – quando ele sofreu a fratura.

“Não doeu nada, Pop,” disse Parker, flexionando a mão. “Nem um pouco.”

Popovich lembrou o armador francês da importância de permitir o osso se recuperar totalmente antes de tentar voltar a jogar, e Parker concordou. Encorajado pelo seu arremesso sem dor, o francês buscará voltar a atuar antes do início dos playoffs. “Eu tentarei jogar a última semana se os médicos permitirem,” declarou o armador.

Consciente de que Matt Bonner lutou para retomar seu jogo após voltar às quadras com a mesma lesão, Parker citou as diferenças entre seus jogos.

“Matty precisa de seu arremesso,” citou Parker. “Eu consigo fazer bandejas e assistências, e ainda carregar a bola; eu consigo ajudar o time. Matty é diferente, porque seu chute é muito importante para ele. Eu não acho que terei tanto problema.”

Temple assina pelo restante da temporada

Temple cravou sua vaga na equipe! (Foto por D. Clarke Evans/NBAE/Getty Images)

O San Antonio Spurs tinha que tomar uma decisão sobre o armador reserva Garrett Temple, pois seu contrato de 10 dias vencia nesta terça. Assim, os texanos anunciaram hoje um acordo com o atleta pelo restante da temporada. Temple é capaz de jogar como armador e ala-armador.

Com San Antonio, Temple está em seu terceiro time na temporada. Ele também esteve junto com Houston Rockets e Sacramento Kings. Em dois jogos pelo Spurs, Temple tem médias de 5.5 pontos em 17 minutos. Na temporada, esteve presente em 16 partidas e possui 4.2 pontos e 1.1 rebotes em 10.9 minutos de média.

O armador, de 1,98m, esteve boa parte da temporada no Rio Grande Valley Vipers, time afiliado do Houston Rockets na D-League. O Spurs agora está com 13 jogadores em seu plantel, mínimo exigido pela NBA.

Spurs (42-27) @ Thunder (42-27) – Vitória com cara de playoff

99X96

Quem sofre de problemas cardíacos certamente passou por maus bocados nesta noite ao assistir o duelo entre San Antonio Spurs e Oklahoma City Thunder. A partida contou com todos os ingredientes de um jogo de pós-temporada: teve viradas no placar, belas jogadas e momentos emocionantes de sobra. Com o triunfo, os comandados de Gregg Popovich se igualaram com o Thunder na tabela e buscam agora galgar novos postos na equilibrada Conferência Oeste.

Uma bela foto para uma bela vitória (REUTERS/Bill Waugh)

Essa foi a terceira vitória sobre o Thunder na temporada (veja como foram os outros embates aqui). Apesar disso, San Antonio teve muitas dificuldades para marcar o ala Kevin Durant, que em noite inspirada anotou 45 pontos e deitou e rolou nos marcadores texanos.

Keith Bogans, Richard Jefferson, Manu Ginobili e George Hill… todos eles tentaram anular o camisa #35, mas sem sucesso algum. Falando em Hill… que jogo desse grande atleta! Ele fez de tudo em quadra: distribuiu o jogo, defendeu bem e esbanjou velocidade e habilidade na hora de concluir as jogadas. De quebra, deixou a quadra com sua melhor marca na carreira em pontos: foram 27!

Vamos ao jogo…

G.Hill teve sua melhor marca em pontos na carreira (AP Photo/Sue Ogrocki)

A contenda entre Spurs e Thunder começou parelha, como já era de se esperar. No entanto, a equipe da casa fez valer o apoio da torcida e conseguiu abrir confortável vantagem ao final do primeiro quarto (34 a 25). No segundo período, San Antonio conseguiu se recuperar, apesar de impor uma defesa que mais parecia uma peneira. Quando soou o gongo indicando o intervalo, Kevin Durant e companhia foram aos vestiários vencendo por modestos três tentos.

Foi na volta do descanso que os texanos finalmente se acertaram. O time, que está acostumado a sofrer blackouts no terceiro quarto, inverteu os papéis e dominou o período de cabo a rabo, com uma defesa que lembrava os tempos áureos de Bruce Bowen. Foi com toda essa gana que o Spurs virou o placar e iniciou os 12 minutos derradeiros à frente por cinco pontos.

O quarto período foi eletrizante, um verdadeiro teste pra cardíaco (como diria aquele popular narrador global). Vou me conter a narrar apenas os minutos finais, que foi quando o “bicho pegou”.

San Antonio tinha dois pontos de vantagem e a bola era do Thunder com menos de dois minutos no cronômetro. Russell Westbrook foi cobrar o “lateral bola” e, pressionado pelo argentino Manu Ginobili, entregou o ouro e pisou na linha no exato momento em que iria repor a laranjinha. Resultado? Bola de volta para a esquadra preto e prata. Nesse meio tempo, o próprio Ginobili já havia perdido duas bandejas que teriam sido cruciais para o desfecho do jogo, e o nosso Tim Duncan havia levado um toco espetacular do congolês Serge Ibaka (que é ótimo jogador).

Manu Ginobili teve mais uma noite inspirada (REUTERS/Bill Waugh)

Após TD ser bloqueado por Ibaka, o técnico do Thunder pediu tempo. O marcador apontava cerca de dez segundos para a jogada ser armada, tempo esse que foi gasto logo de cara com um arremesso solitário de Thabo Sefolosha. O suíço, que terminou o embate zerado, disparou sem marcador… o tiro foi quase perfeito, exceto pela bola ter entrado um bocado e saído do aro logo em seguida.

No rebote estava lá o argentino Ginobili; sempre ele. Com pouco mais de dois segundos, Manu sofreu falta, o que lhe encaminhou para a linha de lances livres. Tem como ser mais emocionante? Claro! O ala, que terminou o confronto com 21 pontos, cinco rebotes e cinco assistências, desperdiçou o primeiro tiro livre. Pressionado, Ginobili teria que acertar o segundo disparo para colocar três pontos à frente no placar. Ele acertou.

No final, Westbrook, sem poder pedir tempo, arremessou do meio da quadra… a bola, todavia, perdeu a força no meio do caminho e só assim San Antonio pode comemorar seu 42º triunfo na temporada regular.

Para tentar embalar de vez, os comandados de Gregg Popovich recebem o Los Angeles Lakers na quarta-feira. O Thunder, que perdeu três dos seus últimos cinco jogos, permanece em casa e recebe, também na quarta, o perigoso Houston Rockets.

Veja os melhores momentos da partida

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

George Hill – 27 pontos e cinco rebotes

Manu Ginobili – 21 pontos, cinco rebotes e cinco assistências

Tim Duncan – 14 pontos, sete rebotes e cinco assistências

Roger Mason – 13 pontos, quatro rebotes e quatro assistências

Oklahoma City Thunder

Kevin Durant – 45 pontos e oito rebotes

Jeff Green – 16 pontos e seis rebotes

Russell Westbrook – 12 pontos, quatro rebotes e quatro assistências

Serge Ibaka – Dez pontos e oito rebotes