Arquivo diário: 12/03/2010

Hairston tem que ser mais aproveitado

No draft de 2008, o San Antonio Spurs selecionou aquele que viria a se tornar um bom armador – o esloveno Goran Dragic.

Como já contava com Tony Parker e George Hill para tal posto, nada mais natural do que tentar negociá-lo logo em seguida.

Bom… foi isso que o R.C. Buford tentou fazer.

A troca foi feita com o Phoenix Suns. Enviamos o promissor europeu e trouxemos o desconhecido Malik Hairston, que vinha da Universidade do Oregon.

Pouco tempo foi suficiente para perceber que nos metemos numa tremenda cilada…

Hairston era pouco aproveitado e nunca pôde mostrar seu basquete no Texas.

Dragic, por sua vez, teve uma primeira temporada irregular, cheia de altos e baixos.

Em seu segundo ano, no entanto, mostrou que é um armador de certo potencial, tanto que ganhou mais minutos no Arizona e está tirando proveito disso.

Hairston ficava naquele mesmo esquema… vem pro Spurs, vai pra D-League, vem pro Spurs, vai pra D-League

Só depois da dispensa de Michael Finley e da troca de Theo Ratliff que o ala conseguiu um pouquinho mais de espaço.

Subiu de vez para San Antonio e finalmente se fixou no grupo – sem precisar ficar indo e voltando para Austin a todo o momento.

Particularmente sempre gostei do Hairston em quadra.

É raçudo, sabe defender com certa qualidade, tem umas enterradas boas (aquela que ele pega o rebote e enterra é bem típica)… ou seja, é um atleta que merece algumas chances.

Na vitória contra o New York Knicks, o jovem finalmente teve um período para jogar e mostrar seu potencial.

Atuou no último quarto e foi brilhante. Deu uma enterrada, converteu um arremesso providencial e deu um toco espetacular que salvou o San Antonio Spurs da tragédia.

Com a má fase de Roger Mason Jr., é bem provável que o Pop passe a utilizá-lo com mais frequência.

Eu torço para isso!

Anúncios