Arquivo diário: 06/03/2010

Parker deve ficar de fora do mundial

O armador Tony Parker, que vem sofrendo com constantes problemas físicos nessa temporada, deverá se ausentar do mundial da FIBA, que acontece no meio do ano.

“Terei que decidir sobre minhas prioridades”, disse o francês de 27 anos. “Ao final da temporada, definitivamente eu vou sentar e olhar para tudo o que aconteceu nesse ano e ter certeza de que não irá acontecer nunca mais”, completou Parker, em referência às suas lesões.

Em 2009-2010, o armador vem com médias de 16.6 pontos e 5.7 assistências por partida. Esses números refletem os problemas pelos quais o jogador vem passando, já que em 2008-2009 Parker conseguiu médias de 22.0 pontos e 6.9 assistências por noite.

Se Parker ficará de fora, o mundial da FIBA será ótimo para observarmos um pouco mais de perto o basquete de Nando de Colo, draftado pelo Spurs na última temporada.

Spurs (35-24) @ Grizzlies (32-30) – Temporada Regular

San Antonio Spurs @ Memphis Grizzlies – Temporada Regular

Data: 06/03/2010

Horário: 22:00 (Horário de Brasília)

Local: FedEx Forum

Situação do Jogo

Com uma sequência de três vitórias, o San Antonio Spurs volta a jogar um dia após vencer o New Orleans Hornets para enfrentar o Memphis Grizzlies fora de casa. O Spurs vem para mais um jogo em noite seguida, e o técnico Gregg Popovich deve colocar em prática seu plano de descansar Tim Duncan na segunda partida consecutiva, principalmente quando o próximo jogo é contra o líder da Conferência Leste, o Cleveland Cavaliers. Para buscar a quarta conquista seguida, o time não deve contar com o pivô Antonio McDyess, com problemas no joelho. O Grizzlies tenta a terceira vitória consecutiva para acabar com a sequência de sete derrotas em sua arena. O time não contará com o ala Ronnie Brewer, fora com uma lesão desde sua estreia pela nova equipe.

Confrontos na temporada (1-1)

16/01/2010 – Spurs 86 @ 92 Grizzlies

Jogando fora de casa, o San Antonio Spurs sofreu sua segunda derrota seguida na época ao perder para o Memphis Grizzlies por 92 a 86. Zach Randolph, com 23 pontos e 15 rebotes, foi o grande destaque da partida pelo Memphis, e Tim Duncan, com 23 pontos, se destacou pelo Spurs.

29/01/2010 – Spurs 104 vs. 97 Grizzlies

O San Antonio Spurs alcançou uma boa vitória sobre o surpreendente Memphis Grizzlies e mostrou recuperação da sequência de derrotas, mesmo após a lesão de Tony Parker. Tim Duncan mais uma vez foi o cestinha do time, e contou ainda com a ajuda do jovem George Hill, que não sentiu a pressão de substituir Parker, e Roger Mason Jr., com cestas de três em momentos importantes da partida.
.

PG – Tony Parker

SG George Hill

SF – Keith Bogans

PF – Matt Bonner

C – DeJuan Blair

Fique de olho – Com o possível descanso de Tim Duncan para essa partida, o novato Blair tem a missão de dominar o garrafão texano e segurar Zach Rnadolph na defesa. Contra o Hornets, no último jogo, ele anotou mais um duplo-duplo, com dez pontos e 12 rebotes. Em sua boa temporada inicial na liga, DeJuan tem médias de 7.9 pontos e 6.3 rebotes.
.

PG – Mike Conley

SG – O.J. Mayo

SF – Rudy Gay

PF – Zach Randolph

C – Marc Gasol

Fique de olho – Em uma surpreendente temporada, Randolph conseguiu sua primeira aparição em um All-Star Game e vem batendo recordes pelo Grizzlies. No jogo anterior, contra o Chicago Bulls, ele marcou seu 43º duplo-duplo da temporada, recorde da franquia, com 31 pontos e 18 rebotes. Nas últimas sete partidas, ele tem médias de 24.7 pontos e 13.4 rebotes.

Iziane vence queda de braço


Depois de uma longa novela, que vinha se arrastando desde setembro do ano passado, a Confederação Brasileira de Basquete anunciou o espanhol Carlos Colinas como o novo treinador da Seleção Feminina. Seu antecessor, Paulo Bassul – que vinha do título da Copa América e da consequente classificação para o Mundial – foi preterido por Hortência, coordenadora de Seleções femininas da CBB.

Primeiramente, gostaria de me declarar suspeito para escrever as próximas linhas desta coluna por ser um enorme fã de Bassul. Educado, sensato, e, o mais importante de tudo, um estudioso do basquetebol, considero-o o melhor técnico brasileiro de hoje em dia – mesmo entre as equipes masculinas. Não enxergo retoques a serem feitos em seu trabalho à frente do Brasil. Seu principal problema neste período foi a polêmica com a pseudo-estrela Iziane – que, para quem não se lembra, recusou-se a entrar em quadra após ser mantida no banco por Bassul no começo de uma prorrogação.

A atitude do treinador em não mais convocar a atleta foi prontamente apoiada pela grande maioria dos brasileiros que acompanham basquete. Pois é… acreditem ou não, essa rusga pode ter causado a saída de Bassul da CBB. Desde o começo de sua gestão, Hortência vem declarando que pretende ver as principais jogadoras do país defendendo a Seleção. Fez o que foi preciso para contar com Alessandra, e, agora, pode ter feito o que foi preciso para contar com a ala-armadora.

Iziane já declarou em entrevistas que, com a mudança de técnico, topa voltar a defender a amarelinha. Que momento propício para este retorno, não? Com o Brasil já classificado para o Mundial, com uma base formada e com o retorno de jogadoras importantes, como a já citada Alessandra e a veterana Helen. O novo técnico tem nas mãos material humano para montar uma das melhores Seleções dos últimos anos.

Confesso não conhecer o trabalho de Carlos Colinas. Ainda não se sabe se o técnico, que comandava a equipe sub-18 da Espanha, vai deixar de treinar sua equipe em Celta de Vigo. Hortência disse que queria um treinador que soubesse o que está acontecendo no basquete mundial. Mas será que, em alguns meses morando fora do país, o espanhol vai ter conhecimento suficiente para saber o que se passa no basquete brasileiro? Ou será que não é ele que vai convocar a Seleção?

Temo estarmos voltando para uma era de amadorismo na CBB. Se, na equipe masculina, a contratação de Rubén Magnano é inquestionável, na feminina o reforço de Colinas já aparece cheio de dúvidas…

Spurs (35-24) vs. Hornets (31-32) – Terceira seguida!

San Antonio Spurs102X91

O San Antonio Spurs enfrentou novamente o New Orleans Hornets, na noite desta sexta-feira, e emplacou a terceira vitória seguida, o que não acontecia desde o dia 13 de janeiro. Mais uma vez o jogo coletivo mostrou sua força e sete jogadores anotaram ao menos dez pontos, incluindo o cestinha Tony Parker, que marcou 20.

Tony Parker foi o destaque do Spurs na noite

O Spurs foi a quadra com Parker, Hill, Bogans, Blair e Duncan. Sem poder contar com Roger Mason Jr e Antonio McDyess, a rotação da equipe ficou limitada a praticamente apenas três jogadores: Manu Ginobili, Richard Jefferson e Matt Bonner.

Carimba, Blair! Mais um double-double para ele

A equipe texana começou arrasadora. Precisa nos arremessos de longa distância, logo abriu uma confortável vantagem de dez pontos e venceu o primeiro quarto por 29 a 19.

Com Tony Parker liderando a equipe, o Spurs seguiu no comando do placar durante todo o segundo período. Nem mesmo as investidas do novato Marcus Thornton foram capazes de reduzir a vantagem dos mandantes, que foram para o intervalo vencendo por 54 a 45.

Após a volta dos vestiários, o Hornets chegou a ameaçar a liderança dos donos da casa em algumas oportunidades. A diferença chegou a cinco pontos, mas os visitantes desperdiçaram as chances para encostar de vez no placar. As equipes foram para o período final com o placar de 74 a 69.

Nos últimos 12 minutos, domínio total dos comandados de Gregg Popovich. A diferença voltou para a casa dos dois dígitos e o Spurs não teve a liderança ameaçada em nenhum momento. Com a confortável vantagem construída, coube a equipe administrar o tempo restante e segurar o ímpeto do novato Darren Collison que, apesar das tentavas, pouco pode fazer.

Veja os melhores momentos da partida

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tony Parker – 20 pontos e seis assistências

Manu Ginobili – 16 pontos, cinco rebotes e cinco assistências

Keith Bogans – 15 pontos e dois bloqueios

George Hill – 14 pontos e quatro rebotes

Tim Duncan – 12 pontos e oito rebotes

Matt Bonner – 12 pontos e quatro rebotes

DeJuan Blair – Dez pontos e 12 rebotes

New Orleans Hornets

Darren Collinson – 32 pontos

David West – 22 pontos, nove rebotes, sete assistências e quatro roubos de bola

Marcus Thornton – 18 pontos