Finley, obrigado!

Ontem fui surpreendido com uma notícia triste para os torcedores do Spurs. O veterano Michael Finley, prestes a completar 37 anos, foi dispensado e não faz mais parte do plantel da equipe de San Antonio. Muito mais que apenas a saída de um jogador, a dispensa de Finley despertou-me um certo saudosismo de um passado nem tão distante.

Não nos esqueceremos. Você estava lá!

Finley chegou ao Spurs para a temporada 2005/2006. Com status de estrela, deixou o rival Dallas Mavericks e rumou para San Antonio, aceitando o papel de coadjuvante em busca de um título da NBA. De início, ver um ídolo rival com a camisa preta e prata causou-me muita estranheza. Era como um intruso, um “estranho no ninho”. Mas, aos poucos, Finley ganhou a confiança de toda a torcida com dedicação em quadra e boas atuações.

Pode festejar, Finley!

Logo chegou 2006/2007 e Finley pode comemorar. Alcançou seu sonho de ganhar o anel de campeão, teve papel fundamental na campanha e marcou de vez o seu nome na história da franquia. Apesar das médias discretas na temporada regular, 9 pontos e 2,7 rebotes por jogo, nos playoffs o camisa #4 subiu de produção, marcando 11,2 pontos e 2,9 rebotes de média nas 20 partidas disputadas.

O ex-ídolo rival abusou da larga experiência e fez o que sabe melhor: cestas de três pontos. E, sem ele, dificilmente a equipe levaria o tetracampeonato. Finley apagou de vez as lembranças dos tempos de Mavs e tornou-se um verdadeiro Spur.

Nos dois anos seguintes, apesar da idade avançada, ele menteve a regularidade e a pontaria certeira. Não foram poucos os jogos que o experiente atleta venceu para os texanos ou levou para a prorrogação convertendo, com muita frieza, arremessos nos segundos finais.

Frieza e pontaria certeira. As marcas do camisa #4

Somente nesta temporada, Finley mostrou-se realmente decadente. Jogou pouco, acertou menos ainda e sofreu com as lesões, algo não tão comum em sua carreira de 14 anos. Perdeu espaço na equipe e, agora, acabou dispensado.

Ao que parece, foi um pedido do próprio jogador, que optou por deixar a equipe para, provavelmente, buscar um espaço em outra franquia nos últimos momentos de sua carreira. Mas isso pouco importa diante do que ele representou para a Spurs.

Seu auge foi em um arqui-rival, sua camisa não estará pendurada no teto do AT&T Center, mas, com certeza, lembraremos de Finley com muito carinho.

Obrigado Michael Finley!

Sobre Victor Moraes

Formado em Jornalismo no ano de 2012 pela Universidade Metodista de São Paulo. Fanático por esportes, sobretudo o basquete, passou pela redação do Diário Lance!, trabalhou na Liga Nacional de Basquete e no extinto Basketeria. Se orgulha de fazer parte da equipe do Spurs Brasil desde a criação em 2007.

Publicado em 02/03/2010, em Na linha dos 3 e marcado como . Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

  1. Perfeito Victor, isso é exatamente o que eu penso sobre o Finley também. Sempre tive muito respeito por ele desde a época em que jogava pelo Dallas, até porque sou daqueles poucos que não vê o Mavericks como um rival e até torce pelo sucesso dos vizinhos.

    Hoje fiquei pensando em lances pontuais da passagem de Finley pelo Spurs. Primeiro, devo lembrar aquele série contra o próprio Dallas em que acabamos eliminados no primeiro ano de Mike junto a nós. Certamente ele não esperava ser vaiado da maneira que foi e jogou aquele playoff com sangue nos olhos. Ficará pra sempre na minha memória a lindíssima enterrada que Finley deu no jogo 4, se não me engano, em plena American Airlines Center. Também posso falar da sequência de cestas de três pontos contra o Denver Nuggets na primeira rodada de 2007 – acho que foram oito no total no jogo 6 -, e claro, da magnânima atuação naquele histórico jogo da primeira rodada de 2008 contra o Phoenix Suns. Merecíamos o título só por aquela partida.

    No mais, é como diz o Victor, obrigado Finley. Toda sorte do mundo a você e esperamos vê-lo algumas vezes no AT&T Center. Aos poucos esse time diferenciado, odiado por muitos e defendido por nós como se fosse um filho, vai se dispersando. Já se foram Barry, Bowen, Horry e agora Finley. Anteriormente tinham ido o Almirante, Elliott e Kerr. Grandes memórias, que década sensacional nós tivemos.

    Abraços a todos.

  2. Os playoffs de 2007 foram magníficos. Finley conquistou minha total admiração naquela série contra o Suns onde atuou muito bem.

    Vai deixar saudades.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.