Arquivo diário: 30/01/2010

Spurs (27-18) vs. Grizzlies (25-20) – De volta às vitórias

104X97

O San Antonio Spurs alcançou uma boa vitória sobre o surpreendente Memphis Grizzlies e mostra estar se recuperando da sequência de derrotas, mesmo após a lesão de Tony Parker. Tim Duncan mais uma vez foi o cestinha do time, e contou ainda com a ajuda do jovem George Hill, que não sentiu a pressão de substituir Parker, e Roger Mason Jr., com cestas de três em momentos importantes da partida.

Hill fez grande partida, comandando a equipe no lugar de Parker (Foto por D. Clarke Evans/NBAE via Getty Images)

Sem Parker, o técnico Gregg Popovich decidiu começar com Bogans novamente no time titular, e com Hill, Richard Jefferson, Duncan e Antonio McDyess. Michael Finley estava no banco, de volta após sete semanas fora por uma lesão no tornozelo esquerdo. O Grizzlies iniciou melhor a partida e manteve a dianteira no placar até metade do primeiro período, quando o Spurs, com cestas de Jefferson e Hill, que anotaram seis pontos cada neste quarto, conseguiu passar à frente e, mesmo com O.J. Mayo anotando sete pontos e Zach Randolph seis, o time da casa fechou o período vencendo por 28 a 21.

Duncan alcançou a marca de 11000 rebotes na carreira (Foto por Darren Abate/AP Photo)

A equipe texana continuou muito bem no ataque com seus reservas em quadra, mas o Memphis iniciou uma tentativa de reação liderada por Mayo, que anotou mais oito no segundo quarto, chegando a encostar no placar em 51 a 50. Entretanto, o Spurs conseguiu manter a liderança e, com os sete pontos de Duncan no período, foi para o intervalo vencendo por 53 a 50.

No retorno para o segundo tempo do jogo, logo no começo o Spurs conseguiu uma bela corrida de sete a zero, conseguindo um folga na dianteira do placar. O time texano fez um grande trabalho na defesa, diminuindo o aproveitamento nos arremessos  do Grizzlies, principalmente com Hill na marcação de Mike Conley. Com o belo trabalho na defesa, o Spurs foi para o último quarto vencendo por 77 a 70.

Chegando ao período final, a partida ficou parelha, com as equipes trocando cestas. Mayo continuou a comandar o Grizzlies, anotando 12 pontos neste tempo. Duncan, com um rebote ofensivo faltando quatro minutos para o fim da partida, chegou a marca de 11 mil rebotes na carreira, o 27º maior na história da NBA. O Spurs conseguiu chegar à vitória com um belíssimo último quarto de Mason, que anotou 12 pontos, com três cestas de três pontos. Assim, a equipe da casa alcançou a conquista com o placar de 104 a 97.

O San Antonio volta a jogar no domingo pela tarde contra o Denver Nuggets, em sua última partida em casa antes da Rodeo Trip. O Memphis recebe neste sábado o New Orleans Hornets.

Veja os melhores momentos da partida

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 19 pontos, nove rebotes e sete assistências

George Hill – 18 pontos, cinco assistências e três roubos de bola

Roger Mason – 17 pontos e 80% (4-5) nos arremessos de três pontos

Manu Ginobili – 14 pontos e sete assistências

Antonio McDyess – 11 pontos e oito rebotes

Richard Jefferson – 11 pontos

DeJuan Blair – Dez rebotes

Memphis Grizzlies

O.J. Mayo – 28 pontos e 63,1% (12-19) nos arremessos de quadra

Zach Randolph – 19 pontos e 13 rebotes

Mike Conley – 12 pontos e oito assistências

Sam Young – 11 pontos

Polêmicas do ASG

Ok, eu me rendo. Apesar de não ser um grande entusiasta do basquete de Zach Randolph, admito que o ala-pivô merece uma chance no All-Star Game; mesmo que como reserva. Aliás, apenas como reserva, já que a Conferência Oeste tem outros big men de respeito – como os também selecionados Amare Stoudamire, Dirk Nowitzki e o nosso Tim Duncan.

O jogador do Memphis Grizzlies foi uma das polêmicas da lista de reservas para o jogo das estrelas – elaborada por meio de eleição com os trinta técnicos da NBA. No oeste, por exemplo, além de Randolph, a indicação de Pau Gasol também gerou controvérsia – uma vez que o atleta perdeu 17 jogos nesta temporada por conta de lesões.

Muita gente pedia outros nomes, como Al Jefferson, Andrew Bynum, o brasileiro Nenê… Cá entre nós, meu favorito para ser o pivô reserva do Oeste seria Chris Kaman. Acho que ele poderia ser chamado tanto no lugar de Randolph como no de Gasol – porém, é inegável que os jogadores escolhidos também têm seu mérito.

No Leste, a grande surpresa ficou por conta da convocação de Al Horford. O pivô pegou carona na boa campanha do Atlanta Hawks para garantir sua vaga. Mais uma vez polêmica – muita gente pediu David Lee em seu lugar. O jogador do Knicks também seria meu favorito, e digo ainda que Brook Lopez é no mínimo do mesmo nível de Horford.

Méritos a parte, vai ser um pouco esquisito assistir a um All Star Game sem Shaquille O’Neal. O carisma e a irreverência do pivô, hoje no Cleveland Cavaliers, sempre foram marca registrada do final de semana festivo. Será que seria um absurdo muito grande convocar Shaq no lugar de Horford?