Ginobili: “nem sequer espero que estendam meu contrato”

"Alguém tem um contrato aí?"

Os dias do argentino Manu Ginobili com a camisa do San Antonio Spurs parecem estar realmente chegando ao fim. O casamento de oito anos, que rendeu três títulos à franquia, se estremeceu nos últimos anos, especialmente após as constantes lesões do ala. O técnico Gregg Popovich, que nunca gostou que seus atletas fossem jogar por seus países, ficou irritado quando Manu foi para Pequim e voltou com o tornozelo machucado.

Em entrevista ao jornal argentino Clarín, Manu se demonstrou decepcionado por não ter sido procurado para renovar seu contrato. “Estou certo de que serei agente livre e em julho ou agosto tomarei uma decisão acerca de aonde ir [jogar]”, disse. “Já nem espero que a equipe me ofereça uma extensão de contrato”, confessou.

Abaixo, você pode conferir parte da entrevista

Clarín: San Antonio te dá sinais de que vai oferecer um contrato?

Ginobili: Não, não houve nenhum sinal. O último foi antes de eu me machucar no ano passado. Desde então, não houve nenhuma conversa. Neste ponto da temporada, não sei se eu estenderia meu contrato, depende da oferta. Estou focado em sentar no dia 1º de julho com meu agente e com a minha esposa e ver que ofertas tenho.

Clarín: Você não é um Spur qualquer, por seu rendimento e idolatria da torcida. Não te magoa o fato de te deixarem ir?

Ginobili: De início sim, porque pensei que a relação era outra. Isso foi no ano passado, mas esse ano é diferente. Sei como as cartas estão repartidas e ninguém presenteia ninguém quando é hora de negociar – nem a franquia e nem os jogadores. Há que se entender isso como um negócio e há que saber jogar com isso. De início fiquei doído, mas agora já entendi.

Clarín: San Antonio teve duas temporadas de menor rendimento desde 2007. Hoje está em quarto na Conferência Oeste. Como você vê isso?

Ginobili: Não estamos jogando tão bem como deveríamos a essa altura do campeonato. Tivemos muitos altos e baixos e seguimos tendo. Assim, não digo que estou preocupado, mas teríamos que ter sofrido quatro ou cinco derrotas a menos. Esperamos nos recuperar durante o calendário que vem por aí, porque sabemos que em fevereiro e março não estaremos quase nunca em casa [por causa da Rodeo Trip]. Esperamos não pagar caro pelas derrotas que tivemos em San Antonio.

Análise do caso

É sempre complicado e doído se desfazer de um ídolo. No futebol isso se tornou comum. É muito fácil hoje em dia ver um garoto ficar seis meses numa equipe qualquer e logo em seguida ser vendido. No basquete é diferente, ainda existe amor à camisa.

Ginobili é um desses caras que gosta do Spurs, gosta da cidade e se identifica com a torcida. A recíproca, claro, é verdadeira. San Antonio ama o Ginobili e quer que ele continue na equipe até encerrar a carreira. Esse é o desejo de qualquer torcedor. Manu marcou época, foi único e venceu tudo o que podia na carreira. Ele é um vencedor, acima de tudo.

Na visão mercadológica, no entanto, temos que ser realistas. Ginobili é um jogador com constantes problemas físicos. Ele já não é mais rentável como antigamente e os dirigentes perceberam isso. Além disso, um contrato novo para o argentino não sairia por menos de US$ 10 mi anuais – que é o que ele ganha atualmente.

Mr. Peter Holt, dono da franquia, gastou o que tinha e o que não tinha para montar um time forte com Richard Jefferson e Antonio McDyess. Se ele meteu os pés pelas mãos, ainda é cedo para dizer, mas, com isso, colocou a equipe muito acima do teto salarial – coisa rara no seu perfil. Caso tudo dê errado, é provável que ele tente começar mais ou menos do zero. Se livrar do contrato do Ginobili seria um início razoável para isso.

É bem verdade que temos uma série de contratos expirantes para a próxima temporada, como Michael Finley, Matt Bonner, Roger Mason, Theo Ratliff, Ian Mahinmi e Keith Bogans. Juntos, todos eles (contando o Manu) somam mais de US$ 20 mi; uma baita folga na folha salarial e a chance de um recomeço, já que o contrato salgado do Richard Jefferson expira já em 2011.

Peter Holt tem a faca e o queijo nas mãos. A decisão, todavia, é complicada. Manter um ídolo agora e arriscar novas campanhas medianas ou deixar ele ir e montar outro time forte…? O erro, para mim, já foi feito. Um contrato de três anos para o vovô Antonio McDyess, com direto a US$ 5 mi no último ano, quando ele deverá estar caindo aos pedaços, foi um erro incalculável.

Sobre Bruno Pongas

Acompanha o San Antonio Spurs desde 1998, escreveu para o Spurs Brasil entre 2008 e 2012, criou o Destino Riverwalk e o podcast Cultura Pop, e agora está de volta ao Spurs Brasil para dar seus pitacos sobre o maior do Texas.

Publicado em 21/01/2010, em Análises, Entrevistas, Notícias e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. 10 Comentários.

  1. Poxa, Ginobili é um dos motivos pela minha torcida pelo Spurs na NBA. E admito que talvez ele me faça simpatizar com a próxima equipe que ele for jogar. rs!

    Abraços!

  2. Antonio McDyess n vale isso nunk.. pelo amor de deus.. essa foi uma burrada desgraçada.. acho q ele deveria ter akele salario minimo para Veteranos…

    meu.. Ginobili é meu idolo.. seria mto estranho ver ele jogar por outro time.. e como o Alyson disse… simpatizarei pela proxima equipe q ele jogar… desde q n seja o Dallas lógicamente…

    • Bruno Pongas

      Eu sinceramente não imagino o Ginobili fora do Spurs.

      Hoje ele falou ao mysanantonio.com e disse que a história não é bem assim.
      Pra mim ele se arrependeu de algumas declarações. porque ele realmente pegou pesado e falou sem papas na língua.

      À imprensa americana, ele disse que ele pode muito bem virar um free agent e depois reassinar com o Spurs. Mas pelo teor da entrevista, ele parece querer mudar de ares por estar desapontado com o trataento que teve em San Antonio.

      Sei lá, acho que essa entrevista repercutiu com tudo lá em S.A!

  3. Bruno Pongas

    tratamento*

  4. se o ginobili sair do spurs, acho q vou chorar cara… heheh

    tomara q ele tenha estado de cabeça quente nesta entrevista e ele renove… mesmo q ele não seja mais o mesmo manu, ele sempre acaba sendo decisivo…

  5. Daniel Sanchez

    Apesar de ser do time mais chato da década, muito legal o Blog, parabéns!

  6. Gabriel Fonseca

    /\
    |

    PELO MENOS NÃO É O DERON WILLIANS, MAS TÃO QUÃO CHATO COMO ELE

  7. Bruno Lorscheiter Alves

    Cara pq todo mundo acha o spurs chato? Já ouvi um monte de gente dizendo q odeia Spurs, q é um time sem graça, desleal, q o Pop é sujo…
    Mas o blog tá mto bom mesmo, fui comparar com outros, acho q é o q mais atualiza, parabéns ae galera…

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.