Arquivo mensal: dezembro 2009

Parker e Manu ainda se adaptam aos novos companheiros

Recordar é viver...

Tony Parker impressionou a NBA no ano passado ao fazer 55 pontos diante do Minnesota Timberwolves. No entanto, sua média de pontos nessa temporada caiu consideravelmente: foi de 22.1 para apenas 16.6. Além do mais, ele vem cometendo 3.1 tournovers por jogo, sua pior marca na carreira.

Com Ginobili aconteceu algo semelhante. No ano passado ele mal jogou, mas quando esteve em quadra manteve média de 15.5 pontos por partida, aquém dos números da temporada retrasada, sua melhor da carreira com 19.5 por jogo. Nesse ano o argentino  vem pior; média de 12.2 pontos e aproveitamento de 40.1% nos arremessos – seu pior da carreira.

Essa queda no desempenho de Parker e Manu está sendo sentida pelo restante do elenco, que até agora reluta em se adaptar a um novo estilo de jogo. Seria tudo isso culpa da idade? Pode ser… contudo, nos últimos dez jogos, foram oito vitórias e um indício claro de que San Antonio está melhorando.

Muitos jogadores novos chegaram: Antonio McDyess, Richard Jefferson, DeJuan Blair, Theo Ratliff, Keith Bogans… isso é suficiente para desestabilizar qualquer esquema de jogo. Tony Parker, por exemplo, tentou se adaptar aos novos companheiros e ao bom preparo físico de RJ24. Entretanto, notou que estava deixando de ser o verdadeiro Parker e já cogita voltar ao velho estilo de jogo. “Em alguns jogos eu tento passar a bola e os técnicos dizem que eu tenho de ser mais agressivo”, disse o francês. ”É como se ele estivesse começando de novo”, disse o técnico Gregg Popovich. “Por onde ele olha há novos jogadores, e ele está descobrindo o que fazer com eles”, completou.

Se Parker se sente como um novato, Ginobili sente como se nunca tivesse entrado em quadra na vida. Ele perdeu muito da temporada passada por causa de problemas físicos. Quanto à sua confiança, o argentino falou que ela varia de acordo com o dia. “Preciso jogar uns dez jogos em sequência, me sentir bem e deixar o jogo vir até mim”, explicou. “Às vezes, quando eu perco muitos jogos [devido a lesões], eu volto e quero fazer as coisas acontecerem muito rapidamente”, finalizou.

McDyess confortável vindo do banco

O ala-pivô Antonio McDyess disse que está se sentindo muito bem vindo do banco de reservas no San Antonio Spurs.

Depois de iniciar os primeiros 23 jogos como titular, o técnico Gregg Popovich deslocou o jogador para o banco. O resultado foi bom; Dice passou a jogar melhor desde que o novato DeJuan Blair o substituiu no quinteto inicial.

“Essa é a minha zona de conforto, vindo do banco”, disse o ala-pivô. “Com Matty [Bonner] fora [machucado], o técnico precisou de alguém que viesse do banco e convertesse os arremessos”, afirmou.

Finley ainda irá demorar para voltar

O ala Michael Finley sofreu um entorse no dia 9 de dezembro, no duelo contra o Sacramento Kings. Apesar de sua volta ainda ser uma incógnita, o veterano tem acompanhado a equipe durante as viagens.

“Na verdade ele está longe [de voltar a jogar]”, disse Gregg Popovich. “Mas ele está melhorando a cada dia. Ele quer estar com o time e fazer parte dele, por isso está viajando conosco”, finalizou.

Spurs (17-11) @ Knicks (11-19) – Batalha em Manhattan

95X88

Passando por cima dos problemas com a viagem e por uma partida muito disputada, o San Antonio Spurs conseguiu vencer o New York Knicks no Madison Square Garden, alcançando a terceira vitória consecuitva fora de casa. Os destaques foram os experientes Tony Parker e Manu Ginobili.

(Foto por David Dow/NBAE via Getty Images)

O Spurs teve entreveiros na viagem de Milwaukee para New York, por problemas com as tempestades de gelo que atrasaram o voo,  conseguindo chegar na cidade apenas às seis da manhã. O time titular foi o mesmo das últimas partidas, com DeJuan Blair no quinteto inicial. As duas equipes começaram muito parelhas, alternando a liderança do placar. David Lee estava muito bem nos arremessos, anotando seis pontos para o Knicks, mas o Spurs terminou o primeiro período à frente por 21 a 20.

(Foto por Mary Altaffer/AP Photo)

O segundo quarto continuou disputado. Lee e Al Harrington anotaram para o time da casa 17 pontos juntos, enquanto Parker e Roger Mason Jr. fizeram 14 para o San Antonio. Ainda sim, os visitantes conseguiram ir para o intervalo vencendo por 50 a 47.

No retorno ao jogo, as duas equipes continuaram jogando muito forte, indo para o último quarto com o Spurs vencendo em 70 a 68. No período final, faltando quatro minutos a partida estava empatada em 84 a 84, mas, com uma sequência de 11 a 4, o San Antonio conseguiu sua 17ª vitória e o Knicks a sua 19ª derrota com o placar de 95 a 88.

Veja os os melhores momentos da partida

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tony Parker – 22 pontos e 58,8% (10-17) nos arremessos de quadra

Manu Ginobili – 17 pontos

Tim Duncan – 13 pontos e sete rebotes

George Hill – Dez pontos

DeJuan Blair – Dez rebotes

New York Knicks

David Lee – 28 pontos, dez rebotes, cinco erros de ataque e 84,6% (11-13) nos arremessos de quadra

Al Harrington – 19 pontos

Danilo Gallinari – 19 pontos

Wilson Chandler – 12 pontos

Chris Duhon – 13 assistências

Quem foi melhor?

Baron Davis comemora mais um buzzer beater contra o Celtics; ele merece!

Volta e meia surgem discussões acerca de quem foi o melhor armador da década, ou quem foi o melhor depois de John Stockton. Os nomes que aparecem são os mesmos de sempre. Jason Kidd, líder dos tempos áureos de New Jersey Nets, Steve Nash, MVP por dois anos consecutivos no Phoenix Suns e Chauncey Billups, MVP das finais de 2004. Pouca gente se lembra, no entanto, de um jogador muito habilidoso, de bom arremesso, o Baron Davis.

Pois é! Talvez Davis tenha sido vítima do esquecimento, já que, ao contrário dos colegas citados acima, jogou apenas em equipes coadjuvantes, como Golden State Warriors, Los Angeles Clippers e Charlotte Hornets (New Orleans). Na época do Hornets ele fazia chover, arrumava umas bolas espíritas e frequentemente passeava pelo hall dos melhores da liga. No Golden State ele fez sucesso, tirou um time do limbo e levou aos playoffs para um dos fatos mais memoráveis dos últimos tempos: eliminar o  então badalado Dallas Mavericks na primeira rodada daquele ano por quatro jogos a dois.

E esse foi o winning shot da vitória de ontem por 93 a 91

No Los Angeles Clippers, Baron Davis tenta repetir o sucesso que obteve na Califórnia. Contudo, ele sabe que é difícil, ainda mais depois da contusão eterna de Blake Griffin, aquele que poderia ser o fator-X para levar os angelinos à pós-temporada.

Ontem, diante do forte Boston Celtics, o camisa #1 deitou, rolou e fez bilu-bilu em cima do Rajon Rondo. Rondo, aliás, foi o grande responsável pela derrota do Celtics, já que desperdiçou dois lances livres cruciais para o triunfo. Falando nisso, é sempre bom ressaltar a média dantesca desse armador na linha dos lances livres: pífios 52,7%. É quase pior que os 48,5% do Shaq e infinitamente inferior que os surpreendentes 77,4% do Tim Duncan. Voltando ao jogo depois da pipocada homérica do Rondo, o Clippers tinha um lateral com apenas 1.0 no cronômetro. Como todos sabem, quem dá margem ao azar acaba se dando mal. E foi isso que aconteceu… Davis recebeu a bola, gingou para trás e fez uma cesta linda, se coroando como o herói da noite. Ele terminou a partida com 24 pontos, 13 assistências e três roubos de bola. Quando jogava pelo Golden State, Baron já havia acabado com a noite de sonhos dos comandados de Doc Rivers. Veja aqui!

Apesar de fazer sucesso por onde passou, o ex-armador da UCLA nunca chegou a vestir a camisa de uma equipe temida, nunca fez parte de um elenco que pudesse consagrar de vez seu potencial. Esse é o grande motivo pelo qual Baron Davis é um ‘excluído’ do seleto grupo dos melhores. Daqui há uns anos, quando estivermos mais velhos e lembrarmos dos principais armadores da década de 2000, vamos recordar daqueles nomes citados lá no primeiro parágrafo, talvez recordemos de Chris Paul, Deron Williams e até de Tony Parker. Davis ficará em segundo plano…

Veja aqui os melhores momentos da partida e o arremesso lindo no estouro do cronômetro:

Spurs (16-11) @ Knicks (11-18) – Temporada Regular

San Antonio Spurs @ New York Knicks – Temporada Regular

Data: 27/12/2009

Horário: 21:00 (Horário de Brasília)

Local: Madison Square Garden

Situação do Jogo

O San Antonio Spurs continua sua pequena viagem pela costa leste passando agora em New York para enfrentar o Knicks, um dia após vencer o Milwaukee Bucks. O Spurs quer continuar seu bom retrospecto contra times da Conferência Leste, com sete vitórias em nove partidas até o momento. Na última partida, além da grande atuação de Duncan, os reservas foram fundamentais para a vitória sobre o Bucks com 51 pontos, com boa participação do sexto homem Manu Ginobili, que, além de 13 pontos, contribuiu com oito assistências. O Knicks teve sua sequência de três vitórias quebrada pelo Miami Heat na rodada de Natal, graças ao péssimo aproveitamento do time na linha dos três pontos.

Foto em nba.com

San Antonio Spurs

PG – Tony Parker

SG – Keith Bogans

SF – Richard Jefferson

PF – DeJuan Blair

C –  Tim Duncan

Fique de olho – O experiente ala-pivô Tim Duncan continua fazendo a diferença nas partidas. Duncan é um dos poucos jogadores da equipe que vem mantendo uma regularidade de bons jogos. Na última partida, contra o Milwaukee, ele fez 26 pontos. O “Big Fundamental” tem médias de 20.2 pontos e 10.4 rebotes em 32 minutos em quadra na sua 13ª temporada na liga.

Foto em nba.com

PG – Chris Duhon

SG – Wilson Chandler

SF – Danilo Gallinari

PF – Jared Jeffries

C – David Lee

Fique de olho – O jovem ala italiano ficou fora de grande parte de sua primeira temporada na NBA com uma lesão nas costas. Agora que ele está 100%, vem mostrando porque foi escolhido na sexta posição do Draft em 2008, com ótimos arremessos de três pontos. O italiano tem médias de 14.4 pontos e 4.9 rebotes em sua segunda temporada na liga.

Spurs (16-11) @ Bucks (12-16) – Duncan arrasa em Milwaukee

112X97

O San Antonio Spurs alcançou sua quarta vitória fora de casa, fechando invicto os confrontos contra o Milwaukee Bucks nessa temporada. Mais uma vez, a grande estrela do time foi o “vovô” Tim Duncan.

Uma partida tranquila para o Spurs festejar a Natal (Foto por Jeffrey Phelps/AP Photo)

O time texano iniciou o jogo com Tony Parker, Keith Bogans, Richard Jefferson, Duncan e o novato DeJuan Blair. O começo foi muito forte, com o Spurs acertando uma alta porcentagem de seus arremessos. Com o trio formado por Parker, Duncan e Manu Ginobili anotando 16 pontos juntos, o time frechou o primeiro quarto vencendo por 26 a 14.

Duncan fez mais uma grande partida sendo o cestinha com 26 pontos (Foto por Gary Dineen/NBAE via Getty Images)

No segundo período, o San Antonio continuou dominando a partida. Após a metade do quarto, com uma cesta de Parker, o Bucks não conseguiu mais diminuir a vantagem para menos de dois dígitos. Com dez pontos anotados por Tim, o Spurs foi ao intervalo vencendo por 56 a 41.

No retorno dos vestiários, a equipe visitante persistia com uma forte defesa e grande procentagem de acerto nos arremessos, principalmente dos reservas, que tiveram um aproveitamento de 75,8% (22-29), anotando 51 pontos ao final da partida. O terceiro quarto foi vencido pelo Spurs por 89 a 64.

Chegando ao período final, o San Antonio somente administrou a vantagem sobre Milwaukee, colocando em quadra até os  reservas pouco usados Marcus Haislip e Malik Hairston. O Bucks tentou reagir, mas só conseguiu diminuir a vantagem, que chegou a ser de 20 pontos. O fim jogo, placar de 112 a 97 – o Spurs alcançava sua 16ª vitória, e o Bucks a 16ª derrota.

Veja os os melhores momentos da partida

Destaques da Partida

San Antonio Spurs

Tim Duncan – 26 pontos, oito rebotes e 68,75% (11-16) nos arremessos de quadra

Tony Parker – 16 pontos e oito assistências

Antonio McDyess – 14 pontos e 87,5% (7-8) nos arremessos de quadra

Manu Ginobili – 13 pontos e oito assistências

Richard Jefferson – 11 pontos

DeJuan Blair – 12 rebotes e seis rebotes ofensivos

Milwaukee Bucks

Hakim Warrick – 23 pontos e cinco rebotes

Jodie Meeks – 15 pontos

Luke Ridnour – 13 pontos e cinco assistências

Andrew Bogut – 12 pontos e oito rebotes

Brandon Jennings – Dez pontos e oito assistências